publicidade

publicidade

Saiba mais sobre a evolução histórica (e as infinitas possibilidades) das torres de água


A água é um elemento natural limitado no planeta Terra. Essencial à vida e à organização social humana. E, assim sendo, esse recurso também é considerado um bem econômico, que precisa de proteção, conservação e distribuição rigorosamente controlada. Aqui no Brasil, somente entre os séculos XIX e XX houve qualquer planejamento e integração de políticas e ações voltadas à questão da infraestrutura para saneamento básico, como o abastecimento de água.

Proposta para torre de água em Gasperich, Luxemburgo. (imagem extraída de Archello)

+ O abastecimento de água nas comunidades

No início dos tempos, as primeiras aldeias foram organizadas em torno dos pontos de água. Quando o número de pessoas reunidas num mesmo local passou a aumentar, algumas residências precisaram ser construídas em áreas mais distantes. Isso tornou muito mais difícil a tarefa de distribuir a água para todos. Por isso, com o passar dos anos, considerou-se as caixas d’águas ou torres de água como uma importante solução para evolução do sistema.

Hoje, os usuários abrem as torneiras de suas casas e têm a água disponível durante todo o dia. A maioria nem imagina quanta coisa está envolvida para o controle hidráulico e abastecimento de uma comunidade. Até a década de 1980, as caixas ou torres ajudavam a guardar a água e distribui-la na pressão necessária, por gravidade, para as edificações mais próximas. Atualmente, já existem sistemas de tanques subterrâneos e outros bem mais eficientes.

Torre de água em Bruxelas. (imagem extraída de I Love Belgium)

+ A importância das torres de água

As caixas d’água ou torres de água são elementos de engenharia muito importantes. Em muitas cidades, elas ainda representam um marco icônico, orientando a paisagem urbana e regulando o fluxo de água dos seus habitantes. Geralmente, são estruturas simples, puramente funcionais. Mas, podem ser também imponentes e exuberantes, possuindo características estéticas surpreendentes, refletindo a importância daquilo que é guardado em seu interior, o segredo da vida.

Torre de água, em Aveiro; e residência, em Ribeirão Preto. (imagens extraídas de Pinterest e Arcoweb)
Torre d’água em concreto, localização desconhecida; e Grand Central Water Tower, Midrand, África do Sul. (imagens extraídas de Pinterest e Phaidon)

+ A questão estética das torres de água

Nenhuma caixa d’água ou torre de água precisa seguir, necessariamente, uma forma tão rígida. O padrão cilíndrico ou retilíneo não é uma regra. As engenharias civil e hidráulica não são sempre estritas assim. A fragilidade do incomum pode, às vezes, surpreender. E é nos grandes desafios que o projetista encontra suas maiores oportunidades.

Claro que, se tratando das estruturas para abastecimento de água, é comum se ver construções mais pesadas, sem muito valor arquitetônico. Mas há as exceções. Nenhuma torre de água é igual. Todas as propostas apresentam sua singularidade. E, mesmo que não tenha sido a intenção do projetista, se tornarão um marco visual.

Caixa d’água do campus da UFPE, em Recife. (imagem extraída de Vitruvius)
Torre de água em estrutura de cimento, localização desconhecida. (imagem extraída de Marillys Mace)

Pensando assim, é mais fácil compreender quantas possibilidades, desafiadoras e maravilhosas, existem para que os projetistas possam enriquecer suas ideias, lançando propostas mais dinâmicas e atraentes, dentro desse contexto específico. Contribuições assim podem ser vistas, mais frequentemente, em obras internacionais. Mesmo as estruturas que foram reformadas ou recicladas, como é o caso das torres que ganham novas funções de uso, pode-se ver que a fusão entre elementos velhos e novos não afeta, em nada, a beleza e a integridade dessas construções.

Então, se você é um projetista, abra os olhos para essas possibilidades! Pense o quanto seu projeto impactará na evolução urbana de sua cidade.  Avalie bem se ele foi bem concebido. Se ele proporcionará um efeito positivo ou negativo à paisagem. E, sim, acredite que todo o elemento construído pode ser arquitetonicamente belo!

Torre de água de Glasgow. (imagem extraída de Collective Architecture)

Fonte: Marillys MaceI Love Belgium.


publicidade

publicidade