ColunistasDestaqueEngenharia de Telecomunicação

Os “G’s” da telefonia móvel: Você sabe a diferença entre cada um?

0

Com a evolução dos telefones móveis, desde os famosos “tijolões” até os  smartphones, a rede de telefonia móvel segue o mesmo caminho, evoluindo e nos trazendo melhores serviços.

Entretanto, uma letra está presente nesse processo: o G. G significa generation (geração) e hoje vivemos a era do 4G (quarta geração) com a expectativa de chegada do 5G. Porém, você sabe a diferença entre cada geração?

Então, vamos conhecer cada uma e desmistificar os recursos que elas nos oferecem.

1G: O início de tudo 

Nascida no início dos anos 80, foi um marco na história das telecomunicações, pois a partir dali surgia o telefone móvel. Longe do que é hoje, a tecnologia 1G permitia apenas a realização de chamadas de voz.

Essa tecnologia chamava-se AMPS (Advanced Mobile Phone System), recebia sinais analógicos com interferência, que não proporcionavam um áudio de qualidade para quem realizava a ligação. Entretanto, vale  ressaltar o tamanho dos aparelhos, que eram muito grandes e pesavam cerca de 800g, o que dificultava seu transporte.

Primeiro celular fabricado na telefonia móvel

Foto: Theshoppers

2G: A era digital

A segunda geração de telefonia móvel, surgida em meados de 1990, trouxe uma melhora considerável na qualidade das suas chamadas. Recebia sinais digitais, que resolviam o problema de interferência presente na primeira geração.

Contudo, outro ponto precisa de destaque nessa tecnologia: a capacidade de envio de mensagens de texto, a tão famosa SMS (Short Messaging Service). Logo, essa tecnologia utilizava três diferentes sistemas:

  • TDMA (Time Division Multiple Access), considerado o primeiro  sistema de segunda geração e o primeiro adotado no Brasil;
  • CDMA (Code Division Multiple Access);
  • GSM (Global System for Mobiles), que trouxe consigo o cartão SIM (Subscriber Identity Module), popularmente conhecido como chip de telefonia, que possibilitou a fácil mudança de operadora telefônica com apenas uma troca de chips.

O advento da SMS

3G: A grande revolução da telefonia móvel

Essa geração de telefonia móvel foi o grande divisor de águas das telecomunicações, pois possibilitou ao seu usuário o acesso a internet por meio de um telefone.

Iniciada em 2001, através dessa tecnologia vários recursos antes não alcançáveis por telefones móveis foram possíveis, destacam-se: possibilidade de realização de videoconferências, acesso a recursos multimídia, download de arquivos, acesso a conteúdo web e muitos outros, uma verdadeira revolução na vida das pessoas.

Muitos recursos que um smartphone nos fornece só são possíveis porque, a partir do 3G, a internet existe nas redes móveis.

O acesso a internet através do 3G

Foto: jrregional

4G: Velocidade da informação

O termo que resume essa tecnologia é velocidade. Um ponto negativo que o sistema 3G apresentou aos seus usuários foi a velocidade de conexão, a rede 4G veio para resolver esse problema. Criada em 2010, trouxe taxas de transmissão de dados de até 1 Gbit/s, em teoria.

O 4G ampliou as possibilidades de ações que a tecnologia anterior nos trouxe, transmissões de vídeo em tempo real, jogar games online, assistir séries e filmes, tudo isso foi possível com esse novo sistema.

Utiliza a tecnologia de rede LTE (Long Term Evolution), que prioriza o tráfego de dados ao invés do tráfego de voz. Sua cobertura  atualmente é  98,1% dos municípios do país.

As altas velocidades do 4G

Foto: hftecnologia

5G: A Internet das Coisas

Se você não está familiarizado com esse termo, vou apresenta-lo. A Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) nada mais é do que uma rede em que tudo está conectado, cidades, smartphones, eletrodomésticos e até roupas, comunicando-se com a internet e o 5G está diretamente ligado a isso.

Os sistemas de telefonia móvel anteriores não foram projetados para um número tão grande de dispositivos conectados, o 5G vem com a promessa de ser a rede mais eficiente de todas. Com uma taxa de downloads de 20 Gbits/s e um controle do envio de dados, que evitará o risco de congestionamento da rede.

Entretanto, no Brasil atualmente, existe apenas o 5G DSS (Dynamic Spectrum Sharing), que nos fornece conexões de até 12 Gbits/s um pouco abaixo do 5G e por isso não é considerado o 5G real, embora utilizem o mesmo padrão de tecnologia, o NR ( New radio).

O futuro do 5G

Foto: cio

Contudo, as tecnologias da comunicação evoluem e transformam nossas rotinas, é notória a mudança de hábitos que esses avanços nos trouxeram e quanto mais eles se desenvolvem, mais facilidades aparecem em nossas vidas.

Portanto, o 5G é a promessa do futuro e estamos a uns passos de conseguir isso, a era das inteligências artificiais começou e logo tudo em nossas vidas será Smart.

João Carlos Batista de Oliveira
Pernambucano, 28 anos, estudante de Engenharia Elétrica de Telecomunicações, pela Escola Politécnica da Universidade de Pernambuco - POLI/UPE, sempre a procura de evolução. Adora escrever, entusiasta do conhecimento, sempre disposto a ajudar, criativo, cheio de objetivos na vida, amante do cinema e de viajar. Instagram: @joaocbatistaa

    Perdas, você sabe o que é isso em um Sistema de Distribuição de Água?

    Previous article

    Dassault Systèmes apresenta versão de SOLIDWORKS para Estudantes

    Next article

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    More in Colunistas