2

No artigo passado, sobre a tecnologia junto à acessibilidade (Aqui), abordamos um pouco sobre sua evolução. Porém, e quanto a nossa evolução  mediante ao tema? Hoje, falarei da Acessibilidade Atitudinal e porquê é a mais importante! Vem comigo!

Diferente do que muitas pessoas pensam, a palavra acessibilidade não se restringe apenas às pessoas com deficiência. Se ampliarmos nossa concepção e entendermos este conceito como a capacidade ou possibilidade de se acessar uma informação, local, serviço ou produto de maneira segura e independente, constatamos que todos nós – pessoas com ou sem deficiência – precisamos de acessibilidades durante a vida.

Assim, muito mais do que reduzir barreiras arquitetônica, a acessibilidade tem um papel social extremamente importante: eliminar a barreira entre as pessoas.

Acessibilidade

Afinal, o que é acessibilidade atitudinal?

A acessibilidade atitudinal pode ser entendida como a atitude individual de cada pessoa que vive em sociedade, pondo em prática o compromisso de tornar o seu ambiente mais acessível.

Esse tipo de acessibilidade – uma entre oito – busca levar conscientização de que, para alcançarmos uma sociedade melhor, é muito mais relevante que encaremos a própria acessibilidade como uma atitude, ou melhor, uma virtude que pode ser adotada.

Além disso, um ponto interessante é que a acessibilidade atitudinal também engloba a eliminação de preconceitos e estereótipos, uma vez que estes são exemplos de ações que não favorecem a inclusão.

Acessibilidade atitudinal no dia-a-dia

Workplace accessibility rules rolling out | Canadian HR Reporter

Se você nunca havia se deparado com este conceito antes, a acessibilidade atitudinal pode parecer algo estranho ou até mesmo distante. Porém, são inúmeros os exemplos de atitudes que representam este tipo de acessibilidade em nosso quotidiano.

Por exemplo, o RH de uma empresa que promove vagas para pessoas com deficiência, para negros, LGBT+, assim, promovendo a diversidade e inclusão; diretores de uma escola que resolvem fazer uma campanha para integração e conscientização dos estudantes; uma pessoa que participa de uma palestra sobre racismo a fim de aprender um pouco mais sobre o assunto.

Enfim, são pequenas coisas, mas que podem trazer um grande impacto!

E o que podemos fazer?

acessibilidade

Obviamente que as maiores mudanças sociais partem de grandes instituições como o governo, por exemplo. Contudo, podemos sim fazer nossa parte nessa luta. Afinal, são pequenos esforços, pequenos movimentos que somados deixam o mundo melhor.

E como podemos fazer isso? Bem, o primeiro passo é buscar aprender mais sobre a acessibilidade e como ela influencia a vida das pessoas.

Portanto, comece perguntando às pessoas com deficiência como você pode ajuda-las em situações cotidianas, no seu trabalho, na rua.

Lembre-se também que muitas pessoas possuem um comportamento inadequado, não por maldade, mas sim por ignorância. Assim, sempre que possível apoie campanhas de conscientização no seu ambiente de trabalho, na sua comunidade, no seu grupo de amigos.

Mas afinal… Por que a Acessibilidade Atitudinal é a mais importante de todas?

acessibilidade

Bem, no fim das contas, todas as dimensões de acessibilidade partem de um único princípio: a vontade de fazer o bem ao próximo. Por isso, a vontade de querer mudar e a atitude sempre vêm antes de qualquer mudança.

São essas pequenas ações diárias que promovem a acessibilidade entre nós e removem as barreiras entre as pessoas e deixam o mundo um lugar mais bonito e melhor para todos.


Ainda não segue o Blog da Engenharia no Instagram!?

Paulo César Santos
Paulo César é um ludovicense de 23 anos que atualmente cursa Engenharia de Produção na PUC Minas. Foi coordenador de uma ONG de voluntariado, cofundador e web designer da Virgo em 2019 e trabalhou como monitor em 2020, auxiliando outros estudantes de engenharia com algoritmos e programação. Adora tudo que envolve engenharia, gestão de projetos e tecnologia e acreditou que valia a pena compartilhar com mais pessoas um pouco do que anda aprendendo. Sabe escrever em linhas de código, mas há quem diga que pena pra escrever autodescrições.

A tecnologia de mãos dadas com a acessibilidade – PARTE 1

Previous article

ACESSIBILIDADE onde você nunca notou!

Next article

You may also like

2 Comments

  1. Muito bom @Paulo, realmente não tinha conhecimento do termo!
    Obrigado pelas informações compartilhadas.

  2. Eu que agradeço pelo tempo que disponibilizou para ler e comentar no artigo, Obrigado Lucas!!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *