publicidade

publicidade

Fazenda-usina mineira é a primeira do país a oferecer assinatura de energia solar


Você sabia que Minas Gerais é o estado brasileiro com o maior número de usinas solares de micro e mini geração distribuída do país? Além disso, a região foi a primeira a criar incentivos fiscais para a produção de energia solar.

Saindo mais uma vez na frente, os mineiros também são pioneiros em outro quesito: a primeira fazenda-usina a oferecer assinatura de energia solar no Brasil. Ela está localizada no município de João Pinheiro, no Noroeste de Minas Gerais (a 400 km de Belo Horizonte), região com ótimas condições de duração e intensidade de luz.

A usina está instalada em um espaço de 2,5 hectares, com capacidade para a produção de 2.100 MWh de energia por ano. Ela já está pronta e deve entrar em funcionamento assim que a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) autorizar. Estima-se que ela atenda de cem a 150 clientes comerciais, de pequeno e médio portes.

A primeira fazenda-usina a oferecer assinatura de energia solar está localizada em João Pinheiro, no estado de Minas Gerais (Foto: 7 e Meio Filmes/Divulgação)

Como funciona a assinatura?

A comercialização de cotas funciona de maneira semelhante a uma assinatura. É como se o cliente alugasse uma parte da usina, sendo a energia conduzida normalmente pela distribuidora (Cemig) e entregue aos assinantes.

São dois planos de assinatura. O Basic inclui monitoramento online de geração e consumo de energia, sem carência e fidelidade. Já o Plus tem contrato de 24 meses e possui os mesmos serviços do básico, com a vantagem do desconto de 10% nos custos totais com energia.

Os planos de assinatura são exclusivos para estabelecimentos comerciais (Foto: Shutterstock)

As placas solares são divididas em lotes. A cotação de quantos lotes um assinante precisa alugar para suprir as necessidades do seu estabelecimento é baseada na conta de luz. Para isso, é traçado um perfil por meio da análise do histórico dos últimos 12 meses da empresa.

A conta de energia chega do modo tradicional, com a diferença de que o valor da cota contratada é abatido. O mesmo ocorre com quem tem usina de geração de energia solar na própria casa.

Foram investidos R$ 5,5 milhões no projeto, que inclui 4 mil placas fotovoltaicas produzidas pela Canadian Solar. A Empresa Brasileira de Energia Solar (Ebes) é a responsável pelo projeto e planeja aumentar a capacidade da fazenda-usina para 5 MW de geração solar. Para isso, está sendo construída outra usina na mesma área. Em três anos, a empresa planeja instalar cem usinas de 5 MW, podendo atender de 500 a 750 clientes.

Fontes: O Tempo e Paranoá Energia.


publicidade

publicidade