ColunistasDestaqueDestaque + Editor's PickDestaque + PopularesEngenhariaInovaçãoTecnologia

Drones: 4 usos incomuns!

0

Olhar para o céu e de repente ver um zangão pilotado por controle remoto tem sido cada vez mais comum. Isso acontece como consequência da versatilidade dos drones.

Inicialmente usados na agricultura, construção civil, segurança e inspeção, atualmente vem ampliando sua utilidade, então conheça 4 aplicações de drones ainda consideradas incomuns:

Limpeza de janelas

Há tanto a versão doméstica, quanto a industrial. A primeira é pequena, ao passo que a industrial é voltada para a limpeza de edifícios e painéis solares.

Oferece a vantagem de poupar o ser humano de tarefas de alto risco, além de transportar uma carga de até 200 kg e descarregar água através de um bico de pulverização a pressões de até 500 bar, ainda pode ser equipado com uma grande esponja na frente de sua estrutura e remover qualquer resíduo que não possa ser removido pelos jatos de água pressurizada. Veja mais em: https://www.facebook.com/tecmundo/videos/2194567070854743/

Delivery

Restaurantes estão fazendo testes para entrega de seus produtos via drone. Um dos primeiros foi YO! Sushi, rede de restaurantes com sede em Londres.

Através de um projeto piloto o restaurante serviu sua comida, no próprio restaurante, por meio do “iTray”, um drone com uma tampa plana onde um prato com comida pode ser colocado. O drone é controlado por um garçom, que está parado por perto, usando um iPad. Há também duas câmeras no drone que ajudam o garçom a guiá-lo até o local desejado.

Outras redes de restaurante com projeto semelhante são o Domino’s Pizza e o Sushi Namoto, que já testaram o uso de drones para o serviço de delivery.

Shows de luzes aéreas

Os drones tendem a substituir os fogos de artifício em espetáculos que contam com a presença de luzes aéreas. Isso já aconteceu nos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018 na Coreia do Sul e nos shows do intervalo do Superbowl de 2017 e 2019.

O uso de drones nesses eventos concilia arte e tecnologia e conta com o desafio de necessitar de um verdadeiro enxame desses zangões pilotados por controle remoto, sem falar da tecnologia necessária para sincronizar o posicionamento e o momento acionamento das luzes.

Entrega Amazon Prime Air

Bem antes da inimaginável pandemia acontecer, Jeff Bezos teve a brilhante ideia de proporcionar o delivery sem a necessidade de contato humano, tanto que já em dezembro de 2016 a empresa publicou o vídeo abaixo com a primeira demonstração de como os clientes receberiam seus produtos via drones.

Essa foi uma entrega via espaço aéreo que levou apenas 13 minutos para entregar a encomenda.

O projeto prevê que inicialmente os drones estejam limitados a entregar pacotes em um raio de 16 km. Para entregas em maiores distâncias, a Amazon está planejando construir uma rede de armazéns menores para os quais os pacotes podem ser repassados ​​até chegarem ao seu destino final.

Além disso, o projeto prevê a construção de um Centro de abastecimento aéreo, transportado por dirigíveis no céu, como mostra a imagem abaixo.

Croqui do centro aéreo de abastecimento de mercadorias da Amazon.

Veio para ficar

Esses zangões em forma de robô são o tipo de tecnologia que veio para ficar, mas claro que ainda há necessidade de aprimoramento quanto a segurança e assertividade na entrega.

Portanto,  nesse processo de aprimoramento a engenharia dá sua contribuição na programação do software e na aerodinâmica do dispositivo que é levado ao espaço aéreo, a fim de num futuro próximo, termos mais agilidade na entrega de produtos e vermos os drones em aplicações mais inusitadas.

Lílian Barros da Silveira
Engenheira e mestre em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal Fluminense. Possui treinamento na área de ensaios não destrutivos e inspeção de equipamentos. Foi consultora na Empresa Júnior Pulso Consultoria. Estagiou no setor de siderurgia e é atuante no mercado financeiro. Administradora do Instagram @Engenharia_Integral. É de Volta Redonda/ RJ. Adora ler, tem a meditação como um hábito e a corrida como prática esportiva.

    Crea-SP entrega mais modernidade e segurança com pagamento via Pix

    Previous article

    Tiangong-3: a nova estação espacial chinesa

    Next article

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    More in Colunistas