publicidade

publicidade

Conheça mais sobre pisos autonivelantes em resina líquida


Pode parecer uma grande novidade, mas os pisos monolíticos já são utilizados no Brasil desde as décadas de 1960 e 1970, em edifícios de uso público e coletivo. A diferença é que agora existem mais possibilidades, inclusive para ambientes residenciais, devido à característica líquida do produto.

É importante destacar que a aplicação do material pode ser realizada de diversas formas e ter, consequentemente, resultados distintos. Os pisos conhecidos popularmente como ‘porcelanato líquido’ são à base de poliuretano ou epóxi, em forma de resina ou tinta. É o seu aspecto final, liso e brilhante, que encanta os consumidores que sonham em renovar o visual da casa sem a necessidade de qualquer quebra-quebra.

pisos_autonivelantes_01-blog-da-engenharia
(Imagem divulgação blog ‘Modelos de Plantas Casas‘)

+ Aplicação sobre superfícies

pisos_autonivelantes_06-blog-da-engenharia
(Imagem divulgação site ‘Repoxi‘)

Os pisos autonivelantes são indicados para as áreas onde se necessita de mais resistência, durabilidade e baixo custo de manutenção. Neste critério, enquadram-se, principalmente, as indústrias, os laboratórios, os estacionamentos de veículos, os edifícios públicos e os pátios. Mas, atualmente, vê-se este material empregado também em ambientes médicos, em cozinhas industriais e em residências. Pode-se usá-los em conjunto, por exemplo, com os pisos térmicos, em residências nas localidades de clima mais frio.

Mas as possibilidades de aplicação para este tipo de piso vão muito mais além. Seu sistema de composição, em multicamada, permite uma personalização ainda maior do revestimento. Pode-se criar um piso artístico, com figuras planas ou em 3D, sobre a cor sólida do fundo e sob um tipo de resina transparente. O efeito visual fica incrível. Diversas empresas já trabalham com esta linha decorativa, que utiliza a aplicação de adesivos com diferentes desenhos e composições juntamente da resina líquida.

pisos_autonivelantes_02-blog-da-engenharia
(Imagem divulgação site UOL)
pisos_autonivelantes_03-blog-da-engenharia
(Imagem divulgação site ‘Limpadora Globo Limp‘)

A limpeza e a regularização do piso, antes da aplicação do material resinado, é o momento mais importante da preparação da superfície. Deve-se certificar de que não há resíduos de gordura, de partículas soltas e nem umidade. Após emparelhar qualquer irregularidade, como rejuntes e trincas, a aplicação do produto é fácil e rápida – recomenda-se o uso de equipamentos de proteção individual. Após seguir todos os passos indicados pelo fabricante e esperar o período de secagem, o resultado final é uma camada homogênea, monolítica.

pisos_autonivelantes_04-blog-da-engenharia
(Imagem divulgação site ‘Senhor Piso‘)

+ Resultado final e seus benefícios

Os pisos autonivelantes podem ser feitos em diversas cores. Em poliuretano é disponibilizado apenas nas cores branca, bege e cinza e não possibilita a criação de desenhos. Já em epóxi há uma variedade maior e mais resistência química e mecânica. Mas o bom é que pode-se aplicar ambos sobre pisos existentes. A espessura final fica em torno de três milímetros – em pisos regularizados.  Em locais onde não é possível este aumento de nível, a dica é utilizar as tintas com base em epóxi, que formam esta mesma camada lisa e brilhante, sem acrescentar muita espessura.

pisos_autonivelantes_05-blog-da-engenharia
(Imagem divulgação site ‘Soluções Industriais‘)

A utilização do sistema de pisos autonivelantes traz muitos benefícios à obra. A ausência de entulhos é a maior vantagem. Além disso, é uma solução simples contra abrasão, rugosidades, fissuras e acúmulo de sujeiras, bactérias ou fungos.  Sua manutenção é fácil, com detergente neutro e cera líquida. Todos os ambientes, tanto em áreas internas ou externas, no qual recebem este tipo de piso, transmitem a sensação de conforto e amplitude. Isto, principalmente, por não apresentar emendas. Cobrindo antigas cerâmicas, pedras naturais ou contrapiso, não importa. A tecnologia dos pisos autonivelantes é uma boa solução.

pisos_autonivelantes_07-blog-da-engenharia
(Imagens divulgação site ‘Casa Claudia‘)

Fontes: Gazeta do PovoCatraca LivreCasa na Web, Casa Claudia.


publicidade

publicidade

  • Isabela Lima

    O resultado fica muito lindo!

  • Taroel Bossardi

    Valores?

    • Leonardo

      em media R$ 140,00 á R$ 300,00 o metro quadrado

      mais informações ligue (11) 9-4741-8024
      pois trabalho com aplicações de porcenalato líquido e entre outros

    • Simone Tagliani

      Olá Taroel,

      Não encontramos dados exatos sobre valores. O que podemos lhe informar é que algumas empresas cobram por no mínimo cem metros quadrados de área. Em um site que encontramos falava-se em torno de quinhentos reais apenas de material, mas não detalhava a área de cobertura. A tinta epóxi, que é o sistema que mostramos onde a aplicação é feita através de rolo, uma lata com 3,6lts custa em torno de duzentos reais. Aconselhamos você a conversar diretamente com representantes em sua região. Espero ter lhe ajudado.

  • Angela Queiroz

    E arranhões? Resiste à crianças, animais e móveis sendo arrastados?

    • Simone Tagliani

      Olá Angela,

      Todas as empresas que vendem este serviço garantem maior resistência à arranhões do que outros tipos de revestimentos, como o porcelanato comum e os pisos vinílicos. Acredito que esta característica não seja atribuída ao sistema onde utiliza-se tinta epóxi, mas, sim, a resina mesmo.

  • Evandro Marcelo Copceski

    Linguagem errônea em blog “da engenharia”. Por favor, de porcelanato isso não tem nada, é só pintura industrial enfeitada…

    A base dessa pintura é poliuretano, uretano ou epoxi, nada de porcelanato…

    Não pode profissional ajudando a confundir leigo… Aí complica né.. :S

    • Simone Tagliani

      Olá Evandro,

      Sim. ‘Porcelanato líquido’ é como o piso é conhecido popularmente no mercado. Como dissemos, isto se deve à seu alto brilho e maior resistência. Trata-se mesmo de uma resina líquida. Geralmente é em poliuretano ou epóxi, como você mesmo citou. Porém, muitos leigos não conhecem estas matérias-primas. Então, optou-se por colocar este termo popular no título para uma melhor identificação do tema abordado pela matéria. Obrigada por seu feedback.

  • Arthur Xavier

    não entendi a parte em que pode ser aplicado em cima de uma cerâmica já instalada, em vídeos que vi sobre este tipo de aplicação a aplicação sobre a cerâmica deixa a vista o rejunte das cerâmicas, é isso mesmo ?

    • Simone Tagliani

      Olá Arthur,

      Pode-se dizer que existem dois tipos de revestimentos em resina líquida apresentados nesta matéria. Um tipo é com resina líquida aplicada através de rolo. Neste processo é passado uma massa nivelante, antes da tinta, para nivelar o rejunte ao nível do piso. No segundo tipo usa-se uma resina líquida mais espessa. Nos vídeos você pode ver uma pessoa jogando com balde e andando sobre esta massa com um sapato que possui pregos no solado, para não deixar nada marcado. Neste caso, também fica tudo tudo homogêneo, já que a cobertura é total. Em média, fica uns 3 centímetros a camada, cobrindo tudo, cerâmica e rejunte. Espero ter lhe respondido. Abraço.

  • Gabriel Agenor

    Valor de R$ 300,00 o metro quadrado, está resina é feita de ouro? Que valor absurdo é esse?