0

Talvez seja algo totalmente novo para você, mas hoje, 3 de julho, é o Dia Internacional Sem Sacolas Plásticas.

Esta data é uma oportunidade única de divulgar que um mundo sem sacolas plásticas é possível e que alternativas ambientais sólidas para sacolas plásticas descartáveis ​​estão disponíveis.

E neste artigo você vai entender a importância desse dia, bora conferir!

Mas antes, vamos entender a origem do plástico!

Com o decorrer da evolução humana, aprendemos a criar o plástico a partir de substâncias como o petróleo ou gás natural.

Durante muito tempo, utilizar sacolas plásticas era algo normal e aparentemente inofensivo. Você sabia que as sacolas plásticas foram criadas para proteger o planeta em 1959? Veja o vídeo a seguir:

Apenas recentemente descobrimos o real impacto causado pelos sacolas plásticas na natureza. Pois são feitas de um material altamente resistente e demora cerca de 100-500 anos para se decompor.

Contudo, a sacola plástica não é a vilã do meio ambiente, mas seu consumo excessivo é um grande problema ambiental.

Então o quanto produzimos de plásticos?

As pesquisas da @oceana estima que 1 milhão de sacolas plásticas é consumido no mundo a cada minuto, o que significa que quase 1,5 bilhão por dia e mais de 500 bilhões por ano, que acabam no lixo ao fim de meia hora de utilização, ou então no meio-ambiente, criando-se vastas ilhas de lixo plástico nos oceanos.

Portanto, a produção de sacolas de plásticas no mundo é imensa e a situação saiu do controle!

E foi por isso que o Dia Internacional Sem Sacolas Plásticas surgiu!

O Dia Internacional Sem Sacos Plásticos é uma iniciativa global que visa eliminar o uso de sacolas plásticas descartáveis ​​no mundo.

É uma questão de promover a preservação do meio ambiente, encorajando todos nós a ficar longe do uso de sacolas plásticas e, em vez disso, buscar alternativas mais ecológicas.

O dia também surge especialmente para ouvir o chamado do Oceano, pois plástico é o inimigo número um da vida marinha em todo o planeta.

Mas como assim o plástico é o inimigo número um da vida marinha?

Primeiramente, só para você ter uma ideia, cerca de 80% do lixo marinho é plástico.

Essa grande quantidade de plástico no Oceano impacta diretamente as espécies que ali vivem e, consequentemente, a saúde desses ambientes.

Os organismos marinhos interagem com as sacolas plásticas através da ingestão e “emaranhamento”. A ingestão de microplástico, já é observada em todos os níveis da cadeia alimentar, do zooplâncton até organismos superiores, inclusive os peixes que consumimos.

dia internacional sem sacolas plásticas

Fonte: Sea Shepherd Conservation Society (SSCS).

Sentiu o peso? Tenho certeza que sim! Mas isso é apenas a superfície dos impactos que o plástico pode fazer no ambiente marinho.

Mas afinal, existe alguma solução?

A primeira atitude que você pode adotar é RECUSAR a sacola plástica sempre que possível. Novos hábitos vão ajudá-lo nesta tarefa e o simples ato de dizer “não, obrigado” é o primeiro passo!

Saco de compras reutilizável de têxteis ecologicamente corretos ou comprador ecológico com a inscrição diga não às sacolas plásticas Vetor Premium

Fonte: freepik.

Caso não seja possível recusar a sacola plástica, entra em ação a segunda atitude: reduzir o consumo. Aproveite toda a capacidade da sacola, distribua bem as compras entre as sacolas e utilize apenas a quantidade necessária.

Mas se, mesmo assim, você ainda tem várias sacolinhas plásticas em casa? Então reutilize-as.

A outra alternativa é a reciclagem é uma das soluções. Porém, ao redor do mundo, os sistemas de reciclagem existentes ainda são precários e não funcionam como deveriam.

Por isso, o Dia Internacional sem Sacolas Plásticas, em tempo de Covid-19 e Década do Oceano, nos dá a oportunidade de lembrar a nós e aos outros que cada ação que tomamos e cada sacola que descartamos afeta a vida de todas as pessoas do mundo nas gerações futuras.

E você? O que tem feito individualmente e coletivamente para amenizar este desafio?


Siga o Instagram @ivanilsonsnts para mais conteúdo e conheça mais sobre a Engenharia de Pesca aqui.

Ivanilson Santos
Engenheiro de Pesca pela UFRPE, atualmente, é mestrando pelo Programa de Pós-graduação em Aquicultura da UFSC, onde é integrante no Laboratório de Camarões Marinhos/UFSC. Atuando em temas relacionados principalmente ao cultivo e nutrição de camarões marinhos, com ênfase em sistema de bioflocos e aditivos alimentares (bioativos) em dietas para camarões. Cristão, pernambucano, ama violão e xadrez e busca fazer a diferença no mundo, não apenas no âmbito pessoal e profissional, mas também semear conhecimento em prol da ciência, da sociedade e da conservação do meio ambiente. Instagram: @ivanilsonsnts

Mulher no canteiro de obra: dificuldade e superação

Previous article

Nova campanha do Crea-SP destaca importância do trabalho de profissionais da Engenharia, Agronomia e Geociências no cotidiano da sociedade

Next article

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Popular Posts

Login/Sign up