Gesso Acartonado (Dry Wall)

20 Flares 20 Flares ×

A tecnologia da construção seca está cada vez mais substituindo as técnicas construtivas tradicionais e já está incorporada aos projetos arquitetônicos. O gesso está participando das técnicas modernas na fabricação de painéis para paredes, forros e revestimento. O gesso acartonado surgiu por volta de 1895 nos Estados Unidos, criado por Augustine Sackett, juntando a resistência à tração, que é proporcionada pelo cartão, e a resistência à compressão, proporcionada pelo gesso.

O painel de gesso acartonado é composto por um ‘sanduíche’ de cartão-gesso-cartão; esse ‘recheio’ é obtido través da mistura do gesso comum a alguns aditivos que:
  • aumentam a porosidade da pasta para tornar o painel de gesso acartonado leve (10Kg/ m²);
  • aumentam a resistência mecânica;
  • aderem o cartão ao gesso.
O cartão empregado nos painéis é fabricado exclusivamente para este fim e recebe tratamentos em sua composição e estrutura (que são regidos por normas internacionais).
O gesso acartonado é resultante da experimentação bem sucedida da união de dois materiais com características bem distintas: o gesso e um papel cartão especial que juntos garantem melhorias qualitativas e quantitativas a qualquer construção, adquirindo assim a resistência a impactos, além do uso bastante divulgado como forro e também em divisões de ambientes substituindo muito bem a alvenaria, quando recebendo as devidas adaptações.
Além disso, esta combinação ‘sanduíche’ de cartão-gesso-cartão das placas de drywall, impedem que ocorram as indesejáveis trincas devido a constantes dilatações do material com as amplitudes térmicas e a secagem da massa de gesso, visto que este já sai seco da indústria envolto no papel que lhe dá rigidez nas dilatações e impede o amarelamento do gesso.
  • Coeficiente de condutibilidade térmica 0,38kcal/cm².h.ºC;
  • Peso específico aparente 19g/cm³;
  • Resistência a tração 21kg/cm².

A fabricação dos painéis

A gipsita (gesso mineral), estocada ao ar livre, passa por um britador de impacto, que reduz a sua granulometria. Em seguida, é triturada e levada por uma correia transportadora até um silo,seguindo, então, para a fase de moagem e calcinação, onde perde cerca de 75% de água, tornando-se o pó que conhecemos como gesso.
O gesso é misturado à água e aditivos, formando uma pasta lançada num processo de laminação contínua entre duas folhas do cartão especial,que aderem química e mecanicamente ao gesso, formando painéis estruturados.
Em seguida passam pelo processo de secagem e cura, durante o qual as moléculas do gesso se reagrupam em cristais, readquirindo sua formação rochosa original, porém com um nível de pureza elevado.
Para garantir a qualidade dos painéis, todo o processo de fabricação segue normas e especificações brasileiras e internacionais.
Fonte: Metalica

Eduardo Cavalcanti

23 anos, blogueiro (quase) Engenheiro. Cursando o 9º Semestre de Engenharia Civil. Decidiu cursar engenharia após fazer um mochilão pela Europa, e após *quase* se matricular em administração de empresas aos 18 anos. Fundador e Editor-Chefe do BDE, adora trocar informações e experiências com todos estudantes e profissionais de engenharia! Acredita em um mundo onde todas as pessoas possam ter uma vida com mais sentido. Nas horas vagas e não vagas, nutre paixão por séries de tv, fotografia, viagens, redes sociais, música e tecnologia . Ah, e sinta-se a vontade em seguir o meu perfil particular no Instagram (@eduardocavalcanti)

Uma resposta para “Gesso Acartonado (Dry Wall)”

  1. rafael santos

    Trabalho em uma obra q todas as paredes q ñ são estrutural é feito cm o Acartonado conhecido também drywall

    Responder