CarreiraColunistasEngenharia de AlimentosMercado de Trabalho

A Engenharia de Alimentos e suas áreas de atuação.

0

Se tem uma Engenharia que todo mundo quer saber o que faz, é a Engenharia de Alimentos. Basta dizer que atua nesta área para despertar as mais diversas e variadas curiosidades possíveis.

É tipo nutrição? É tipo gastronomia? Pode me passar uma receita de pão de queijo?

 

fried egg in bowl

E se você faz Engenharia de Alimentos e nunca ouviu esses questionamentos, pode ter certeza de que este momento ainda vai chegar.

Então, para não restarem mais dúvidas, confira abaixo algumas das infinitas possibilidades de atuação deste profissional e compartilhe com os amigos que ainda não conseguiram compreender.

Afinal, onde atua o Engenheiro de Alimentos?

Como já mencionado no artigo “Tudo o que você precisa saber sobre a Engenharia de Alimentos“, este profissional versátil está presente desde o campo até a mesa do consumidor, atuando em:

1. Pesquisa e Desenvolvimento

O Engenheiro de Alimentos é de longe o principal responsável pela grande variedade de produtos alimentícios encontrados nos mercados e pelas suas diferentes formas, cores, sabores, aromas e texturas.

high-angle photography of French macarons

Atuando também em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para produtos cada vez mais práticos, que atendam às novas tendências de consumo.

Ele também pode atuar na elaboração de embalagens e rótulos de produtos alimentícios, buscando sempre por novas tecnologias que possibilitem maior durabilidade acoplada à sustentabilidade.

E além disto, é este profissional que desenvolve estratégias para otimização de processos, garantindo melhor custo-benefício para as indústrias.

2. Controle e Garantia da Qualidade

O Engenheiro de Alimentos é quem se responsabiliza pela garantia da qualidade e da segurança dos alimentos em todas as etapas de produção.

Engenharia de Alimentos

Desde o transporte/recepção da matéria-prima e armazenamento/transporte de produtos acabados, ao atendimento às especificações dos clientes, treinamento dos funcionários, verificação, monitoramento e autocontrole das Boas Práticas de Fabricação, até à elaboração de um plano para análises de perigos e pontos críticos de controle (APPCC) de todo o processo.

É este profissional quem preza pela melhoria contínua do processo produtivo de alimentos.

3. Análises Laboratoriais e Sensoriais

O Engenheiro de Alimentos também garante a qualidade e segurança dos alimentos a partir da realização e acompanhamento dos resultados de análises microbiológicas e físico-químicas.

Engenharia de Alimentos

Estas análises seguem parâmetros estabelecidos por legislações vigentes para cada tipo de produto, sejam estas do Brasil ou dos países importadores.

Com relação às Análises Sensoriais, este profissional atua na padronização de aromas, sabores, textura e cores, para que o consumidor encontre sempre um produto uniforme.

4. Assuntos Regulatórios

A legislação é o que norteia e garante a padronização e segurança dos produtos alimentícios.

Desta forma, o profissional da Engenharia de Alimentos precisa estar sempre inteirado das legislações vigentes, seja com relação ao uso e a quantidade de ingredientes e aditivos para cada tipo de alimento, à rotulagem, às análises e seus limites aceitáveis, ao processo como um todo e também com relação aos parâmetros estabelecidos para o armazenamento e transporte de cada produto, como temperatura, umidade, luminosidade, tempo, etc.

Este profissional também pode atuar como Auditor na fiscalização de processos, garantindo que estes estejam em conformidade com a legislação vigente.

5. Projetos de Engenharia

É comum perguntarem o porquê de uma Engenharia destinada a alimentos e questionarem onde, de fato, entra a parte da “Engenharia” nesta profissão.

O que muita gente não sabe é que o Engenheiro de Alimentos, além dos cuidados destinados aos produtos e ao acompanhamento do processo industrial, também pode atuar em Projetos de Engenharia.

Engenharia de Alimentos

Ou seja, atuar na linha de frente com a idealização e projeção de toda a planta industrial e de seus equipamentos e maquinários. Estando sempre atento ao fluxo, a otimização de tempo, custo-benefício e também desenvolvendo pesquisas de mercado para dimensionamentos de equipamentos e instalações.

Afinal, quem melhor para idealizar e projetar tudo isso, se não alguém conhecedor de todo o processo, não é mesmo?

Desta forma, o curso disponibiliza disciplinas base de Engenharia, como Desenho Técnico, Termodinâmica, Fenômenos de Transporte, Mecânica, Resistência dos Materiais, as famigeradas Físicas e também, disciplinas mais específicas como Operações Unitárias, Projetos e Simulações de Processos Industriais.

6. Tratamento e Aproveitamento de Resíduos

A indústria de alimentos é responsável por gerar uma grande quantidade de resíduos que podem causar impactos negativos ao meio ambiente.

Desta forma o Engenheiro de Alimentos pode atuar com projetos e estratégias que minimizem estes impactos, a partir do tratamento destes resíduos.

Uma grande “sacada” deste profissional está no desenvolvimento de novos produtos a partir de subprodutos, isto é, o aproveitamento de produtos que seriam descartados.

3 yellow and red fruits

A exemplo têm-se o doce de leite produzido a partir do soro do leite, farinhas produzidas com sementes de frutas, diversos produtos cárneos industrializados a partir de Carnes Mecanicamente Separadas (CMS) de suas carcaças, e muito mais.

7. Consultoria

O Engenheiro de Alimentos que opta pela consultoria pode prestar diferentes serviços para os mais variados segmentos alimentícios, seja em lanchonetes, restaurantes, microempresas etc.

man in white button up shirt standing in front of fruit stand

Ao iniciar na consultoria alguns profissionais costumam ter dúvidas com relação a precificação.

Se você deseja saber mais sobre este primeiro serviço, vale super a pena clicar aqui.

8. Docência

Uma ótima opção também, é seguir carreira na docência. Tornando-se um excelente profissional e dedicando-se em repassar seus conhecimentos para que a Engenharia de Alimentos continue a formar bons profissionais, que prezem pela ética e pela valorização desta profissão tão importante para as famílias e também, para a economia brasileira.

Atribuições Profissionais

As atribuições profissionais do Engenheiro de Alimentos são estabelecidas pelo artigo 7º da Lei n.º 5.194/1966 e o artigo 19 da Resolução n.º 218/1973, de acordo com os artigos 26 e 27 da Resolução n.º 417/1998, do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea).

Saiba Mais

Enfim, para saber mais sobre a Engenharia de Alimentos, com conteúdo dinâmico, ilustrativo e resumido, clique aqui!

E não deixe de comentar o que achou deste conteúdo. Você já conhecia todas estas áreas de atuação profissional? Sentiu falta de alguma? Comente aqui!

 

 

Camila de Oliveira Inácio
Carioca, 27 anos, casada, mãe, formanda do curso de Engenharia de Alimentos no Instituto Federal Catarinense de Concórdia - Santa Catarina. Foi Coordenadora Estadual do Programa CREAjr-SC no ano de 2019, é entusiasta, visionária, solidária e amante da vida. Tem como propósito pessoal impactar positivamente a vida das pessoas, ama conversar, escrever, fazer novas amizades e garantir tempo de qualidade com quem estima.

Características comportamentais para atuar no Mercado Financeiro

Previous article

Mercado livre de energia: o que é e como funciona?

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Carreira