ColunistasCuriosidadesEngenharia AeronáuticaNotíciasTecnologia

Como ocorre a comunicação entre o piloto e os órgãos de controle?

0

A harmonia que acontece dentro do espaço aéreo se dá, principalmente, pelos centros controles presentes em solo. É por meio desses centros que ocorre toda a coordenação para que haja fluxo e segurança aos usuários, desde antes do embarque até a saída da tripulação no local de destino

Esse controle é feito basicamente por três posições: Torre de Controle ou Controle de Aeródromo (TWR), Controle de Aproximação (APP) e o Controle de Área (ACC).

TWR

É responsável por toda operação em solo do aeroporto. Dentro da Torre, também há subdivisões. Primeiramente, o piloto da aeronave entra com contato com o controlador de clearence para autorização do plano de voo.

Após essa aprovação, o contato é passado do controlador de solo, responsável por toda movimentação de aeronaves no solo, do pushback ao ponto de espera da pista. Então, é aí que ele entra em contato com a última posição da TWR, que autoriza o procedimento de decolagem.

O Controle de Aeródromo é responsável por uma área que compreende um diâmetro de, aproximadamente, 10 quilômetros ao redor do aeroporto, chamada de Zona de Tráfego de Aeródromo (ATZ).

Zonas

Zonas de Tráfego de Aeródromo (ATZ) dentro de uma Zona de Controle (CTR).

Controle de Aproximação

Depois que o avião perde o contato visual com o aeroporto de origem, a frequência de comunicação é mudada e entra em ação o APP. A partir daí, a aeronave para a ser acompanhada via radar.

O APP garante a segurança da Zona de Controle (CTR) e da Área de Controle Terminal (TMA), que abrange um raio de até 100 quilômetros de distância da pista.

CTR e TMA.

Por vezes, é considerado a posição mais crítica. Por quê?

Digamos que um ocorra alguma falha de comunicação na posição TWR. Como o avião sempre estará no solo, o erro será facilmente contornado, evitando acidentes fatais. Agora, se tratando de uma falha no APP, onde a aeronave esteja a uma determinada altura e com uma alta velocidade (realizando procedimentos de pousos e decolagens, que são momentos delicados do voo), pode ser que não tenha o mesmo desfecho.

Essa posição certifica que haja o mínimo de distância entre uma aeronave e outra nas áreas próximas ao aeroporto, assim como velocidades, altitudes e coordenadas para que possa ser passada até o próximo órgão. Ou seja, sequenciar todo o tráfego para o pouso, ao mesmo tempo que livra os aviões que estão saindo.

Atualmente, há 47 APP no Brasil.

ACC

Por último, se for considerar do início do voo até o cruzeiro, o ACC é acionado. É responsável pelo tráfego dentro das aerovias (AWY), controlando as Áreas de Controle (CTA) e Áreas de Controle do Espaço Aéreo Superior (UTA).

Zonas

Aerovias (AWY) no meio de duas TMA’s.

É responsável por cuidar dos voos em rota, se estão cumprindo os planos de voos e os corrigindo, quando necessário.

O território brasileiro é controlado através de quatro Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA).

cindactas

CINDACTA no Brasil.

Uma pergunta para o futuro (não tão distante): como será feito o controle do espaço aéreo para os carros voadores ?

Cayo César Nascimento Santos
Graduado em Engenharia Civil com ênfase em estruturas de concreto. Pretende fazer mestrado em Engenharia Aeronáutica. Atua na área de construção civil geral. Possui cursos de Matemática Aplicada, Orçamento de Obra, AutoCAD, Eberick, QIBuilder, Revit e Sketchup, desenvolvendo projetos em BIM.

    A Era da Experiência: tecnologia e sustentabilidade para um novo planeta

    Previous article

    Empresa NSS lança calçado de segurança para o dia a dia

    Next article

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    More in Colunistas