O Estagiário Ideal

449 Flares 449 Flares ×

Estava lendo alguns artigos sobre estágios, e achei este muito interessante. É uma entrevista da Rádio CBN Recife, que foi ao ar há algum tempo, com Marcos Alencar, consultor trabalhista, e que dá dicas muito importantes para quem busca um estágio, não somente no ramo da engenharia.

programa-de-estagio

“TEMA: O ESTAGIÁRIO IDEAL

1 MN – No trabalhismo em debate de hoje, vamos esclarecer sobre qual o estagiário ideal que o mercado de trabalho deseja. Do outro lado da linha vamos conversar com MARCOS ALENCAR, que é especialista no ramo do direito do trabalho. 

2 MN – Bom Dia Marcos Alencar!

MA – Bom dia Mário!

3 MN – Realmente existe esse perfil de “estagiário ideal” esperado pelo mercado?

MA – Mário, não só existe esse perfil que podemos sim denominar de “estagiário ideal” como também é preciso que se diga que o estagiário de hoje é o empregado do amanhã. Se ele se destaca bem no estágio demonstrando responsabilidade, competência e profissionalismo, sem dúvida que terá espaço no competitivo mercado de trabalho.

4 MN – E o que o estagiário deve fazer para alcançar esse perfil de estagiário ideal?

MA – A resposta é longa, mas vamos lá. Primeiro ele precisa saber o que quer da vida profissionalmente falando. Tem que responder a essa simples mas decisiva pergunta, o que eu vou ser? Engenheiro, Médico, advogado, funcionário público?? E mais, se Engenheiro, por exemplo, qual será a minha especialidade, construção civil? Obra em prédios, estradas?? Tendo essa resposta em mãos, ele deve partir na busca do estágio ideal para esse fim escolhido. Segundo, conseguido o estágio ele deve passar a agir como a pessoa mais interessada incorporando que a remuneração verdadeiramente recebida é o conhecimento que está tendo, a experiência que está sendo repassada, por um custo baixíssimo. O estagiário deve considerar o dinheiro que recebe, mas isso não é o mais importante, o mais importante é o que está aprendendo, o relacionamento, a experiência profissional. Deve se dedicar com total, disciplina, pontualidade, assiduidade, responsabilidade, estar sempre localizável, disponível, e estudar o que está fazendo.


::Leia também: A Doença “Engenharia”::


5 MN – Quais os pontos mais importantes que um estagiário recém-contratado deve observar?

MA – Ótima pergunta. Objetivamente, o estagiário deve ser : Pontual e assíduo, cumprir horário religiosamente e nunca faltar ao estágio, principalmente nos dias imprensados, nas segundas-feiras; Organizado e disciplinado, o estagiário deve manter uma conduta organizada, estar sempre anotando as suas obrigações e tarefas, para jamais esquecê-las, agir com  máxima disciplina, dando exemplo no cumprimento das regras da empresa (mesmo que seja verbal a regra); Ser ordeiro, evitar postura contra as diretrizes da empresa, pode até divergir, mas deve ter cautela nas idéias que apresenta; Aprendizado, deve aprender tudo, a forma melhor de fazer uma cópia num documento, até protocolar um ofício, fazer um email, tudo deve ser visto como aprendizado; Linguagem, usar do jargão profissional, sem excesso, evitar gírias (isso desvaloriza a sua postura); Limpeza, ter a mesa limpa, os trabalhos limpos, demonstrar isso é agregar valor profissional; Ser uma pessoa de fácil localização e acesso, dar notícia do que está fazendo e aonde está; Disponibilidade, procurar mais serviços e responsabilidades.

estagio

6 MN – E o que um estagiário não deve fazer?

MA – Primeiro, se portar como um simples estagiário, sem identidade profissional, sem comprometimento com a empresa; Segundo, se esquivar dos serviços, alegando sempre desconhecimento e falta de tempo e de experiência; Terceiro, chegar atrasado, faltar, mesmo que justificadamente, isso pega mal, as chefias sempre dizem “mal começou na vida profissional já está desse jeito”; Quarto, se esconder! Isso acontece muito, é designado para fazer uma tarefa e some; Quinto, nunca se mostrar disponível, pretendendo aprender.

