1

A profissão de engenheiro de aquicultura, existe desde os primórdios da história da humanidade, quando nossos ancestrais começaram a cultivar para sobreviver. A história da aquicultura está intimamente ligada à ictiologia. As primeiras evidências dessas duas ciências datam de 4 mil anos atrás, quando os chineses e os egípcios, respectivamente, desenvolveram sistemas de cultivo de carpas e tilápias. Sob o mesmo ponto de vista, a China é considerada o berço da aquicultura.

Profissiomnl

Fonte: FreePick.

Como surgiu a graduação

Depois de  muitos anos mais tarde, o curso de engenharia de aquicultura surgiu de uma disciplina ofertada no curso de agronomia. Com a necessidade de explorar a costa extensa do país, e de grande potencial para o cultivo de organismos aquáticos.

O profissional de engenharia de aquicultura pode atuar em diversas áreas, em razão de possuir um território amplo e podendo atuar em diversas modalidades, por exemplo:

  • Algicultura – cultivo de algas;
  • Carcinicultura – cultivo de camarões;
  • Quelonicultura – cultivo de tartarugas e tracajás;
  • Malacocultura – cultivo de moluscos, mexilhões e ostras;
  • Psicultura – cultivo de peixes;
  • Ranicultura – cultivo de rã.

Evolução na aquicultura

Se compararmos desde quando surgiu, algumas coisas mudaram e continuam a mudar. Isso porque, o setor brasileiro de produção de pescado cresce sucessivamente. Visto que, o setor produziu cerca de 179 milhões de toneladas em 2018, e para o ano de 2030, estima-se que a produção deve aumentar para 204 milhões de toneladas, segundo dados FAO (2020).

Em razão disso, o profissional de engenheiro de aquicultura está vinculado ao novo cenário de globalização, realidades nacionais e internacionais, responsabilidade com sustentabilidade, rastreabilidade e mudanças organizacionais.

Inovações tecnológicas estão sendo desenvolvidas e aplicadas para solucionar problemas que anteriormente era o gargalo do setor, ainda assim, existe desafios da produção que reflete em todo setor.

Atualmente, encontramos uma realidade de globalização que estamos cada dia mais pensando nos recursos naturais.

O principal recurso da aquicultura é a água, com isso, exige profissional com qualificações para reduzir impactos ambientais e com responsabilidade para minimizar os custos da produção.

Desafios para o mercado

Mas visando os aspectos anteriores, quais são os desafios para um engenheiro de aquicultura?

Formação

Para muitos profissionais, o desafio já inicia na graduação com disciplinas de exatas. A dificuldade que muitos estudantes encontram com matemática básica em nosso país, reflete no receio de alunos ingressarem na engenharia. Os cursos de Engenharia apresentam um alto índice de evasão devido às dificuldades encontradas durante o primeiro semestre de treinamento.

Outro obstáculo, é quando finalizam a formação e se encontram com poucas habilidades prática, já que muitos graduandos encontram dificuldade em conciliar estágios e adquirir experiências.

Sempre se manter atualizado

É uma profissão que sempre está mudando, é muito importante que os profissionais estejam atualizados e buscando formas de aprimorar sua habilidade para que possam fazer a diferença no mercado de trabalho.

Algumas formas de se manter atualizado, seja por uma pós-graduação, cursos, especialização e até mesmo acompanhando as redes sócias do mercado.

Reconhecimento

Por ser reconhecida a pouco tempo, uma das grandes dificuldades que o profissional irá encontrar é o reconhecimento da profissão. Pois, compete com profissionais como engenheiro de pesca, biólogos, zoólogos e veterinários.

Responsabilidade

Um engenheiro de aquicultura carrega extensas responsabilidades, incluindo a social. O engenheiro dispõe de competências que capacita para construções de obras que possuem impactos relevantes na sociedade. Uma construção de tanques escavados, por exemplo, afetara não apenas no período de obras, mas deixara marcado por décadas no local, de forma positiva ou negativa.

Relacionamento interpessoal

Por fim, manter um bom relacionamento interpessoal é uma das principais dedicação para o engenheiro. Isso exige que os profissionais tenham uma boa comunicação, transmita uma boa imagem e tenha uma boa relação com os produtores e profissionais da mesma área ou até mesmo diferentes, manter networking.

Desta forma, os próximos anos vão demandar profissionais cada vez mais capacitados.

Ainda assim, com esses desafios a engenharia de aquicultura é uma profissão muito promissora. Em muitos casos, é gratificante terminar um trabalho – que muitas vezes finaliza a cada entrega de lote- e saber que está contribuindo para a sociedade de uma forma ou de outra.

Assim como todas as profissões, existem desafios, mas você pode superar esses obstáculos com dedicação e ter uma carreira de sucesso.

E para você, quais são os desafios da engenharia da aquicultura? Deixe seu comentário!

Acompanhe mais sobre engenharia da aquicultura no Instagram, siga @estudandoaquicultura.

Mayssa Nascimento de Oliveira
Estudante de Engenharia de Aquicultura na Universidade Federal do Paraná (UFPR), onde realizou programa de voluntariado acadêmico no Laboratório de Produção e Reprodução dos peixes (LAPERP), atualmente realiza atividade de Iniciação Científica: Determinação dos coeficientes de digestibilidade aparente dos nutrientes e da energia de alimentos alternativos para macrobrachium rosenbergii. Crio conteúdo na minha rede social profissional de forma didática e acessível para todos. Adoro desafios novos e tenho como objetivo levar aquicultura para todos. Acredito que trabalho em equipe é conciliar várias formas de pensar para um só objetivo. Instagram: @estudandoaquicultura

ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES- O que você precisa saber!

Previous article

ENGENHARIA EM AGRIMENSURA- Guia Da Engenharia!

Next article

1 Comment

  1. Muito bem abordado, Mayssa! Esse textinho precisa ser disseminado para muitos que não conhece a engenharia de aquicultura. Parabéns!!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular Posts

Login/Sign up