publicidade

publicidade

CEO do LinkedIn conta o que os recrutadores buscam em um candidato


Esse assunto é muito discutido entre os jovens, pessoas mais velhas, estagiários e – além de complexo – divide opiniões. Os conceitos têm mudado, até porque se o mundo está se desenvolvendo e se adequando, os recrutadores também precisam disso, certo? E você, tem ideia se o seu currículo é bem aceito pelas empresas?

Nem tudo o que achamos ser um currículo perfeito, com muitos cursos, boas escolas e diversas línguas são os itens mais avaliados nos processos seletivos. Claro, esses itens são verificados e se você escreveu que tem essas experiências, é necessário que você realmente tenha tudo isso. Porém, grandes profissionais têm opiniões diferenciadas sobre o currículo perfeito!

O CEO do LinkedIn, Jeff Weiner, recentemente discorreu sobre esse tema e apontou – em três palavras – o que, para ele, seria currículo perfeito: competências, não diplomas.

Jeff Weiner (AP Photo/Marcio Jose Sanchez, File)

Competência, não diplomas

Tudo que nós aprendemos e buscamos durante a faculdade é muito verdadeiro, claro, mas as empresas buscam mais do que isso. Hoje em dia, uma das competências mais solicitadas pelas organizações é o trabalho em equipe, que, nós sabemos, é muito complexo, pois para que ele ocorra de forma eficaz, é necessário resiliência, flexibilidade e muito amor pelo trabalho!

As empresas estão em busca de competências que ultrapassam o que foi aprendido em sala de aula.

Fonte: Pixabay.

O CEO do Linkedin, em entrevista para a Exame, afirma justamente isso: o currículo perfeito vai muito além de bons certificados. As empresas querem profissionais que tenham paixão pelo trabalho, brilho nos olhos, perseverança, lealdade e mentalidade de crescimento. Daí a importância das três palavras citadas por ele, dado que a maior parte desses requisitos não são aprendidos na sala de aula.

Profissionais escassos e mentalmente saudáveis

Em pleno século XXI, estamos acostumados com seres humanos competitivos, que passam por cima de qualquer um para cumprir uma meta ou conseguir uma promoção. Mas e um colega que tenha ética? Que seja criativo? Respeitoso? Que possua equilíbrio emocional? Que saiba se portar nas diversas situações? Esse sim é um profissional escasso, e isso não é ensinado na faculdade, na escola, em nenhum lugar, isso vem de casa, vem do ser humano, vem dos pais, vem do próprio profissional…

Fonte: Pixabay.

Por isso, não existe o currículo perfeito. Os conceitos solicitados pelos recrutadores têm mudado bastante e ultrapassam os certificados.

Atualmente, é preciso que o profissional seja diferente dos outros concorrentes, que são simplesmente competitivos e bem formados. As empresas buscam pessoas que sejam humanas, verdadeiras, bem relacionadas, respeitosas, com caráter, educadas, com excelente português, ágeis, com visão macro. Parece simples, mas a verdade é que essas características são muito difíceis de se encontrar.

Diversas vezes os profissionais são dispensados das empresas por falta de equilíbrio emocional ou por não saberem se relacionar. Às vezes a pessoa é competente, mas não consegue se relacionar com ninguém, é agressiva, não sabe conversar… Hoje, as empresas têm ânsia por profissionais mentalmente saudáveis.


publicidade

publicidade