7 MN –  Quais os setores mais carentes de estagiários?  

MA – Pelo que vejo aqui na nossa região, a área jurídica apesar da quantidade de alunos de direito, ainda tem uma carência, há vagas; O ramo da construção civil e área de segurança do trabalho também, principalmente de estagiários comprometidos, que querem seguir a profissão, porque muitos buscam o estágio, para receber o dinheiro e com ele custear parte ou totalmente a faculdade, mas na realidade a intenção é outra, fazer um concurso, etc.. e não se interessa pelo estágio.

8 MN – E quem quer fazer concurso, deve estagiar onde?

MA – Excelente pergunta, porque existem vários órgãos públicos abrindo vagas, a exemplo das procuradorias, da justiça federal, são várias as chances. As pessoas interessadas devem buscar nos próprios órgãos ou perante IEL e ciee que são agentes de estágios sérios. Imagine um futuro procurador que estagiou numa procuradoria?

9 MN – E de todos os pontos antes citados no perfil, qual o mais importante?

MA – Mário, eu leio o mercado da seguinte forma: Ele prefere um burro trabalhador do que um cientista preguiçoso, descomprometido. Então, o comprometimento, que se traduz basicamente na questão da disciplina, entenda-se pontualidade e da assiduidade e do interesse, é o principal ponto desse perfil de sucesso.

10 MN – Na sua época de estágio, que dificuldades você enfrentou e que imagina tenha a ver com o momento atual?

MA – Mário, eu estagiei sozinho, saía da faculdade e todos os dias ia para Justiça. Eu sabia o que queria ser, isso me facilitou muito, porque toda a estrada que trilhei e ainda trilho, segue uma mesma direção. Mas o mais difícil para mim, era ter a persistência, entusiasmo e não desistir. Há dias em que acordamos, principalmente nessa fase de estágio e de início de carreira, e nos sentimos inseguros se estamos no caminho certo. Essa confiança é que vai separar quem atinge os seus objetivos e quem desiste no menor obstáculo. O estagiário tem que ser muito persistente, lutar pelos seus objetivos e pensar no longo prazo, seguindo a sua vocação, o dinheiro no bolso é uma consequência.”

Gilberto Batisti Junior

Cursando o 3º semestre de Engenharia Civil pela UNIVATES, tem 18 anos e mora em Guaporé-RS. Louco por engenharia, tecnologia e informática, se considera sedento por conhecimento. Pretende realizar intercâmbio em breve, e no futuro pondera seguir carreira acadêmica.

11 respostas para “O Estagiário Ideal”

  1. Rennan Aquino

    olha ai Lincoln Wagner Queiroz Veloso

    Responder
  2. Raphael Nynorsk

    E por fim, ter experiência na área (como eu não sei, ja que estágio é pra adquirir experiência) e de preferência, voluntário.

    Responder
  3. Eliana Ferreira

    Muito bom.

    Responder
  4. Alexandre Dos Santos

    Excelentes detalhes que foram citados que com certeza me ajudarão muito. Estou cursando o 5 semestre de engenharia civil e já estou me preparando para um futuro estágio.

