publicidade

publicidade

Engenheiro desenvolve mecanismo de reconhecimento facial para ajudar seu gato a entrar em casa


Quem tem gato sabe que os felinos passam uma quantidade excessiva de tempo observando. Por isso, não é de se surpreender que alguém tenha inventado um jeito de fazer o inverso e adaptar os mecanismos de vigilância para inverter o jogo e fazer com que os donos passassem a poder observar os gatos.

Depois de anos assistindo um gato do bairro andar ao redor de seu quintal, Arkaitz Garro, engenheiro da WeTransfer na Holanda, resolveu inovar. Ele e sua esposa “se tornaram amigos” do gato e depois souberam que ele, cujo nome é Bobis, não era um animal perdido, mas sim pertencia à sua vizinha.

Crédito: Arkaitz Garro

Como funciona

“Bobis desenvolveu um cronograma onde ele vem à nossa casa em horários específicos e queríamos ser notificados quando ele estava por perto, para que pudéssemos abrir a porta de trás para ele”, revelou Garro.

Garro decidiu desenvolver um sistema de reconhecimento facial para gatos. O dispositivo é feito a partir de uma pequena câmera e um programa de detecção de movimento instalado no mini computador Raspberry Pi. Quando a câmera detecta movimento, leva uma foto e envia a foto para o AWS Rekognition, uma plataforma de reconhecimento de imagem baseada na nuvem que é gratuita. Rekognition, em seguida, compara a foto tirada pelo computador com outras fotos do mesmo gato e, se coincidem, Garro recebe um alerta no celular, deixando-o saber que o Bobis lá fora quer entrar.

De acordo com o engenheiro, toda a instalação custou apenas US$ 50 e levou algumas horas. “É quase 100% confiável quando o gato está olhando a câmera”, disse Garro.

Disponível para compra

Se você não faz muito o tipo engenheiro e não entende nada de eletrônica, mas ainda assim gostou da ideia, você pode utilizar o dispositivo de reconhecimento facial para animais que foi desenvolvido pela Microsoft. O dispositivo liga-se à sua porta para permitir apenas que os animais de estimação possam atravessar o acesso à porta. Se a tecnologia de reconhecimento facial determinar que o animal é “ele mesmo”, ele pode passar.

Fonte: Mother Board


publicidade

publicidade