2

Já se passaram alguns anos desde que iniciei a minha graduação e cada vez que menciono o curso que escolhi, muitas perguntas surgem sobre o curso e a atuação, perguntas como: peixe bebe água? existe esse curso?

Por coincidência, ao conversar com vários colegas, eles costumam receber os mesmos questionamentos. No artigo de hoje, selecionei para responder as perguntas mais clichês que os engenheiros de aquicultura ouvem.

peixe

Apesar de aquicultura ser praticada a muitos séculos atrás, o curso de engenharia de aquicultura comparado com alguns outros cursos, pode ser considerado recente. Atualmente, aquicultura vive a ascensão, cresceu o numero de demandas e investimento, dando um passo para torna-se mais conhecido.

Com a popularização da aquicultura, também surge diversas perguntas relacionadas a área, mas hoje eu vou esclarecer algumas perguntas:

Os Peixes bebem água?

Creio que “beber água” não seja muito bem a expressão correta.

Os peixes são animais aquáticos, diferente dos seres humanos, a água que é absorvida é usada com grande função na respiração e troca gasosa com o ambiente externo em que vivem

O peixe de água salgada, perde água para o ambiente em que eles vivem, possuem o rim pouco desenvolvido para diminuir a perda de líquido. Essa perda de água é motivada pela grande concentração de sal. O sal que é ingerido com a água é eliminado por intermédio de glândulas nas brânquias.

Para peixes de água doce, acontece o inverso. Os líquidos entram naturalmente por osmose. Anteriormente, havia uma alta salinidade na água, mas nos peixes de água doce, o sal é acumulado no corpo. Eles têm rins bem desenvolvidos e excretam o excesso de água na urina com baixos níveis de sal.

Peixe

Peixes não possui pálpebras.

Peixe pisca?

Essa é uma pergunta fácil, mas é algo que eu escuto muito.

Se olharmos para os olhos dos peixes é possível notar que não tem a presença de pálpebras, sendo assim, não tem como eles piscarem ou fecharem os seus olhos para dormir de olhos fechados.

Da mesma forma, os peixes nunca fecham os seus olhos, com exceção dos tubarões que possuem uma membrana, chamada nictitante, que protege seus olhos na água.

Outro fato interessante, os peixes possuem músculos diferenciados ao redor dos olhos, tornando as retinas aquecidas nas águas frias.

Peixe morre afogado?

Se classificarmos como afogamento como falta de oxigênio, a resposta é sim!

Assim como nós, os peixes precisam de oxigênio para sobreviver. Se o ambiente em que vivem carece de oxigênio, os peixes podem “sufocar” e morrer.
Compreendendo, o afogamento ocorre quando os pulmões se enchem de água e não podem receber a quantidade necessária de oxigênio.

Ou seja, o mesmo acontece com peixes, eles morrem por falta de oxigênio. Portanto, se não houver oxigênio na água em que os peixes nadam, os peixes podem “afogar”.

Existe esse curso?

A resposta é sim!

Como citado no inicio, o homem praticava a pesca desde muitos séculos atrás, mas com o passar dos anos foi aprimorando e com isso surgiu a necessidade de um profissional que suprisse as necessidades.

Conforme a graduação, os estudantes aplicam e estabelecem métodos e tecnologias para localizar, capturar e conservar tudo o que é produzido no meio aquático.

É a mesma coisa que engenheiro de pesca?

A Embrapa define a pesca como sendo baseada na retirada dos estoques pesqueiros do ambiente natural. A aquicultura, por outro lado, depende do cultivo de organismos subaquáticos, geralmente em espaços confinados e controlados.

A aquicultura é a mais rápida das atividades agropecuárias em termos de resultados produtivos e uma das poucas capazes de responder com folga ao crescimento populacional, o que pode contribuir para o combate à fome em todo o mundo, Segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Enquanto isso, a equipe de blog do Engenheira tem colunistas de ambas áreas. Eu Mayssa, graduanda em engenharia de aquicultura na Universidade Federal do Paraná (UFPR), e Ivanilson, formado engenheira de pesca na Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE), mestrando em aquicultura UFSC. Dentro de cada área, cada um possui suas competências e habilidades para suprir as necessidades do mercado.

Atualmente, os cursos de engenharia de aquicultura e pesca é distribuído por todo território brasileiro. Para o curso de aquicultura, são oferecidas 550 vagas em 11 instituições de ensino públicas e para pesca 1045 vagas em instituições públicas.


Como resultado, por ser um curso pouco popularizado e relativamente novo, é comum surgir diversas dúvidas, são essas e entre outras dúvidas que o engenheiro de aquicultura e também o engenheiro de pesca ouvem.

Gostou do artigo? Espero ter esclarecido algumas dúvidas e se surgiu outras deixe o seu comentário.

Acompanhe mais sobre engenharia da aquicultura no Instagram, siga @estudandoaquicultura.

Mayssa Nascimento de Oliveira
Estudante de Engenharia de Aquicultura na Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde realizou programa de voluntariado acadêmico no Laboratório de Produção e Reprodução dos peixes (LAPERP), atualmente realiza atividade de Iniciação Científica: Determinação dos coeficientes de digestibilidade aparente dos nutrientes e da energia de alimentos alternativos para macrobrachium rosenbergii. Crio conteúdo na minha rede social profissional de forma didática e acessível para todos. Adoro desafios novos e tenho como objetivo levar aquicultura para todos. Acredito que trabalho em equipe é conciliar várias formas de pensar para um só objetivo. Instagram: @estudandoaquicultura

Por que ventilar uma mina subterrânea? Parte-1

Previous article

Tratamento de efluentes industriais – Parte I

Next article

2 Comments

  1. Muito esclarecedor @Mayssa.
    Afirmo que algumas das dúvidas da maioria das pessoas também eram dúvidas minhas.

  2. Não conhecia a diferença entre a Engenharia de Pesca e a Aquicultura.
    Obrigado pelo artigo!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular Posts

Login/Sign up