publicidade

publicidade

Em iniciativa inédita, alunos de engenharia, administração e economia se unem para criar um carro


O que levaria alunos de engenharia, administração e economia a estudarem juntos? A resposta está na disciplina de Valeu Chain and Business Ecosystems Management do Insper, que visa estimular os estudantes a entenderem a cadeia de valor de uma empresa, incluindo diferentes setores e funcionários.

Na prática, a disciplina ministra o funcionamento da cadeia de valor de uma empresa. “Muitos alunos chegam ao curso sem ter uma perspectiva de como é a estrutura de uma companhia. A proposta da Value Chain é explicar como analisar a cadeia de forma mais integrada, estendendo o olhar dos fornecedores até a venda do produto”, comenta o professor Luiz Vieira.

Para isso, os professores  usam os laboratórios FabLab e TechLab para lançar um desafio aos alunos: a criação de um carro em miniatura. A proposta mistura conceitos dos três cursos oferecidos pela escola. Tudo para que os estudantes se acostumem a trabalhar com diferentes áreas, assim como ocorre no mercado de trabalho.

 

Foto: Insper.

MAKE a car

Na prática, os estudantes são divididos em grupos com alunos dos três cursos, além de intercambistas. Os jovens foram instigados a criar o carrinho mais resistente, elegante e que percorresse a maior distância. Quem fizesse o melhor modelo não só teria uma boa nota, mas venceria uma competição apelidada de MAKE.

Durante o processo, os alunos aprendem a trabalhar em grupo e com pessoas de áreas diferentes. A ideia era pegar um motor mecânico que armazena energia e torná-lo mais eficiente, além de pensar no design do carrinho. Em seguida, grupos eram selecionados e precisavam redesenhar o carro e entregar uma solução que fosse mais eficiente.

 

Foto: Insper.

Saindo da zona de conforto

A proposta é fazer com que os alunos saiam da zona de conforto. “No começo, cada um cuidava de seu setor. Ainda existia aquele pré-conceito: ‘não sei projetar, vai você que sabe’. No final da primeira etapa, os estudantes perceberam que era necessário romper essa barreira para entregar o projeto a tempo”, lembra o professor.

Segundo o aluno Lucas Gandin, isso é uma oportunidade de aprender a trabalhar com o maquinário presente nos laboratórios, sem contar que, quanto mais diferentes são os backgrounds das pessoas, melhores são as discussões em sala e, consequentemente, maior é o aprendizado e o interesse que os alunos têm pela aula.

A disciplina marca um momento inédito da instituição. Além de ser a primeira vez que diferentes cursos se unem para uma mesma matéria, permite que os alunos escolham uma matéria eletiva. Saiba mais aqui.