AquiculturaColunistasDestaque + Editor's PickDestaque + PopularesEngenharia de Pesca

Concentrado de microalgas: o queridinho dos aquaristas

0

No primeiro artigo sobre microalgas, falamos sobre o seu potencial como o “alimento do futuro” por ser funcional, saudável e altamente sustentável. Já no segundo artigo, conhecemos as aplicações de uma das espécies mais biotecnologicamente relevantes no mercado, a Chlorella. Neste artigo, vamos um pouco mais além e falaremos sobre a aplicação de concentrados de microalgas no aquarismo.

Portanto, se você é um aquarista ou deseja ter um aquário, mas não sabe qual alimento usar, este artigo é perfeito para você.

E mais uma vez aperte o cinto e vamos embarcar juntos nessa aventura e conhecer o grande aliado dos aquaristas!

 

Primeiramente, vamos falar da importância das microalgas para os organismos aquáticos!

As microalgas são organismos incríveis que têm aplicações em diversas áreas, desde funções básicas para o meio ambiente até para produção de cosméticos, fármacos e alimentação humana e animal.

As microalgas são a base da cadeia alimentar nos ambientes aquáticos, por isso são muito importantes para a criação de organismos aquáticos. Mesmo que seja em apenas uma fase do seu ciclo de vida, todos os organismos cultivados dependem de microalgas. Na fase de larvicultura, peixes e camarões dependem das microalgas já que eles se alimentam de zooplâncton. Já os moluscos, dependem das microalgas em todas as fases, sendo que nas fases iniciais, larvicultura e semente, as microalgas são produzidas em laboratório, enquanto na engorda os moluscos filtram as microalgas disponíveis no ambiente. 

Mas afinal, por que adicionar as microalgas nos aquários?

A adição de microalgas nos aquários marinhos melhora o crescimento, coloração e resistência a doenças dos animais. Elas atuam de duas formas complementares, como alimento direto para corais e outros organismos filtradores como tridacnas, que apesar de obterem energia através da fotossíntese feita pelas zooxantelas, ingerem ativamente plâncton. O outro benefício para os aquários é a proliferação da microvida, que também suplementa a alimentação de peixes e corais.

Essa microvida que citamos é composta por todos os organismos microscópicos que vivem nos ambientes aquáticos, que são os copépodes, anfípodes e rotíferos. Portanto, uma microvida alimentada com microalgas é altamente nutritiva e rica em lipídeos essenciais, pigmentos e proteínas. Além dessa função nutricional, também promove o bem-estar dos animais.

Pelo seu alto valor nutritivo, as microalgas também podem ser usadas para cultivo e enriquecimento de alimento vivo, e também para enriquecer a dieta de reprodutores, sendo imprescindíveis para a formação dos gametas.

Que maravilha! Então como faço para conseguir as microalgas?

Quem tem aquário marinho em casa que já teve alguma desova de peixes ou tentou fazer a larvicultura deles com certeza deve saber o quanto é trabalhoso manter toda essa estrutura de cultivo em casa. São cuidados com cepas, culturas, nutrientes e sempre acontece um imprevisto e a cultura morre.

Para facilitar o hobby de muitas pessoas, uma empresa recente no mercado conhecida como Algabloom, desenvolve alimentos para organismos aquáticos a partir de microalgas que já estão prontos para usar.

Esses alimentos são denominados como concentrados de microalgas e podem ser usados para diversos organismos aquáticos. São usados para facilitar o trabalho dos produtores e diminuir o risco de perdas em larviculturas devido a contaminações das culturas de microalgas.

Embalagem do concentrado de microalgas da Algabloom. Fonte: Rafael Sales.

Vale a pena usar concentrado de microalgas?

Como o nome já diz, o concentrado da Algabloom é cerca de 400x mais concentrado que as culturas de microalgas, então rende muito!

Cultivar microalgas dá trabalho e contaminações das culturas acontecem, já o concentrado é prático porque está pronto para usar, é só deixar na geladeira e dosar a quantidade necessária.

Praparamentos para a aplicação do concentrado de microalgas em aquários. Fonte: Rafael Sales.

Veja o vídeo a seguir e aprenda como usar o concentrado de microalgas da Algabloom.

Além disso, usar os concentrados de microalgas evita a introdução de patógenos e compostos nitrogenados e fosfatados provenientes do meio de cultura das microalgas, assim não sobrecarrega o filtro biológico e impede a proliferação de algas indesejadas. Para isso, os produtos são testados cientificamente.

Qual espécie é usada para fazer o concentrado de microalgas?

A Algabloom produz atualmente concentrados de Nannochloropsis, uma microalga muito usada para a larvicultura de peixes marinhos, rotíferos e artêmias. Além dessa espécie, também estão desenvolvendo concentrados de outras espécies.

Como surgiu a Algabloom?

A Algabloom foi fundada pelo Rafael Sales que estudou Oceanologia na FURG, fez mestrado em Oceanografia na UFPE e doutorado em Aquicultura na UFSC.

concentrado de microalgas

Fundador da Algabloom. Fonte: Rafael Sales.

Ele trabalha com microalgas a mais de 10 anos, e desenvolveu um concentrado de microalgas para uso na larvicultura de peixes marinhos. 

Ao ver o potencial desse produto para facilitar o trabalho dos produtores e garantir segurança e qualidade para promover o crescimento da aquicultura brasileira, ele decidiu fundar a Algabloom. Por ter trabalhado também com peixes ornamentais percebeu que o concentrado de microalgas também seria uma solução para os aquaristas marinhos terem aquários mais bonitos de forma simples e prática. 

Para mais informações acesse: @algabloom.


Artigo escrito pelo Colunista Ivanilson Santos e pelo Fundador da Algabloom Rafael Sales.


Siga @ivanilsonsnts e @algabloom para mais conteúdo e aproveite para conhecer mais sobre Engenharia de Pesca aqui.

Ivanilson Santos
Engenheiro de Pesca pela UFRPE, atualmente, é mestrando pelo Programa de Pós-graduação em Aquicultura da UFSC, onde é integrante no Laboratório de Camarões Marinhos/UFSC. Atuando em temas relacionados principalmente ao cultivo e nutrição de camarões marinhos, com ênfase em sistema de bioflocos e aditivos alimentares (bioativos) em dietas para camarões. Cristão, pernambucano, ama violão e xadrez e busca fazer a diferença no mundo, não apenas no âmbito pessoal e profissional, mas também semear conhecimento em prol da ciência, da sociedade e da conservação do meio ambiente. Instagram: @ivanilsonsnts

Nordeste: superando expectativas na geração de energia eólica

Previous article

Crea-SP realiza 105 mil ações de fiscalização em 480 municípios do Estado no primeiro semestre

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular Posts

Login/Sign up