BrasilColunistasEngenhariaEngenharia agronômicaSustentabilidadeUniversidades

Agricultura Quilombola

0

Antes de mais nada, é bom deixar claro que os quilombolas são grupos étnicos, sendo de predominância de população negra rural. São estes auto definidos por relações ancestrais, tradições, práticas culturais, relação parental ou com o território. Você conhece a agricultura quilombola?

Como parte de uma reparação histórica o Incra na esfera federal por força do decreto nº 4.887, de 2003 da o título dos territórios quilombolas para a garantia de sua reprodução física, social, econômica e cultural.

Originando-se de kilombo do idioma Angolano, significa acampamento ou local de pouso. No Brasil Colônia, a palavra foi adaptada para designar o local de refúgio dos escravos fugitivos.

Sendo assim, a política de regularização fundiária de Territórios Quilombolas é de suma importância para a dignidade e garantia da continuidade desse grupo.

Abertura área

Fonte: https://bitlybr.com/0K9G

História

Quilombo é uma espécie de comunidade, que era composta por escravos, ex-escravos no Brasil Colônia  e hoje por descendentes destes que ali viviam. O quilombo tinha um líder, que comandava e organizava as tarefas para todos trabalharem em prol da comunidade.

Eles viviam basicamente de agricultura, e da pesca para sobrevivência. Ali podiam viver com sua cultura, tradição e religião, apesar das condições que eram submetidos buscavam uma maneira de se manterem em contato com suas raízes.

Sendo que não era incomum que alguns senhores de engenhos contratassem homens armados para matar e capturar os quilombolas. E na história ocorreram vários combates, onde os quilombos sempre resistiam e faziam o possível para proteger o quilombo.

Um dos quilombos mais retratados historicamente e literalmente foi o de Palmares, com um dos seus líderes o ex-escravo Zumbi dos Palmares. Atualmente o país conta com quilombos remanescentes, os quais funcionam com os descendentes dos antigos quilombos, que muitas vezes lutam pelo direito de uso da terra.

Agricultura

Pela proximidade com a cultura indígena, a agricultura em grande parte é para subsistência, de forma simples trabalhando em grande parte com culturas do milho, mandioca, feijão e arroz. Por mais de 300 anos desenvolveram uma forma de produção no meio florestal, que aproveita dos resíduos naturais criados pela própria natureza.

Na floresta ou ambientes florestais, o acúmulo de material orgânico é muito grande. O qual garante um substrato nutritivo, com camadas férteis de mais de 20 centímetros. Por analise visual – conhecimento adquirido pelas gerações com observação de plantas e solo por exemplo- são escolhidas as áreas de plantio.

Sistema agrícola

Primeiramente é realizada a limpeza da área que raramente passa de um hectare. É realizada primeiro a limpeza da mata rasteira e esperado secar, para depois o corte de árvores maiores. Após a seca do material maior é feito a queimada.

Assim, o fogo é usado para abrir caminho para prática agrícola, e é precedida por chuva para garantir que a cinza seja usada como nutriente, infiltrando pelo solo. E começa o controle de pássaros, controle de daninhas e colheita, sendo essas práticas feitas em grupos.

A área geralmente é utilizada por dois anos e até por 4 safras de diferentes culturas, depois é abandonada e realizado a escolha de outro local. Prática essa que permite a recuperação sem um desgaste grande da área utilizada, onde a natureza sozinha consegue se recuperar.

Agricultura quilombola

Fonte: https://bitlybr.com/0K9G

Assim, por ser realizado em cima de camadas de materiais orgânicos e não no solo em si, o fogo não prejudica as camadas do solo e a morte dos microrganismos nele presente, e nem do banco de semente nativo do local, sendo considerado um sistema muito conservativo de nutrientes.

Esse sistema também é benéfico para a fauna, tradicionalmente são deixados alguma parte de “roça” para que os animais se alimentem, para que a “terra deixe boas próximas colheitas”. Além, que nos troncos podres, larvas crescem atraindo animais pequenos e assim sucessivamente.

Sendo então, desde pequeno que o sistema de plantio da agricultura quilombola é repassado de geração para geração, garantindo que essa cultura não deixe de existir. Logo, sabemos que engenheiros agrônomos não conheçam esses sistemas, sendo estes muitas vezes nem vistos em sala de aula.

Fauna

Fonte: https://bitlybr.com/0K9G

Engenheiros agrônomos

Mas, é importante conhecer esses sistemas de plantio, para que sempre forme opiniões embasadas sobre diferentes sistemas. Você viu em sala esse tipo de agricultura? Acha que deveria ser mais vista e conhecida? O que achou de conhecer o sistema da agricultura quilombola?

Enfim, com uma rica cultura as comunidades quilombolas estão presentes em diversas áreas do nosso país, ainda sofrem com a dificuldade no acesso à saúde e à educação. Então, valorize e espalhe a verdade, e bons conhecimentos sobre as diferentes formar de plantar.

Agricultura

Fonte: https://bitlybr.com/0K9G

Guilherme Matos de Carvalho
Catarinense, 21 anos, formado em Técnico em Agropecuária (2016) e graduando em Engenharia Agronômica no Instituto Federal Catarinense Campus Santa Rosa do Sul- SC. Membro dirigente no CREAjr-SC na regional de Araranguá-SC, e Vice presidente no Centro Acadêmico de Agronomia em 2020. Ama o agro, ama escrever e ama se rodear de boas pessoas. Sonhador, fã de games e louco por conhecimento.

Apagão no Amapá: Um dos desafios do setor de energia no Brasil

Previous article

Raio, Relâmpago e Trovão: A Engenharia Elétrica da Natureza

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Brasil