O Estagiário Ideal

102 Flares 102 Flares ×

Estava lendo alguns artigos sobre estágios, e achei este muito interessante. É uma entrevista da Rádio CBN Recife, que foi ao ar há algum tempo, com Marcos Alencar, consultor trabalhista, e que dá dicas muito importantes para quem busca um estágio, não somente no ramo da engenharia.

“TEMA: O ESTAGIÁRIO IDEAL

1 MN – No trabalhismo em debate de hoje, vamos esclarecer sobre qual o estagiário ideal que o mercado de trabalho deseja. Do outro lado da linha vamos conversar com MARCOS ALENCAR, que é especialista no ramo do direito do trabalho. 

2 MN – Bom Dia Marcos Alencar!

MA – Bom dia Mário!

3 MN – Realmente existe esse perfil de “estagiário ideal” esperado pelo mercado?

MA – Mário, não só existe esse perfil que podemos sim denominar de “estagiário ideal” como também é preciso que se diga que o estagiário de hoje é o empregado do amanhã. Se ele se destaca bem no estágio demonstrando responsabilidade, competência e profissionalismo, sem dúvida que terá espaço no competitivo mercado de trabalho.

4 MN – E o que o estagiário deve fazer para alcançar esse perfil de estagiário ideal?

MA – A resposta é longa, mas vamos lá. Primeiro ele precisa saber o que quer da vida profissionalmente falando. Tem que responder a essa simples mas decisiva pergunta, o que eu vou ser? Engenheiro, Médico, advogado, funcionário público?? E mais, se Engenheiro, por exemplo, qual será a minha especialidade, construção civil? Obra em prédios, estradas?? Tendo essa resposta em mãos, ele deve partir na busca do estágio ideal para esse fim escolhido. Segundo, conseguido o estágio ele deve passar a agir como a pessoa mais interessada incorporando que a remuneração verdadeiramente recebida é o conhecimento que está tendo, a experiência que está sendo repassada, por um custo baixíssimo. O estagiário deve considerar o dinheiro que recebe, mas isso não é o mais importante, o mais importante é o que está aprendendo, o relacionamento, a experiência profissional. Deve se dedicar com total, disciplina, pontualidade, assiduidade, responsabilidade, estar sempre localizável, disponível, e estudar o que está fazendo.


::Leia também: A Doença “Engenharia”::


5 MN – Quais os pontos mais importantes que um estagiário recém-contratado deve observar?

MA – Ótima pergunta. Objetivamente, o estagiário deve ser : Pontual e assíduo, cumprir horário religiosamente e nunca faltar ao estágio, principalmente nos dias imprensados, nas segundas-feiras; Organizado e disciplinado, o estagiário deve manter uma conduta organizada, estar sempre anotando as suas obrigações e tarefas, para jamais esquecê-las, agir com  máxima disciplina, dando exemplo no cumprimento das regras da empresa (mesmo que seja verbal a regra); Ser ordeiro, evitar postura contra as diretrizes da empresa, pode até divergir, mas deve ter cautela nas idéias que apresenta; Aprendizado, deve aprender tudo, a forma melhor de fazer uma cópia num documento, até protocolar um ofício, fazer um email, tudo deve ser visto como aprendizado; Linguagem, usar do jargão profissional, sem excesso, evitar gírias (isso desvaloriza a sua postura); Limpeza, ter a mesa limpa, os trabalhos limpos, demonstrar isso é agregar valor profissional; Ser uma pessoa de fácil localização e acesso, dar notícia do que está fazendo e aonde está; Disponibilidade, procurar mais serviços e responsabilidades.

6 MN – E o que um estagiário não deve fazer?

MA – Primeiro, se portar como um simples estagiário, sem identidade profissional, sem comprometimento com a empresa; Segundo, se esquivar dos serviços, alegando sempre desconhecimento e falta de tempo e de experiência; Terceiro, chegar atrasado, faltar, mesmo que justificadamente, isso pega mal, as chefias sempre dizem “mal começou na vida profissional já está desse jeito”; Quarto, se esconder! Isso acontece muito, é designado para fazer uma tarefa e some; Quinto, nunca se mostrar disponível, pretendendo aprender.

7 MN –  Quais os setores mais carentes de estagiários?  

MA – Pelo que vejo aqui na nossa região, a área jurídica apesar da quantidade de alunos de direito, ainda tem uma carência, há vagas; O ramo da construção civil e área de segurança do trabalho também, principalmente de estagiários comprometidos, que querem seguir a profissão, porque muitos buscam o estágio, para receber o dinheiro e com ele custear parte ou totalmente a faculdade, mas na realidade a intenção é outra, fazer um concurso, etc.. e não se interessa pelo estágio.

8 MN – E quem quer fazer concurso, deve estagiar onde?

MA – Excelente pergunta, porque existem vários órgãos públicos abrindo vagas, a exemplo das procuradorias, da justiça federal, são várias as chances. As pessoas interessadas devem buscar nos próprios órgãos ou perante IEL e ciee que são agentes de estágios sérios. Imagine um futuro procurador que estagiou numa procuradoria?

9 MN – E de todos os pontos antes citados no perfil, qual o mais importante?

MA – Mário, eu leio o mercado da seguinte forma: Ele prefere um burro trabalhador do que um cientista preguiçoso, descomprometido. Então, o comprometimento, que se traduz basicamente na questão da disciplina, entenda-se pontualidade e da assiduidade e do interesse, é o principal ponto desse perfil de sucesso.

10 MN – Na sua época de estágio, que dificuldades você enfrentou e que imagina tenha a ver com o momento atual?

MA – Mário, eu estagiei sozinho, saía da faculdade e todos os dias ia para Justiça. Eu sabia o que queria ser, isso me facilitou muito, porque toda a estrada que trilhei e ainda trilho, segue uma mesma direção. Mas o mais difícil para mim, era ter a persistência, entusiasmo e não desistir. Há dias em que acordamos, principalmente nessa fase de estágio e de início de carreira, e nos sentimos inseguros se estamos no caminho certo. Essa confiança é que vai separar quem atinge os seus objetivos e quem desiste no menor obstáculo. O estagiário tem que ser muito persistente, lutar pelos seus objetivos e pensar no longo prazo, seguindo a sua vocação, o dinheiro no bolso é uma consequência.”

Gilberto Batisti Junior

Cursando o 3º semestre de Engenharia Civil pela UNIVATES, tem 18 anos e mora em Guaporé-RS. Louco por engenharia, tecnologia e informática, se considera sedento por conhecimento. Pretende realizar intercâmbio em breve, e no futuro pondera seguir carreira acadêmica.

7 respostas para “O Estagiário Ideal”

  1. Rennan Aquino

    olha ai Lincoln Wagner Queiroz Veloso

    Responder
  2. Raphael Nynorsk

    E por fim, ter experiência na área (como eu não sei, ja que estágio é pra adquirir experiência) e de preferência, voluntário.

    Responder
  3. Eliana Ferreira

    Muito bom.

    Responder
  4. Alexandre Dos Santos

    Excelentes detalhes que foram citados que com certeza me ajudarão muito. Estou cursando o 5 semestre de engenharia civil e já estou me preparando para um futuro estágio.

    Responder
  5. Ítala Araújo

    Achei a entrevista interessante porém o que tenho visto é que as empresas na construção civil não gostam muito de ensinar aqueles que não tem experiência e infelizmente também muitas delas não querem cumprir as 6 horas de estágio criando verdadeiros "escragiários"

    Responder
  6. magno faria

    Concordo ate certo ponto. Tiro por mim tive a esperiencia de fazer estágio em uma grande empresa do certo elétrico, uma empresa arcaica e monopolista. Porém me esforçava de todas as maneiras mostrando assiduidade no trabalho, organização, sempre disposto a aprender porém. As pessoas achavam que eu tinha que me colocar no lugar e ser um simples estagiário, logo mais escutei de um colega de trabalho a seguinte frase quando queria aprender algo:
    “Você até pode ficar aqui mas não me pergunte nada”.
    As empresas de hoje em dia algumas elas tende se mobilizar e se atualizar com o mercado profissional como disse algumas no caso da empresa que trabalhei era uma empresa arcaica que não aceitava o novo.
    Porém no final das contas não adiantou em nada romperam meu contrato sendo mandado embora ai cabe dizer:
    Realmente esperar muito de um estagio. Vale apena.
    Talvez no meu caso pode ter sido uma fatalidade mas não deixo de mostrar este acontecimento profissional.

    Responder