2

Se você é um estudante, daquele que mora em uma cidade e estuda em outra, que vive para lá e para cá sem rumo, e que se vira nos trinta para administrar trabalho, faculdade e vida social. Então é exatamente com você que eu vim falar! 

Infelizmente, muitas pessoas que sonham em fazer uma faculdade, não tem acesso a isso tão facilmente. Por vezes se submetem a viagens diárias, para poder estudar e dessa forma alcançar seus objetivos. Consequentemente, conforme os dias e anos vão passando, com essa rotina desenfreada, muitos estudantes acabam desistindo, outros não conseguem acompanhar devido ao cansaço físico e mental, e tudo se torna uma bola de neve. 

Logo, irei contar para você através de dicas, minha experiência como uma estudante nômade.  

Manhã, tarde e noite 

Primeiramente, antes de você se matricular precisa visualizar toda a logística diária que terá. Ou seja, com que tipo de transporte você irá chegar no seu destino, quanto tempo levará para chegar, que horas precisa sair, quanto tempo diário de viagem você terá em média, e principalmente se você trabalha, precisará encaixar tudo isso com suas outras responsabilidades. 

Dessa forma, verifique em qual turno será mais viável você estudar, levando em conta tanto seu rendimento, quanto sua logística diária. Por exemplo, eu iniciei meu curso no período da manhã, pois eu não trabalhava e além disso tinha ganhado uma bolsa de estudos para esse horário, então não tinha muita escolha. 

Em suma, eram em torno de quatro horas por dia viajando, acordava às quatro da manhã para chegar as sete na faculdade, e por fim estava em casa as três da tarde.  

Meio de transporte 

Provavelmente, você não é a única pessoa na sua cidade que quer cursar uma faculdade. Dessa forma, existem municípios que disponibilizam um auxílio transporte aos universitários, seja um ônibus ou ajuda de custo. Então, antes de tudo vale a pena você dar uma pesquisada se na sua cidade existe esse subsidio vindo do governo. 

Estudante

Fonte: Kelly Lacy

Caso essa opção não faça parte da sua realidade, o plano B é procurar uma empresa que faça transporte de uma cidade a outra unicamente para estudantes. A princípio, em regiões onde não existe universidades, algumas empresas de ônibus e vans fazem esse serviço especialmente para universitários que precisam fazer essa viagem diária, como foi meu caso. 

Porém, existe a possibilidade de os horários não baterem com os seus, dessa forma, sua opção é ir com carro próprio, o que eu acho sinceramente a opção menos atraente. Pois envolve custo mais alto, o cansaço será maior, sem falar nos riscos diários no trânsito. Mas, caso você não tenha outra opção, procure outros estudantes que vão para o mesmo lugar que você e ofereça carona com ajuda de custo. Dessa forma você terá companhia nas viagens e principalmente menos gastos. 

Administrando o tempo 

Caso você já seja um estudante viajante, já sabe o quanto é corrida essa vida de estar para lá e para cá. Porém, para você que pretende entrar nessa vida pois não tem outra opção, saiba que as 24 horas do seu dia não serão suficientes para tudo o que você precisa fazer. 

Primeiramente, para quem trabalha e estuda, essa não é uma tarefa nada fácil. É uma questão de acordar todos os dias as seis da manhã e voltar para casa quase uma da manhã. Já se imaginou nessa situação? Não? Então eu vou ser bem realista contigo, isso é muito normal, apesar de parecer quase impossível alguém suportar essa rotina de dormir de quatro a cinco horas por dia, entregar resultado no trabalho e dar conta das semanas de prova na faculdade. Uffa! Cansei só de lembrar… 

São no mínimo cinco anos da sua vida onde sua rotina precisa ser bem administrada, e aparentemente você se verá sem tempo pra um café aqui e um cochilo ali. Me desculpe se eu estou te assustando, mas você não será a primeira nem a última pessoa a passar por isso. Durante a faculdade você encontrará pessoas até em situações piores que a sua. 

Cuidando da saúde física e mental 

Se tem algo que eu queria que alguém tivesse me falado quando eu entrei na faculdade, seria: “sua saúde mental sempre é prioridade, e se alimentar bem vai te manter de pé por mais tempo”.  

Se você sai de casa as seis da manhã e voltará apenas de noite, não ache que vai sobrevir o dia todo com algumas bananas, algumas bolachinhas, umas barrinhas de cereal e uma jarra que café. Vai por mim, você estará jogando sua saúde física no lixo. Então, entre no espirito de autocuidado, e tire um tempinho para preparar marmitinhas para carregar contigo. De antemão, não ache que você terá dinheiro suficiente para sobrevier pagando lanches por aí. Dessa forma, não se sinta envergonhado em levar seu almoço, seu lanche da tarde e seu café da manhã.  

Estudante

Fonte: energepic.com

Em contrapartida, existe aquele ditado que se você não estiver bem mentalmente, automaticamente você não ficará bem fisicamente. Então, minha segunda dica para você estudante:

  • Preste atenção na sua saúde mental, não ache normal se você andar muito estressado, dormindo em qualquer canto, desanimado, não conseguindo comer ou comendo de forma impulsiva e principalmente ansioso;
  • Sobretudo, preste atenção nos sinais que seu corpo te dá, você melhor que ninguém o conhece, e saberá quando algo estiver errado. Ou seja, essa é a hora que você precisa parar, descansar, respirar e voltar.  

