publicidade

publicidade

Fusão nuclear: a nova grande aposta do Google


Pesquisadores do Google e de uma companhia chamada Tri Alpha Energia estiveram discretamente trabalhando em um algoritmo que vai modificar o planeta completamente daqui algum tempo. O tema da pesquisa? Nada mais, nada menos do que fusão nuclear. Vem que o Blog da Engenharia explica melhor!

Os pesquisadores publicaram um relatório descrevendo o “Optometrist Algorithm”, uma ferramenta de aprendizado de máquina que auxilia na escolha de parâmetros para um experimento de fusão nuclear. O algoritmo pede aos pesquisadores para selecionar entre pares de resultados, permitindo-lhes diminuir um complexo conjunto de parâmetros no final do processo.

fusão nuclear google
Crédito: Geek Wire

“Para aumentar a velocidade do aprendizado e otimização de plasma, o algoritmo oferece um par de opções a um ser humano e pergunta qual é preferível. Dada a escolha, o algoritmo passa a oferecer uma outra escolha”, escreveram os pesquisadores.

Usando a ferramenta, eles foram capazes de segurar plasma nuclear mais quente por períodos mais longos, uma das chaves para decifrar o código complexo de fusão nuclear.

Michel Binderbauer, presidente da Tri Alpha Energia, descreveu a pesquisa como sendo uma grande promessa para todos nós“A criatividade e engenhosidade da mente humana é o que impulsiona o progresso. Quando combinado com o trabalho incansável, pode haver grandes progressos”, disse.

+Como funciona

A tecnologia de fusão nuclear colide núcleos atômicos para liberar energia. Ela pode gerar muito mais energia do que a fissão nuclear (o processo de dividir átomos), usada em reatores nucleares atualmente.

Reatores de fusão nuclear tornam hidrogênio em plasma sob intenso calor e pressão, moldada por bobinas magnéticas. Sob alta temperatura, as partículas de plasma podem fundir-se, produzindo energia por meio da fusão.

A Tri Alpha Energia utiliza um design de fusão nuclear que dispara feixes de plasma em um recipiente que é mantido girando por um campo magnético. O projeto inclusive compartilha algumas propriedades com os famosos aceleradores de partículas.

A Tri Alpha Energy é uma empresa com quase duas décadas de vida que já levantou US$ 500 milhões em financiamento enquanto trabalhava em seu próprio gerador de plasma. O algoritmo permitiu à equipe otimizar o gerador, mas a empresa planeja usá-lo em outros segmentos, como seu novo reator.

Fonte: Green Tech Media


publicidade

publicidade