    Responder
  5. Ítala Araújo

    Achei a entrevista interessante porém o que tenho visto é que as empresas na construção civil não gostam muito de ensinar aqueles que não tem experiência e infelizmente também muitas delas não querem cumprir as 6 horas de estágio criando verdadeiros "escragiários"

    Responder
  6. magno faria

    Concordo ate certo ponto. Tiro por mim tive a esperiencia de fazer estágio em uma grande empresa do certo elétrico, uma empresa arcaica e monopolista. Porém me esforçava de todas as maneiras mostrando assiduidade no trabalho, organização, sempre disposto a aprender porém. As pessoas achavam que eu tinha que me colocar no lugar e ser um simples estagiário, logo mais escutei de um colega de trabalho a seguinte frase quando queria aprender algo:
    “Você até pode ficar aqui mas não me pergunte nada”.
    As empresas de hoje em dia algumas elas tende se mobilizar e se atualizar com o mercado profissional como disse algumas no caso da empresa que trabalhei era uma empresa arcaica que não aceitava o novo.
    Porém no final das contas não adiantou em nada romperam meu contrato sendo mandado embora ai cabe dizer:
    Realmente esperar muito de um estagio. Vale apena.
    Talvez no meu caso pode ter sido uma fatalidade mas não deixo de mostrar este acontecimento profissional.

    Responder
  7. Adailton Henriques

    A entrevista foi muito boa e interessante.
    Estou no elo entre o último período de disciplinas – em minha Universidade o estágio é no final do curso – e com o pé no estágio, ou seja, procurando por um.
    Não acho que o grande problema no estágio seja o estagiário, mas a empresa. Estagiários, em sua grande maioria, estão sedentos por um ambiente profissional e por testar seus conhecimentos e para adquirir novos, minha Universidade é muito rigorosa, então se você não for, nem que seja um meio termo acima, suas chances de termina-la são poucas.
    Embora que “o estagiário de hoje seja o profissional de amanhã” que a empresa deva ser tão exigente em sua escolha. Quando eu falo em “tão exigente” eu me refiro a que um processo de seleção de estágio seja mais rigoroso que uma seleção pra emprego.
    Vejo muitas seleções divididas em várias etapas, sendo que a primeira dela é logo na inscrição, pois se o candidato não tiver inglês fluente ele nem se inscreve. Depois vem uma seleção por currículo, depois prova escrita em português e inglês e por fim uma entrevista. Então eu acho que quem se sujeita a tudo isso no final vá atender com facilidade às expectativas apresentadas no texto. Sendo que no fim ele vai receber um “Você até pode ficar aqui mas não me pergunte nada”, como falou o outro colega.
    E o pior de tudo é passar por tudo isso, sabendo que a empresa, por exemplo, todo semestre abre 10 vagas de estágio e nunca contrata ninguém, pois elas abrem estágio, mas seu quadro de funcionários está cheio.

    Falando um pouco agora sobre empregos! O que vejo nas empresas do ramo de engenharia, é que elas não querem contratar um estudante que acabou de sair da Universidade, com o mínimo de experiencia, no caso só o estágio, para ensina-lo e o tornar um profissional. Elas realmente abrem muitas vagas pra emprego, mas sempre exigem uma experiência muito grande. Preferem pagar elevados salários a engenheiros com experiência que pagar um salário base pra um recém formado e o dar meios de adquirir experiência.
    Vejo muitos colegas falarem e estou passando a acreditar que, realmente, o mercado está em recessão.

    Então pessoal, esse foi meu desabafo. O desabafo de um estudante de engenharia que não é nota 10, mas anda longe de ser um aluno ruim, que está gastando mais tempo se inscrevendo em seleções de estágio e perdendo noites de sono, que recebendo respostas, mesmo que seja um “Não”.

    Mas não vamos nos desesperar, pois quem realmente ama engenharia passa por isso de boa. E depois que passarmos por está fase, seremos sim muito bem recompensados com propostas de trabalhos muito boas e com salários gratificantes.

    Passemos bem!

    Responder
  8. Alex césar florentino Araújo

    Excelente entrevista… Parabéns por compartilhar.

    Responder
  9. Bruno Folle

    ótimo artigo Gilberto, muito importante para quem ainda não entrou no estágio e procura informações relevantes sobre o comportamento adequado nessa prática.

    Responder
  10. Álev Ferraz Meireles

    Muito bom cara, valeu

    Responder