ColunistasDestaqueDestaque + Editor's PickDestaque + PopularesEngenharia Agrícolaengenharia agrômicaEngenharia Ambiental e Sanitáriaengenharia de materiaisengenharia de materiaisEngenharia FlorestalEngenharia IndustrialEngenharia MecânicaEngenharia Metalúrgica

Agronegócio: Aplicações de aços especiais

0

Que o agronegócio brasileiro é uma referência no mercado mundial, já não é uma novidade para a economia do país. A produtividade de nossas terras, cultivo de várias culturas o cuidado de nossa mão de obra e a qualidade de nossos produtos são fatores que colocam o país em posição de destaque como fornecedor de produtos agrícolas a todo o mercado mundial.

Portanto, objetivo deste artigo é explorar um ponto que fica oculto para a maior parte das pessoas e apenas os profissionais que trabalham especificamente em áreas de desenvolvimento de máquinas tem conhecimento e utilizam desta tecnologia para contribuir significativamente com a produtividade do agronegócio brasileiro.

As áreas de cultivo do país tem se tornado cada vez maiores, fazendas produtoras cada dia tem se expandido territorialmente, a disputa por terras produtoras nunca foi uma novidade no Brasil.

O objetivo é alcançar produção cada dia maior e conseguir abastecer o mercado nacional e internacional. Para isto, produtores têm investido em equipamentos capazes de atender com maior abrangência de área; equipamentos que sejam mais robustos, e ofereçam menores tempos de parada por manutenções, além de oferecerem menor consumo de combustível; são o maior desejo de grande parte dos produtores brasileiros.

Para quem esta externo ao universo de máquinas agrícolas talvez seja um questionamento que nem se passe pela cabeça. Mas como um equipamento pode ser robusto para atender à agressiva produtividade agrícola e ainda ser leve para contribuir para um baixo consumo de combustível? Ou mesmo para contribuir com maiores velocidades de colheita, transporte ou plantio?

O GRANDE DESAFIO

Este é o maior desafio dos fabricantes de máquinas agrícolas: disponibilizar equipamentos robustos e leves. Durante muito tempo a resiliência do aço (sua capacidade de se deformar e retomar sua característica inicial sem perder as propriedades),  foi a responsável por esta missão e colocou este material como a principal matéria prima na fabricação de máquinas agrícolas.

Porém este desafio tem se tornado cada dia maior, os aços convencionais de fabricação mecânica já não são capazes de atender aos atuais requisitos para fabricação de uma máquina agrícola de alta eficiência.

ALGUNS CONCEITOS TÉCNICOS

Um ponto que mede até onde um aço pode deformar e retornar ao ser estado inicial, é denominado limite de escoamento. Deformações que ultrapassam este ponto, já são responsáveis por modificações em geometria e propriedades do aço; como por exemplo empenamento de um chassi, amassamento de uma roda, empenamento de um eixo e diversos outros problemas encontrados no campo em máquinas agrícolas. Um segundo ponto que mede a deformação de um aço é denominado limite de ruptura.

Este já é responsável por maiores prejuízos na estrutura de um equipamento; como por exemplo um eixo que quebra, seu aço atingiu o limite de ruptura e o prejuízo já não pode ser recuperado, apenas substituído.

O conceito acima é o responsável por mudanças estruturais no aço, o que faz com que ele ainda seja a principal matéria prima na fabricação de máquinas agrícolas; porém agora, com o auxílio da tecnologia, máquinas agrícolas vêm cada dia mais utilizando de aços especiais em sua estrutura.

O mercado vem disponibilizando aços especiais de altíssimo limite de escoamento, o que resulta em uma estrutura de máquina com chapas menos espessas, portanto mais leves; e que podem deformar muito mais sem atingir seu limite de escoamento.

Claro que existem diversos outros fatores que contribuem para maior resistência da estrutura de uma máquina agrícola. A geometria de fabricação de seu chassi pode trazer resultados impressionantes quanto ao nível de resistência desta peça. Porém estes são recursos provenientes dos processos de fabricação e não são objetivo deste artigo no momento.

APLICAÇÃO DOS CONCEITOS TÉCNICOS ACIMA

A tecnologia vem melhorando a qualidade e características do aço para atender às exigências do agronegócio. Assim, aços de alta resistência mecânica são importantes aliados na busca por equipamentos resistentes aos esforços para trabalho no campo e leves para contribuir com alta produtividade, baixo consumo de combustível e pequena compactação do solo.

Algumas outras características ainda são exigidas, pois existem muitos outros problemas enfrentados pelos produtores da agricultura. Alguns deles são também solucionados por aços especiais, como o desgaste; um próximo artigo abordará aços de alta resistência ao desgaste; muito aplicados além da agricultura também na construção civil.

Certamente, a importância e características de um aço de alta resistência mecânica disponibilizada por trabalhos na estrutura do aço, apresentaram significativas contribuições para as construções do agronegócio. Resultados importantes são frutos destas características e um importante setor da economia tem sido impulsionado por esta tecnologia.

Robson José Santos
Natural de Belo Horizonte, 31 anos. Graduado em Engenharia Mecânica, pela Universidade de Itaúna, formação técnica em Mecânica pelo CEFETMG - CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE MINAS GERAIS. Atualmente morando em Campo Grande - MS; trabalhando em empresa onde desenvolve projetos mecânicos de implementos do setor florestal (preparo de solo e plantio de florestas). Executa serviços de projeto mecânico e detalhamento mecânico. Sendo o detalhamento mecânico a fase de projeto onde apresenta maior dedicação, acreditando ser a primeira forma de materializar o projeto e apresentá-lo aos próximos setores que darão continuidade à fabricação.

Chlorella: o superalimento usado até pela NASA

Previous article

Engenharia Aeronáutica: O que você precisa saber!

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas