CarreiraEngenharia Civil

Como funcionam as implosões de edifícios: Quanto maior a altura, maior a queda.

0

A idéia básica da demolição com explosivos é bastante simples: se você remove a estrutura de sustentação de um edifício em um ponto determinado, a seção do prédio acima daquele ponto cairá verticalmente sobre a parte abaixo. Se essa porção superior for pesada o suficiente, colidirá com a parte inferior com força bastante para causar danos significativos. Os explosivos apenas disparam a demolição. É a gravidade que traz o prédio abaixo.

Os engenheiros de demolição colocam cargas de explosivos em diferentes andares do prédio, de modo que sua estrutura caia verticalmente em diversos pontos. Quando tudo é planejado e executado corretamente, o dano total dos explosivos e o material do edifício caindo é suficiente para causar o colapso de toda a estrutura, sobrando apenas entulho para as equipes de limpeza.

O moinho Reading Grain, na Filadélfia: demolido pelo Controlled Demolition Group Ltd. no inverno de 1999

Para demolir um prédio com segurança, os engenheiros de demolição mapeiam previamente cada elemento da implosão. A primeira etapa é examinar os desenhos dos projetos do edifício, se eles puderem ser localizados, para determinar como o prédio foi construído. Em seguida, a equipe de demolição inspeciona o prédio várias vezes, tomando notas sobre a estrutura de sustentação de cada andar. Assim que recolhem todos os dados brutos de que precisam, os engenheiros de demolição bolam um plano de ataque. Com base nas experiências com edifícios similares, eles decidem que explosivos usar, onde posicioná-los no prédio e como temporizar suas detonações. Em alguns casos, os engenheiros de demolição podem desenvolver modelos 3D em computador da estrutura para testar seus planos no mundo virtual.

O principal desafio em demolir um prédio é controlar a maneira como ele cairá. Idealmente, a equipe de demolição será capaz de fazer o prédio desmoronar para um lado, sobre uma área de estacionamento ou outra área aberta. Esse tipo de explosão é a mais fácil de executar, e geralmente é o mais seguro. Derrubar um prédio é parecido com cortar uma árvore. Para tombar o edifício para o norte, os engenheiros de demolição detonam explosivos primeiro no lado norte do prédio, do mesmo modo que você daria machadadas em uma árvore a partir do norte se quisesse que ela caísse naquela direção. Os engenheiros de demolição também prendem cabos de aço nos pilares de sustentação do edifício para que eles sejam puxados de uma maneira determinada enquanto se desagregam.

lgumas vezes, no entanto, um prédio está cercado de estruturas que devem ser preservadas. Nesse caso, os engenheiros de demolição efetuam uma verdadeira implosão, demolindo o edifício de modo que ele sofra um colapso vertical sobre sua própria planta (a área total na base do prédio). Essa proeza requer tal habilidade que somente um punhado de companhias de demolição em todo o mundo tentará executá-la.

Os engenheiros de demolição abordam cada projeto de um modo um pouco diferente, mas a idéia básica é pensar no prédio como um conjunto de torres separadas. Eles posicionam os explosivos de maneira que cada “torre” caia em direção ao centro do edifício, quase do mesmo modo que colocariam os explosivos para tombar uma única estrutura para um lado. Quando os explosivos são detonados na ordem correta, as torres que tombam se chocam umas com as outras, e todo o entulho é reunido no centro do edifício. Outra opção é detonar os pilares no centro do prédio antes dos demais, de modo que as laterais do edifício caiam para dentro.

O Residencial Hayes Homes, em Newark, NJ: os dez prédios de apartamentos foram demolidos em três fases, ao longo de três anos. Mesmo que todos os edifícios tivessem exatamente o mesmo projeto, os engenheiros de demolição lidariam com as implosões diferentemente para cada fase. Essas torres foram demolidas por implosão pela Engineered Demolition, Inc. no verão de 1999.

De acordo com Brent Blanchard, perito em implosões da Protec Documentation Services, firma de consultoria de demolição, todo edifício no mundo é virtualmente único. E para um determinado edifício, há várias maneiras de a equipe de demolição implodi-lo. Blanchard comenta a demolição do Hayes Homes, um projeto de dez prédios de apartamentos em Newark, New Jersey, que foi demolido em três fases separadas ao longo de três anos. “Uma firma de demolição diferente efetuou cada fase”, diz Blanchard, “e apesar de todos os prédios serem idênticos, cada engenheiro de demolição escolheu um tipo ligeiramente diferente de explosivo e aplicou as cargas em números variáveis de pilares de sustentação. Eles até trouxeram os edifícios abaixo em diferentes seqüências matemáticas, com quantidades variáveis de tempo distribuídos entre cada colapso de edifício.

Falando de modo geral, os engenheiros de demolição explodem os pilares de sustentação principais dos andares inferiores e de alguns poucos andares superiores. Em um prédio de 20 andares, por exemplo, os engenheiros poderiam dinamitar os pilares do 1º e 2º andares e também do 12º e 15º andares. Na maioria dos casos, dinamitar as estruturas de sustentação dos andares inferiores é suficiente para o colapso do edifício, mas colocar cargas nos andares superiores ajuda a quebrar o material do prédio em pedaços menores à medida que ele cai. Isso facilita a limpeza do entulho depois da explosão.

Assim que os engenheiros de demolição determinam como configurar a implosão, é hora de preparar o edifício. Na próxima seção, vamos descobrir o que está envolvido nos preparativos pré-detonação e ver como os engenheiros instalam os explosivos para uma demolição sincronizada com precisão.

Via: HSW

Eduardo Cavalcanti
Engenheiro Civil de formação, empresário, e atua em diversos mercados. É aficcionado por tecnologia e está sempre em algum lugar diferente do mundo (sim, viajar está entre seus maiores hobbies). Já teve uma época em que não conseguia dormir sem assistir a um episódio do Netflix. Hoje, com o empreendedorismo pulsando em suas veias, usa praticamente todo o seu tempo livre consumindo conteúdos relacionados à cases de sucesso e ao mercado financeiro.

Lixeiras criativas

Previous article

Ambientes vistos do teto

Next article

Você também pode gostar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Carreira