publicidade

publicidade

BDE Review: Moto Z2 Force vem com tela que não quebra


Os smartphones estão sendo criados com cada vez mais tecnologia e design para atender as necessidades dos consumidores e conquistá-los. Depois de receber o Motorola Moto Z2 Play para testes, chegou a vez do Blog da Engenharia testar outro modelo da família: o Moto Z2 Force. O que um tem de diferente e de melhor em relação ao outro? Nós contamos a seguir!

Foto: Eduardo Mikail.

Dados técnicos

O Moto Z2 Force é um dos melhores da categoria. Ele conta com sistema Android, tela de 5.5 polegadas, resolução altíssima de 2560 x 1440 pixels e câmera de 12 megapixels. Entre as funcionalidades, destaque para o LTE 4G que permite a transferência de dados e excelente navegação na internet, além de conectividade Wi-fi e GPS presentes no aparelho.

Ele também vem com leitor multimídiavideoconferência, e Bluetooth. Vale o destaque para a memória interna de 128 GB com a possibilidade de expansão.

A espessura de apenas 6.1 milímetros torna o Motorola Moto Z2 Force um dos telefones mais finos que existem.

Foto: Eduardo Mikail.

Estrutura do aparelho

O painel frontal é praticamente idêntico ao do Moto Z2 Play, porém com o nome “Moto” logo abaixo da tela e o sensor biométrico multifunção um pouco mais “afundado” no corpo do dispositivo, o que ajuda a encontrá-lo.

É um pouco mais espesso que o Moto Z2 Play e conta com laterais mais arredondadas, encaixando na mão sem problemas.

Na parte traseira, há a principal novidade: o módulo duplo de câmeras com flash dual-LED posicionado abaixo. Ali fica também o laser auxiliar de foco e, mais abaixo, os conectores magnéticos para comunicação com os Moto Snaps.

Na lateral direita do Moto Z2 Force tem os botões de volume e energia – este último é texturizado para ajudar no reconhecimento quando você não estiver olhando para o aparelho. Já a lateral esquerda é lisa. Na parte debaixo tem apenas a porta USB-C, já que o dispositivo não possui entrada P2 para fones de ouvido. Acima da tela tem a câmera frontal e a saída de som, que funciona tanto para ouvir chamadas quanto como alto-falantes.

Quanto às dimensões, ele tem 155,8 mm de altura, 76 mm de largura e 6,1 mm de espessura. No peso, temos 143 gramas (20g a menos que na versão anterior), fazendo dele um modelo até bem leve para suas 5,5 polegadas de tela.

Foto: Eduardo Mikail.

Brilho da tela

A tela tem resolução ótima. Durante o dia, é possível aumentar o brilho e ver imagens até mesmo sob a luz do sol. No entanto, pode oferecer algum desconforto à visão a noite, pois o brilho mínimo da tela ainda é forte.

Câmeras

Na câmera dupla, quem faz a mágica é o processador Snapdragon 835, feito pela Qualcomm, que desde o seu antecessor vem com um sistema chamado Clear Sight. O que essa tecnologia faz é regular a função das duas câmeras. A monocromática permite um melhor desempenho em condições de baixa luz, enquanto a câmera colorida registra imagens com mais detalhes e destaques.

Em seguida, o software combina a imagem dos dois sensores, capturadas ao mesmo tempo, resultando em mais contraste, menos ruído e maior nitidez. De acordo com a Qualcomm, a função replica o funcionamento dos cones e bastonetes do olho humano, células responsáveis por processar a luz que entra pela retina. Os cones reconhecem as cores, enquanto os bastonetes reconhecem a luminosidade.

Com o app de câmera do celular, é possível tirar proveito do hardware para criar filtros diferentes para as fotos. Uma das funções puramente cosméticas da câmera dupla é o que a Motorola chama de “foco seletivo”, algo que outros smartphones com duas câmeras traseiras também fazem.

A câmera frontal não tem nenhum grande diferencial, sendo incluído um modo de embelezamento, HDR e panorama, além de ser possível manter o flash ligado para que você se posicione corretamente na hora da selfie, ou configurar para que ele ative apenas na hora do disparo da câmera.

Foto: Eduardo Mikail.

Pontos negativos

O smartphone ganhou algumas críticas em relação ao desempenho da bateria e à tela inquebrável. Apesar de ser extremamente resistente a impactos e quedas cotidianas, as camadas de plástico – que cobrem o painel AMOLED e fazem a parte frontal ser mais resistente – também deixam-na mais suscetível a riscos e arranhões.

A ausência de entrada para fones de ouvido também é algo que desagradou a muitos, assim como os arranhões na superfície de aço do celular, o que coloca sua resistência à prova.

Ainda assim, o Motorola Moto Z2 Force é um desses lançamentos com características inovadoras que o tornam uma excelente opção para qualquer tipo de utilização.


publicidade

publicidade