1

Sabemos que atualmente, poucos são os profissionais que produzem conteúdos voltados para Agronomia com qualidade. E por isso trago esse artigo, para a semana das redes sociais do Blog. Então, bora conferir a importância das redes sociais na agricultura!

Redes sociais

Dados do país

Antes de mais nada, apenas 23% dos agricultores tem acesso à internet em toda a operação agrícola, como mostra em uma pesquisa da McKinsey & Company.

Outro dado que é muito importante em ser observado é da Embrapa, o qual mostrou que  57% dos produtores têm alguma rede social, onde se destaca o uso do WhatsApp, para obter ou trocar informações sobre a propriedade e insumos.

Podemos notar a deficiência da aplicabilidade de aplicativos no campo, como também a falta de tecnologia na produção como um todo.

Agricultura

No Brasil, 76% dos 5 milhões de estabelecimentos rurais, não tem nenhuma espécie de processo tecnológicos de produção. Assim as propriedades mais pobres geram renda de 2,5 milhões de reais para o país. Sendo que, estas são 67% das propriedades que compõem estes 76% dos 5 milhões de estabelecimentos rurais.

Mas Guilherme, como a tecnologia esta atrelada ao crescimento?

Inicialmente trago o dado que, mais de 60% do crescimento do setor no ultimo ano, está ao lado da tecnologia aplicada ao campo. Desde maquinário, adubos, irrigação, sementes e químicos. Assim com estudos é possível, produzir mais, na mesma área ou em áreas menores, com menos custos e mais lucros. Ou seja, maior lucro para os produtores, e menor preços aos consumidores finais.

Redes sociais

Mas segundo a própria Embrapa, a tendência dos estabelecimentos pobres aderirem as tecnologias são mínimas e desanimadoras.

“Essas tendências vêm caracterizando o desenvolvimento agropecuário brasileiro em praticamente todos os seus subsetores. Nos próximos anos, esse movimento de concentração da produção (e da riqueza em geral) no campo brasileiro continuará sendo observado ainda mais, tornando-se uma tendência irreversível”.

Mas GUI, como os profissionais podem mudar isso?

A primeira coisa é ver se se a propriedade tem capacidade de iniciar aos poucos em um mundo mais tecnológico.

Primeiramente, iniciar um controle da produção em uma planilha Excel por exemplo, já pode dar uma grande melhora e resultado. Mostre aos poucos como aplicar as tecnologias e como o vizinho as aplica e o grande resultado que ela trás. Os produtores amam a grama do vizinho, por isso muitas vezes um papo com este vizinho, pode trazer benefícios.

Além das tecnologias já citadas acima estarem em equilíbrio, ou seja, não adianta a semente ser boa e o adubo faltar, ou não passar por um déficit hídrico sem perdas altas de produção. Outra coisa que se torna importante é agregar valor do produto e subprodutos.

Agricultura

Exemplo, em uma propriedade leiteira. Além do leite vendido, pode-se agregar valor na produção de um queijo, por exemplo em Santa Catarina conquistando o selo de artesanal. Divulgação em redes sociais e valorização com turismo rural da propriedade e da produção como em outros estados.

Portanto, chegue com calma e mude por partes aplicando mais tecnologia ao campo. Estude as possibilidades de aplicar, dê pequenos saltos caso esteja difícil, mas não deixe de se manter atento as novidades do mercado.

E o profissional gui, o papel dele é só cobrar os agricultores?

Não!!! Claro que não, o profissional deve ser o exemplo. Deve além de se manter atento e cobrar, se manter inteirado do mercado. Logo, após sua formação muitas tecnologias surgem no mercado e este deve as acompanhar.

Mas Gui quais ferramentas posso utilizar para me manter por dentro atualmente?

Meu caro colega, atualmente temos por exemplo este próprio Blog, se você chegou aqui é porque você quer se manter por dentro e mudar. Conheça aqui demais artigos da Eng Agronômica.

Outras maneiras são os podcast, como por exemplo o PapoAgro podcast. Disponível no spotify. São papos com muita troca de informação sobre diferentes temas do setor, como herbicidas, estudos de caso, o próprio curso, e muitos outros. Além disso você pode acompanhar a Rede Agrocast, que são vários podcasts do setor.

Outra ferramenta que pode ser usado são as contas do Instagram, desde páginas independentes como os de próprias empresas. Assim, você pode acompanhar as novidades, lives, vídeos e discutir sobre os assuntos.

Assim, entram grupos de WhatsApp, Telegram e Facebook onde você pode compartilhar casos do dia, informações técnicas, tecnologias, livros e informativos. Como também trabalhos e estudos científicos.

Você também pode acompanhar aplicativos disponíveis para baixar em seu celular ou tablet para aplicar no campo. Como uso de GPS simples, Identificador de plantas daninhas, Informações do mundo agro.

Fique por dentro e divulgue materiais de nosso setor, acompanhe produtores de conteúdo e os ajude em seu crescimento. Leve e aplique tecnologias e redes ao campo. Seja diferente!


Você segue o Blog da Engenharia no Instagram?

Você me segue no Instagram? 

Acompanhe demais artigos aqui!

Guilherme Matos de Carvalho
Catarinense, 22 anos, formado em Técnico em Agropecuária (2016) e graduando em Engenharia Agronômica no Instituto Federal Catarinense Campus Santa Rosa do Sul- SC. Membro dirigente no CREAjr-SC na regional de Araranguá-SC, e Vice presidente no Centro Acadêmico de Agronomia em 2020. Ama o agro, ama escrever e ama se rodear de boas pessoas. Sonhador, fã de games e louco por conhecimento.

Do lixo ao teto: casas populares feitas de plástico reciclável

Previous article

O buraco negro das redes sociais

Next article

You may also like

1 Comment

  1. Galera gosto muito do trabalho de vcs. Estou participando de um concurso sobre ideias inovadoras. quem puder dá o like no meu vídeo eu agradeço:

    https://www.youtube.com/watch?v=nuWNS_xgqlg&feature=youtu.be

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas