0

Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho. Um assunto muito importante de ser tratado não apenas no mês de abril, mas sim a todo momento. E aqui quero levar você a refletir sobre o seu papel como Engenheiro(a) dentro desta perspectiva. Isso não é só tema para os especialistas em Segurança do Trabalho, você tem o papel mais importante dentro deste cenário daqui em diante.

Só você é capaz de fazer a diferença a partir de agora…

O DIA QUE FICOU MARCADO PARA SEMPRE

No dia 28 de abril de 1969 houve uma explosão numa mina no estado norte-americano da Virginia matou 78 mineiros. Em 2003, a Organização Internacional do Trabalho (OIT) instituiu a data como o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho em memória às vítimas de acidentes e doenças relacionadas ao trabalho.

Ficou então marcado no mundo todo esta data para a conscientização dos trabalhadores e empregadores quanto aos riscos de acidentes no trabalho. O que era um dia de luto pela morte, transforma-se em um dia de luta pela vida – uma data pela defesa do trabalho decente, mais seguro e saudável. A data foi instituída no Brasil pela Lei nº 11.121/05.

Mas o que isso tem a ver comigo?

Quero pedir a você, que neste momento faça uma reflexão… Pare um minuto e puxe aí na sua memória se conhece alguém que tenha sofrido algum tipo de acidente de trabalho… Pois é, eu também conheço, e não só uma pessoa, infelizmente.

Desde 2003 foi levantado um movimento mundial sobre o tema, mas o que será que de fato temos feito para fazer a diferença?

Registros mostram que a cada minuto que passa, no Brasil, um trabalhador sofre um acidente enquanto desempenha as suas atividades. Só em 2018, a Previdência Social registrou 576.951 acidentes de trabalho, mas aqui vale ressaltar que os registros da Previdência Social são somente para os trabalhadores que possuem carteira assinada.

E por causa disso a FUNDACENTRO (Fundação Jorge Duprat Figueiredo, de Segurança e Medicina do Trabalho) realizou uma pesquisa e estimou que se considerarmos os trabalhadores informais e os autônomos chegaríamos ao número de acidentes de trabalho sete vezes maior, o que equivale a quase 4 milhões de acidentes todos os anos.

UM DESLIZE PODE CUSTAR UMA VIDA

Os acidentes de trabalho ocorrem nos momentos em que agimos sem pensar, no descuido ou falta de conhecimento, ou até mesmo no momento em que não pensamos na vida e apenas na produção, quando estamos com pressa, quando não criamos hábitos prevencionistas. E o exemplo deve vir de casa, de nós mesmos.

Como engenheiros das diversas especialidades devemos reconhecer nosso papel dentro da prevenção de acidentes de trabalho, nós somos gestores, cabeças de obras e de vidas. Quando você coordena um serviço, administra uma empresa ou toca uma obra você é responsável por pessoas. Sua decisão pode impactar diretamente em uma ou inúmeras vidas. 

E neste dia quero deixar que você reflita como engenheiro ou estudante da área, e me diga o que você irá fazer de diferente para mudar o cenário que acabei de descrever acima?

Elaine Gonçalves
Engenheira de Segurança do Trabalho, Especialista em Segurança Contra Incêndio e Pânico, Mestranda em Engenharia pela Universidade Federal do Espírito Santo, Professora Universitária e Perita Judicial. Possui larga experiência atuando como Engenheira e Projetista há mais de 10 anos ativamente em todo o território nacional atendendo empresas públicas e privadas. Amo compartilhar conhecimento e uma das minhas metas de vida é ensinar meus alunos a se tornarem Profissionais de Excelência em Projetos de Prevenção e Combate a Incêndio, de forma simples e prática.

Segurança do Trabalho e Mineração: Um match necessário – Parte 2

Previous article

Segurança e saúde nas plataformas de petróleo

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas