publicidade

publicidade

BDE Explica: o que é e quais as vantagens e desvantagens do concreto colorido?


Sem dúvidas, o concreto é uma das melhores invenções já realizadas na área da construção civil. A versatilidade desse composto permitiu a execução das mais incríveis obras de arquitetura e engenharia da história. Podemos ver sua empregabilidade em quase todo lugar, das menores às maiores estruturas. Normalmente, os projetistas preferem manter os tons naturais do material, variando do cinza ao marrom. Ou simplesmente revestindo-o. Mas não precisa ser, necessariamente, assim.

Existem, no mercado, excelentes alternativas de dar ao concreto uma aparência ainda mais inovadora. O tipo colorido ou pigmentado, por exemplo, é um recurso ainda pouco utilizado pelos profissionais brasileiros. Existe certa resistência de aceitação, principalmente por parte dos clientes, sobre a sua aplicação em ambientes comerciais ou residenciais. Talvez isso ocorra devido ao pouco conhecimento que se tem sobre essa técnica.

concreto_colorido_01-blog-da-engenharia
O concreto colorido ou pigmentado é um processo ainda pouco utilizado em projetos brasileiros. (imagem de Pixabay)

+ O que é concreto colorido?

O concreto colorido, assim chamado, nada mais é do que um material utilizado na forma aparente e com adição de corantes. Geralmente, as cores mais vistas são o ocre, o vermelho, o marrom e o preto – tendo melhor resultado combinado ao cimento branco. Mas, a cada dia existem novas opções. Os corantes em verde e azul, por exemplo, só são possíveis pela combinação de óxido de cromo e cobalto. Porém, isso pode custar 50% mais caro. Então, a decisão do projetista de qual a cor utilizar vai depender desse e de outros fatores.

Quando se consegue combinar, adequadamente, essa técnica à estratégia visual do projeto, o resultado é maravilhoso. O concreto colorido agrega muito valor às obras, dando um charme especial aos ambientes.  No geral, os projetos de reurbanização são os que, atualmente, mais o utilizam. Os usos ideais são em pisos, calçadas e marcações de áreas específicas. Mas existem muitos outros bons exemplos, inclusive aqui no Brasil, do uso em fachadas.

concreto_colorido_03-blog-da-engenharia
Praça das Artes, em São Paulo. (imagem de Paulisson Miura em Flickr)
concreto_colorido_02-blog-da-engenharia
Praça das Artes, em São Paulo. (imagem de Gabriel de Andrade Fernandes em Flickr)

+ Pigmentação do concreto

Sobre o processo, a pigmentação, preferencialmente, deve ser feita diretamente na betoneira, após a dosagem dos demais materiais que compõem o concreto. O indicado é misturar de um a um quilo e meio de pigmento para cada cinquenta quilos de cimento – melhor é o tipo Ari ou Pozolânico, que causa menos eflorescência. Toda essa mistura deve ser feita por agitação e pode ser realizada ainda na indústria ou na própria obra.

concreto_colorido_05-blog-da-engenharia
Para uma boa qualidade, deve-se ter um maior controle técnico, desde a produção da massa até a execução da estrutura. (imagem de Pixabay)
concreto_colorido_06-blog-da-engenharia
Exemplo de emprego do material em fachadas: Cidade da Justiça, em Barcelona. (imagem de Wikimedia)

Teoricamente, não há diferença de desempenho do concreto convencional para o colorido. Porém, alguns profissionais acreditam que a sua resistência seja menor, a não ser que se aumente a quantidade de cimento à mistura, o que reduziria a intensidade da cor. Portanto, para uma boa qualidade, deve-se ter um maior controle técnico, desde a produção da massa até a execução da estrutura.

É preciso ter muito cuidado também com a homogeneidade. O pigmento deve ser agregado por inteiro à massa. Depois, deve-se verificar a qualidade das fôrmas e realizar o processo de vibração do concreto. A cura deve curar em torno de sete dias – umedecendo, pelo menos em dois dias, com uma quantidade de água suficiente para cristalizar completamente o cimento. Depois de finalizado, pode-se aplicar uma proteção mecânica, como um verniz incolor.

Veja como é todo o processo passo a passo:

 

+ Vantagens e desvantagens

O concreto colorido pode ter um custo três vezes maior, em comparação com o convencional. A elaboração do seu traço é muito difícil, requer mais atenção. Para garantir uma boa mistura, as dosagens devem ser precisas, para evitar diferenciação de tons. A inserção errada de pigmentos, de água ou cimento pode alterar as propriedades do concreto. Algumas substâncias aglomerantes utilizadas são poluentes. Além disso, é comum aparecer eflorescência em materiais porosos ou mal compactados – mostrando coloração apagada ou esbranquiçada na superfície da peça.

Então, se é tão difícil garantir um processo eficiente, natural e homogeneizado, porque os projetistas ainda deveriam utilizar o concreto colorido?

concreto_colorido_04-blog-da-engenharia
Hotel Unique, em São Paulo – o processo de pigmentação permitiu que uma parede tivesse uma determinada uma cor do lado interno e outra do lado externo. (imagem de Wikimedia)

A beleza estética, de visual alegre e agradável, é apenas um dos diferenciais desse material. Com o uso do concreto colorido pode-se reduzir uma das etapas da obra, a do revestimento. Isso diminuiria o tempo de execução do projeto, amenizando seus custos finais. Por não precisar de revestimentos, como pintura, a peça apresentará maior durabilidade, sem tanta manutenção. E, além disso, o concreto colorido apresenta boa resistência contra a poluição, contra a ação solar e outras intempéries.

internet
Outros bons exemplos de edificações onde foi empregado o concreto colorido: Aliança Francesa, em Bogotá; e Plaza de la Libertad, em Medellín. (imagens de Wikimedia e Wikimedia)

Fontes: TéchneArchifeedsMapa da Obra.


publicidade

publicidade