0

Primeiramente, pense que você está em uma chácara, com muitas árvores, ar puro, um riacho com água cristalina, ouvindo apenas o barulho dos pássaros e das crianças brincando no quintal.

Agora, imagine essa sensação dentro dos grandes centros urbanos. À primeira vista, cidades sustentáveis parecem ser um sonho cada vez mais distante para muitas regiões do Brasil e do mundo.

cidades sustentáveis

Nesse sentido, quando falamos em sustentabilidade, logo pensamos em nos reaproximar da natureza, preservar os recursos naturais, desmatar menos, poluir menos e gerar menos lixo.

A Engenharia e os avanços tecnológicos vêm mostrando que é possível expandir economicamente e produzir bens de consumo utilizando o mínimo de recursos e com o máximo de eficiência. Mas como podemos mensurar o valor de uma cidade sustentável?

Quanto vale o futuro?

A princípio, podemos dizer que a percepção de valor é formada necessariamente por três fatores: desejo, necessidade e raridade.

cidades sustentáveis

Formação de valor. Adaptado de Tácito Quadros Maia – Presidente do IBAPE-PE

Na ausência de qualquer um desses fatores, não há percepção de valor. Isso explica porque é tão difícil fazer com que as pessoas percebam o valor dos recursos naturais e a necessidade imperiosa de preservar o meio ambiente, afinal, os recursos ainda não são escassos ao ponto de serem considerados raros.

Por outro lado, quando pensamos em longo prazo e falamos do futuro das novas gerações, nos deparamos com a incerteza de abundância desses recursos e é nesse momento que começa a despertar a noção de valor. Consequentemente, produzir cidades sustentáveis passa a ser questão de sobrevivência.

Cidades sustentáveis

Antes de mais nada, para construir cidades sustentáveis, deve-se começar projetando bairros que priorizem a eficiência energética, preservação ambiental e qualidade de vida. No Brasil, já é possível encontrar diversas soluções de bairros projetados com foco na sustentabilidade.

cidades sustentáveisBairro Quartier, Pelotas/RS

Para dizer que uma cidade é sustentável as moradias precisam observar, ao menos, esses quatro aspectos:

1 – Localização estratégica

Acima de tudo, o bairro sustentável deverá ser projetado em regiões que tenham o menor impacto possível ao meio ambiente, evitando a proximidade com áreas de preservação ambiental e mantendo o percentual máximo de áreas verdes. Além disso, deve-se observar ainda a concordância com o Plano Diretor da cidade e estar localizado próximo dos serviços essenciais, para reduzir ou evitar os deslocamentos com veículos motorizados.

2 – Eficiência energética e consumo racional dos recursos

É comum ver casas sustentáveis com painéis solares para geração de energia elétrica. Por outro lado, também é necessário reduzir consumo com soluções arquitetônicas que proporcionem ambientes mais iluminados e ventilados.

Para reduzir o consumo dos recursos hídricos, as casas deverão ter dispositivos economizadores de água; há que se pensar em soluções de reaproveitamento de água servida e água da chuva.

3 – Reciclagem e redução do desperdício de materiais de construção

Para a gestão eficiente dos resíduos é preciso gerar menos lixo e dar a destinação correta para o material descartado, reciclando sempre que possível.

Sob o mesmo ponto de vista, casas sustentáveis utilizam materiais que fogem do convencional, como bloco ecológico, telha ecológica, contêineres, bambu, adobe, madeira plástica e o steel frame. Produtos que agridem menos o meio ambiente durante a sua fabricação e geram o mínimo possível de resíduo.

4 – Revestimentos com materiais sustentáveis

Já é possível encontrar em lojas de materiais de construção revestimentos com material ecológico como tinta mineral natural, revestimento à base de resina, madeira de demolição, ladrilho hidráulico, pastilhas de garrafas PET e pastilha de coco.

Quanto mais itens ecológicos você usar no projeto e na construção de casas ou empreendimentos, mais próximos estaremos de uma cidade sustentável.

Valorização do imóvel

De modo geral, para determinar o valor de mercado de um imóvel, comparamos os seus atributos com as caraterísticas de outros imóveis encontrados na região. O imóvel valerá cada vez mais, à medida em que as suas características se destacarem no mercado e estejam entre as preferências do consumidor.

Dentre os itens que mais valorizam uma casa sustentável temos a energia fotovoltaica, o aquecedor solar, sistema de reuso de água e dispositivos economizadores de água, pois proporcionam economia direta nas despesas fixas do imóvel.

Da mesma forma, seguindo a lógica da tríade do valor, podemos dizer que bairros sustentáveis são raros, que há uma necessidade coletiva em preservar o meio ambiente e que as pessoas desejam melhor qualidade de vida.

Uma cidade sustentável pode ter um valor um pouco mais alto pra quem mora mas, sem dúvida, tem um valor inestimável para a humanidade.


Saiba mais sobre o mercado imobiliário e acesse o meu último artigo sobre o assunto, clique aqui.

Siga-me no Instagram: @engmelquizedeck.

cidades sustentáveis

Melquizedeck Souza
Baiano, 34 anos. Engenheiro Civil. Especialista em Planejamento, Gestão Estratégica, Auditoria, Avaliações e Perícias de Engenharia. Gerente de Habitação em uma das maiores instituições financeiras do Brasil. Professor de Pós-graduação e mentor de Engenharia de Avaliações. Já ajudou mais de 400 engenheiros, arquitetos e estudantes a dominar a arte da avaliação de imóveis. Melquizedeck é defensor da ideia de que o conhecimento deve ser livre e compartilhado com todas as pessoas.

Curitiba, a cidade mais sustentável da América Latina

Previous article

Sustentabilidade no mundo corporativo

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Arquitetura