Separe momentos para você 

Lembro que logo no início da faculdade, peguei dependência na matéria de cálculo. Então, para repor essa matéria sem comprometer o resto da minha grade acadêmica, precisei me render a estudar no sábado. Ou seja, de segunda a sábado eu acordava às quatro da manhã e viajava até outra cidade para estar em uma sala de aula. Loucura? Hoje eu digo que sim, pois durante um ano minha rotina foi essa e eu me vi prestes a desistir, e prometi a mim mesma que nunca mais faria isso.

Sabe por que? Porque eu não tinha tempo para a minha vida, para mim, para colocar as coisas nos eixos, para ter meu autocuidado. Então foi aí que eu percebi que várias coisas podiam esperar, que eu não precisava dar conta de tudo sempre. Constantemente eu me sentia um robô, como se estivesse em piloto automático, como se não tivesse mais controle sobre meu corpo.

Estudante

Fonte: Ivan Oboleninov

Então, esquece daquele princípio de que você tem que estudar enquanto eles dormem e bla bla bla. Isso se chama “JOGAR SUA SAÚDE MENTAL NO LIXO”. Primeiramente, você precisa saber que seu corpo não é de ferro, ele tem muitas necessidades, e uma delas é que você tire pelo menos um dia na sua semana para se dedicar essencialmente em fazer NADA, além de dormir, ver um filme, ler um livro, e relaxar. Isso se chama descansar e se preparar para voltar. As coisas continuarão do mesmo jeito que você deixou.

E para não ser mais um estudante viajante?

Nesse momento, quero falar do plano B que muitas pessoas recorrem para não precisarem passar pelos perrengues de viagens diárias. Ou seja, mudar de cidade e morar mais perto da universidade. No entanto, essa realidade não é acessível para todo estudante, pois envolve principalmente investimento financeiro, ou seja, trabalhar para se sustentar ou ter ajuda da família. O que aparentemente parece ser uma tarefa fácil, mas não é.

Do mesmo modo que trabalhar e estudar não é fácil, trabalhar para ter que obrigatoriamente se sustentar é mais difícil ainda. Dificilmente durante a faculdade você conseguirá um emprego na sua área, que te possibilite pagar aluguel, se alimentar, e se manter durante o mês. Dessa forma, muitos recorrem a outros empregos para poder sobreviver perto da faculdade, porém infelizmente muitas vezes acabam desistindo. Pois não é fácil estar longe da família, ter que manter o emprego e dar conta da faculdade.

Então, no meu caso, nos meus seis anos de faculdade sempre morei na minha cidade e viajava todos os dias. Felizmente, eu consegui estágio no primeiro ano, e depois não parei mais, sempre trabalhei. Dessa forma, era inviável eu largar toda aquela experiência que eu estava tendo ali para me arriscar em outra cidade. Ou seja, eu decidi que me esforçaria ao máximo para manter as viagens.

Sobre valer a pena

Em suma, ser um estudante viajante é muitas das vezes assustador, pensar no risco que você corre todos os dias ao sair de casa, nas vezes que chega na faculdade e sua aula é cancelada em cima da hora, da logística apertada que você tem que fazer para aproveitar as horas de viagem e estudar para aquela prova que não deu tempo antes. Além disso, ter que lidar com as frustrações do dia a dia e da montanha russa que é a vida. 

Mas deixa eu te contar uma coisa, eu sobrevivi e estou aqui para te dizer que vale a pena! Então, sinta-se orgulhoso por lutar tanto por você e pelos seus objetivos, pois para um estudante viajante tudo vem em dobro, tanto as coisas ruins quanto as boas. E no final de tudo, você terá muita história para contar! 

A faculdade é uma luta né? Por isso cuidar de você é essencial, só assim estará pronto para a próxima luta que virá pela frente! Sabe qual será? A busca pela empresa dos sonhos, e o Blog da Engenharia vai ter ajudar a dar conta de mais essa fase!

Pamela Thaís Licheski
Sou Engenheira Civil, catarinense com 23 anos. Atualmente atuo na área de saneamento na região do Mato Grosso, com atividades de combate a perdas, supervisão operacional e georreferêciamento. Além disso, possuo vasta experiência na área de projetos e posso dizer que tenho muita história da faculdade para contar. Li recentemente em um livro, que não precisamos ter sucesso para sermos felizes, mas precisamos ser felizes para ter sucesso. Acredito que é a felicidade que impulsiona o sucesso. Então que sejamos felizes no que escolhemos fazer no mundo! Instagram: @pamelathaiss_

Cursos e competências necessários para ingressar no mercado de trabalho.

Previous article

Soft Skills: tornando-se um Engenheiro Completo.

Next article

You may also like

2 Comments

  1. […] a prevenção ao suicídio. Antes de tudo, você que está aí lendo esse artigo, é um estudante de engenharia e está se sentindo perdido em meio ao caos, que é conciliar a faculdade e saúde mental. Então, […]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas