ArquiteturaDestaque + PopularesEngenhariaEngenharia Civil

Como o movimento DIY está impactando a construção civil?

0

Uma casa é como um organismo vivo. Você pode passar boa parte do dia na rua, mas basta abrir a porta para encontrar uma série de ajustes a serem feitos: um pó sobre a mesa da sala, um chuveiro queimado ou uma prateleira que ficou um pouco torta. É um trabalho sem fim, sempre há algo a melhorar. E é nessas pequenas coisas que o movimento DIY está impactando (e muito!) no mercado.

Há algumas décadas, era muito comum sair a procura de profissionais que pudessem fazer esses pequenos reparos. Mas, com a internet e, principalmente, com a popularização do YouTube, as pessoas descobriram o valor do movimento Faça Você Mesmo, conhecido pela sigla DIY, do inglês “Do It Yourself“. Muitas vezes, vale mais a pena aprender a instalar uma prateleira corretamente, limpar a máquina de lavar ou pintar as paredes do quarto sozinho do que gastar para alguém fazer isso para você, não é mesmo?

Impacto do movimento DIY (Do It Yourself) na Construção Civil
Impacto do movimento DIY (Do It Yourself) na Construção Civil

Diversos canais no Youtube se tornaram bem conhecidos por tutoriais de obras até mais pesadas, como erguer um muro, resolver um problema de infiltração ou instalar o piso de porcelanato. Há até vídeos voltados especificamente para profissionais da construção civil, com dicas de como operar máquinas ou uma lista de “erros que todo pedreiro já cometeu”. Fato é que a internet democratizou totalmente o acesso à informação e pode ser bastante vantajosa para quem procura mais praticidade no dia a dia. Mas, é preciso ter consciência de que nem todo trabalho pode ser feito por alguém sem qualificação técnica. Não é só seguir um tutorial e executar, pois às vezes existem alguns detalhes mais técnicos que demandam conhecimento prévio.

Analisando mais a fundo esse movimento, podemos encontrar na origem uma insatisfação das pessoas com o trabalho oferecido por alguns profissionais no mercado – desatualizados, sem a qualificação necessária e muitos até sem o menor comprometimento com a atividade realizada. Não são a maioria, é claro, mas é possível perceber a urgência de atrair bons profissionais para o setor. Boa parte dos estudantes que se formam engenheiros civis não querem trabalhar como pedreiros ou mestres de obras. Eles almejam cargos dentro de escritórios, em construtoras e empreiteiras, por exemplo. Nos Estados Unidos e na Europa, a procura por quem realize trabalhos braçais é enorme. Consequentemente, a valorização desses funcionários é maior e o Brasil está no mesmo caminho.

Impacto do movimento DIY (Do It Yourself) na Construção Civil
Impacto do movimento DIY (Do It Yourself) na Construção Civil

É preciso estimular (e muito!) o jovem recém-formado a adentrar nessas áreas, resultando numa qualificação dos serviços e trazendo soluções modernas à construção civil. Isso é possível com boas condições de trabalho, remuneração adequada e cursos de capacitação.

Impacto do movimento DIY na Construção Civil

Mesmo reduzindo a necessidade de contratação de mão-de-obra, o movimento DIY também ajuda a construção civil ao movimentar o comércio. Ao perceber essa tendência, o setor começou a oferecer kits mais completos e baratos para quem deseja montar o produto em casa. Podemos citar como exemplo kits para deques de madeira, que podem ser facilmente encontrados pela internet. Além de não serem difíceis de instalar, são uma solução moderna para varandas e áreas com piscina.

Impacto do movimento DIY (Do It Yourself) na Construção Civil
Impacto do movimento DIY (Do It Yourself) na Construção Civil

A construção civil vem sendo impactada por diversos fatores, com forte influência da tecnologia. Mas é preciso ter em mente que o trabalho humano nunca poderá ser substituído completamente, independentemente de máquinas ou tutoriais no YouTube. É preciso conhecimento e habilidades técnicas para construir um imóvel ou realizar tarefas mais trabalhosas. Entretanto, chega a ser muito prazeroso concluir um projeto com as próprias mãos e, sem dúvidas, isso ficará ainda mais evidente nos próximos anos!

Essa pauta surgiu junto com o nosso amigo Wanderson Leite, fundador do Prospecta Obras, uma plataforma de relacionamento do segmento de construção civil, se você ainda não conhece o Prospecta Obras, dê uma olhada aqui.

Eduardo Cavalcanti
Engenheiro Civil de formação, empresário, e atua em diversos mercados. É aficcionado por tecnologia e está sempre em algum lugar diferente do mundo (sim, viajar está entre seus maiores hobbies). Já teve uma época em que não conseguia dormir sem assistir a um episódio do Netflix. Hoje, com o empreendedorismo pulsando em suas veias, usa praticamente todo o seu tempo livre consumindo conteúdos relacionados à cases de sucesso e ao mercado financeiro.

Criando o seu Mapa de Soft Skills – Etapa 1

Previous article

6 calculadoras e conversores gratuitos para estudantes e engenheiros

Next article

Você também pode gostar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Arquitetura