publicidade

publicidade

Película instalada no telhado promete substituir o ar condicionado e consumo de energia zero


Uma película composta por microfibras de vidro pode ser a substituta para o tradicional ar condicionado e outros sistemas de refrigeração. Esse é o resultado de uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade do Colorado e da Universidade de Wyoming, nos Estados Unidos, publicada pela Science no início de fevereiro. No artigo, os pesquisadores afirmaram que a tal película é capaz de dissipar energia térmica solar e, assim, provocar o efeito de resfriamento.

Película substitui ar condicionado | Blog da Engenharia

Ao portal da Veja, Xiaobo Yin, um dos responsáveis pelo projeto, explicou que, ao contrário dos sistemas comuns, que demandam recursos energéticos e consomem muita energia para realizar o resfriamento, a novidade se trata de um método alternativo e sustentável de manter os objetos e ambientes refrigerados. “Ele opera 24 horas por dia sem consumir eletricidade ou água. Mas, é claro, tem o porém de que é necessário construir um sistema térmico, com o material ao redor do ambiente, para oferecer o resfriamento quando precisarmos”, explicou o cientista.

Película substitui ar condicionado | Blog da Engenharia
Película composta por microfibras de vidro. Foto: Divulgação

Segundo Yin, a invenção promete satisfazer as necessidades de resfriamento tanto de residências, quando de estabelecimentos comerciais. Uma das aplicações dessa película inovadora é no teto, onde não demandaria o uso de eletricidade para funcionar e resfriar o ambiente. Cerca de 20 metros quadrados do material promoveria uma temperatura agradável para uma casa de aproximadamente 180 m².

O pesquisador também diz que o uso industrial da película também é possível. “Podemos imaginar um sistema maior construído, por exemplo, em uma usina termoelétrica para diminuir o calor de seus motores, sem o uso de água. Vale lembrar que as usinas de energia são responsáveis por 1/3 do consumo total de água nos EUA”, pondera.

Ressalvas

Você pode até lembrar de outros materiais que tem a mesma eficiência que as microfibras de vidro, no entanto, eles só obtiveram êxito durante a noite. O resfriamento diurno apresentava um desafio diferente, pois a absorção de energia térmica solar durante o dia excedia a potência de resfriamento natural dos materiais e aí a temperatura superficial aumentava, ao invés de baixar. E os cientistas da Colorado e Wyoming conseguiram utilizar tal método mesmo com forte luz e calor solar com resultados positivos.

Película substitui ar condicionado | Blog da Engenharia
Cientistas afirmam que o material inovador pode substituir a refrigeração do ar-condicionado tradicional. Foto: Reprodução

Características da película

O material em questão é bem leve e, de acordo com os cientistas, foi inspirado no modelo de refrigeração natural da Terra. Bom, para explicar melhor, a superfície terrestre absorve parte da energia térmica emitida pelo Sol e, o restante, retorna ao espaço por meio de um processo natural. A película produzida em laboratório foi o resultado da reprodução desse processo natural.

Para conseguir tal feito, eles fabricaram uma fina película constituída por polímeros transparentes, com microfibras de vidro distribuídas aleatoriamente, e revestida por uma camada de prata. Essa junção de materiais é o que oferece a capacidade de refletir 96% da irradiação solar em condições ambientais similares ao de um meio-dia ensolarado. Desta forma, replica-se o efeito de um ar-condicionado.

Para os criadores, a produção em larga escala é relativamente fácil. A expectativa é que o sistema esteja disponível em breve no mercado, já que os custos de produção são baixos. “Demonstramos a rentabilidade de produção das películas. Nossas análises evidenciam que o metro quadrado do equipamento custa cerca de R$ 1,50 para ser produzido e, esse preço, inclui material, equipamento e mão de obra”, esclareceu Yin.

Você concorda com a possível substituição energética dos ar condicionados convencionais por essa película? Acredita que ela seria eficiente?

Fonte: Veja


publicidade

publicidade

  • Régis

    Manda o Link original, tenho interesse em testar