publicidade

publicidade

O mercado da engenharia elétrica no Brasil


O que seria de nossa vida sem a eletricidade? Tanto para a luz quanto para o uso de aparelhos eletrônicos, ela é essencial, tanto que um curto período sem energia elétrica já é visto como catastrófico, sobretudo para quem mora nas áreas urbanas.

No Brasil, é uma área que está em constante evolução devido ao potencial energético do país, ainda mais considerando polêmicas de aumento da energia elétrica, construção de novas hidrelétricas e expansão da rede para áreas mais afastadas.

Para que a energia elétrica chegue em sua casa todos os dias e funcione com qualidade e segurança, é indispensável o trabalho de um engenheiro eletricista. Esse profissional é responsável por toda a infraestrutura relacionada à eletricidade, como a geração, transmissão e distribuição à população. Além disso, elabora projetos de sistemas de medição, iluminação, aterramento e maquinários.

tomada-engenharia-elétrica-blog-da-engenharia

Quais as funções específicas de um engenheiro eletricista?

  • projetar sistemas de distribuição da energia elétrica para todas as pessoas, em diversas áreas, considerando fatores como custo, localização e segurança;
  • desenvolver componentes eletroeletrônicos, projeção e manutenção de instalações elétricas em grandes empreendimentos e hospitais;
  • realizar estudos e meios de uso da eficiência energética, considerando fontes de energia renováveis;
  • participar do programa de construção de usinas nucleares, termelétricas e hidrelétricas.

itaipu-engenharia-eletrica-blog-da-engenharia

+ O que é preciso para ser um engenheiro eletricista?

Basicamente, assim como em qualquer parte da Engenharia, é preciso gostar bastante de ciências exatas, como Matemática e Física. Também deve estar ligado em eletrônica e nas novas tecnologias. Saber inglês e outras línguas é primordial para entender novos conceitos e pesquisas da área.

O curso de Engenharia elétrica dura 5 anos e é oferecido por diversas universidades públicas e privadas.

+ Onde atua um engenheiro eletricista?

O mercado é considerado amplo, logo, quem estuda Engenharia elétrica pode começar na carreira trabalhando em empresas de telecomunicações, linhas de transmissão e tecnologia da comunicação, usinas, indústrias de automação e sistemas elétricos e construtoras. Ainda é possível se especializar e continuar estudando para fazer mestrado ou doutorado na área.

+ Quanto ganha um engenheiro eletricista?

Na média, um iniciante recebe cerca de 3 mil reais. No auge da profissão, pode ganhar até 20 mil, de acordo com a experiência do indivíduo.

energia-eletrica-blog-da-engenharia

E aí, se animou?


publicidade

publicidade

  • klausbritto

    Sou estudante de Engenharia Elétrica e fiquei bem triste com o blog por errar algo básico. O profissional de Engenharia Elétrica é um Engenheiro Eletricista e não elétrico. Ficaria muito grato se fosse corrigido.
    Sei que foi citado no texto a forma correta, mas o português define algo elétrico como um equipamento que funciona com eletricidade ou algo que se refere a eletricidade, por exemplo, a energia é elétrica, a rede é elétrica, a engenharia é elétrica, mas o indivíduo não é elétrico, pois não transmite ou se refere a eletricidade. Portanto o Engenheiro é Eletricista e não elétrico, para isso precisaríamos funcionar ligados a tomada.

  • Gilvann Fuhr

    E no caso do Engenheiro de Energia?

  • Igor Cabral

    Excelente conteúdo do blog! Me impressiono a cada momento do curso com as amplas capacidades que o Engenheiro eletricista tem de poder atuar em diversas áreas no mercado. Foi visitando este blog constantemente na época do meu vestibular que acabei me interessando pela Engenharia Elétrica.

  • Loíde Fragoso

    Qual a diferença entre Engenharia Elétrica e Engenharia de Energias?

    • Warley Vieira Mendes

      A engenharia de energia é uma área da engenharia elétrica focada em otimizar o aproveitamento das formas primárias de energia. É mais voltada para área de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica.

  • Sou formado em análise e desenvolvimento de sistemas e com mais de 6 anos de experiência no ramo. Agora, vou “migrar” para Engenharia Elétrica. Motivos não faltam e o entusiasmo é muito grande. Espero que eu consiga dar conta na faculdade e me manter na profissão, para que eu consiga alcançar este sonho.