publicidade

publicidade

A Origem da Engenharia [Humor na Engenharia #01]


Engenharia (português euroupeu) Engenhocaria (português brasileiro) é uma doença antiga, tendo indícios na Antiguidade, mas que tomou a forma atual apenas durante o Renascimento.

stonehenge-origem-engenharia

A doença manifesta-se durante a infância quando a criança busca desmontar seus brinquedos, não por pirraça, tampouco porque estão estragados, mas apenas para “ver como funciona”. Muitos acabam engolindo as pecinhas, mas sempre há os sobreviventes (A Mãe Natureza não é tão legal assim).

Durante o período pré-escolar a criança ou jovem apresenta um leve interesse pela área de exatas, se o paciente não for tratado nessa fase pode não ser mais possível salvá-lo.

Durante a puberdade tornam-se mais evidentes o sintomas dessa doença: vontade de entender os conceitos de física, matemática, química dentre outros. Grande interesse pela tecnologia, equipamentos eletrônicos e em permanecer virgem.

Autor Desconhecido

Leia mais “Humor na Engenharia”:
A Doença “Engenharia” [Humor na Engenharia #02]
Propagação do “Vírus Engenharia” [#03]
O Curso [#04]
Subdivisões (da “Doença”) do Curso [#05]


publicidade

publicidade

  • (X0)² T . a

    Eu vi a história do garfo na tomada contada pelo Fernando Luis e me lembrei que uma vez eu enfiei doas chaves Philips na tomada.. não aconteceu nada até eu bater uma na outra enquanto estavam enfiadas na tomada.. SÉRIO, NUNCA FAÇAM ISSO! Não foi legal…

  • só acho que me reconheci com essa matéria :p. eu sempre goste de desmontar coisas, em especial meus brinquedos e nas coisas eletricas, como DVD (esse eu desmontei, remontei sobrou 2 parafusos e funciona até hoje), telefone sem fio, celular nem se fala, CPU’s,,,,uma vez fiz que nem o Fernando Luiz. Tinha desmontado toda minha CPU só para tirar o cooler e ver como ele funcionava; por fim, peguei os 2 fios e liguei na tomada, bem a experiencia não foi tão legal :(, até os disjuntores da minha casa desarmaram de tão alto que foi o pique da luz….

    em exatas sempre me identifiquei (menos química). são as melhores notas que tenho, e as vezes as melhores da sala. mas ainda estou no 9º ano e quero ver se esse amor vai continuar até o ano que vem onde entro no 1º ano…..