0

A maioria dos profissionais de eventos tem interesse em reduzir o impacto ambiental de seus empreendimentos. Embora cada vez mais vejam as questões verdes como agregação de valor à sua marca, muitas vezes temem que isso agregue tempo e despesas adicionais. Bora conferir sobre o Rock in Rio!

ROCK IN RIO, MAIS QUE UM EVENTO, UMA EXPERIÊNCIA DE SUSTENTABILIDADE

rock in rio

Eventos e sustentabilidade

Primeiramente, os eventos culturais, pelo grande público que aglomera, tem o potencial de alertar a população sobre as causas globais. Planejar um evento sustentável, além de cuidar do meio ambiente, pode ajudar a reduzir custos e a melhorar a imagem institucional.

Um evento sustentável deve ser estruturado em ações sustentáveis, que são representadas por três pilares: social, ambiental e econômico.
  •  Pilar SOCIAL: sustenta a abordagem para campanhas de reciclagem, de exposição de artesanato local, contratação de mão de obra temporária local para benefício da cidade e sociedade.
  • Pilar AMBIENTAL: é o mais complexo, pois se trata de utilizar recursos e materiais de forma consciente, não afetando o meio ambiente e evitando desperdício. Os organizadores, stakeholders, participantes e fornecedores precisam estar engajados e envolvidos em adotar atitudes que diminuam ou eliminem os impactos negativos.
  • Pilar ECONÔMICO: visa incentivar a economia local, gerar renda e emprego aos fornecedores, comunidades e profissionais.

rock in rio

ISO 20121 – Sistema de Gestão de Eventos Sustentáveis

Assim, a partir de 2012 foram criadas recomendações para a organização de eventos sustentáveis, sendo desenvolvidas e sistematizadas normas pela ABNT com a ISO 20121.

A qual trouxe orientações aos organizadores e proprietários sobre o sistema de gestão e a busca da melhoria contínua, destacando a importância do planejamento e identificação de questões voltadas ao desenvolvimento sustentável, considerando os aspectos ambientais, sociais e econômicos.

A exemplo disso, o Rock in Rio recebeu a primeira certificação ISO 20121 – Sistema de Gestão de Eventos Sustentáveis da América Latina, esta certificação reconhece as diversas ações desenvolvidas, antes, durante e após o evento, com o intuito de minimizar os impactos negativos e potencializar os positivos, apresentando o compromisso do festival com relação aos impactos socioambientais.

Rock in Rio X  Sustentabilidade DEU MATCH!

Pode-se dizer que cada brasileiro gera aproximadamente 1,4 kg de resíduos por dia, dos quais 60% são orgânicos e 40% são materiais recicláveis ou rejeitos sem utilização possível.

Em grandes eventos essa média muda drasticamente, o Rock in Rio por exemplo, em 2019 teve o público total de 700.000 mil pessoas, que geraram um montante de 350.000 Kg de lixo nos sete dias de festa.

Isso significa que, a cada 5 horas de evento cada a pessoa gerou o equivalente 0,5 Kg. Considerando a media de resíduos produzida por hora, a estimativa diária para cada pessoa seria então de 2,4 Kg de resíduo!

Ou seja, cada pessoa em sua rotina diária gera aproximadamente 1,4 Kg de lixo, mas quando está em um evento produz quase o dobro!

Pensando neste e em outros agravantes que os eventos podem trazer ao meio ambiente, o Rock in Rio, evento com 36 anos de história, desde sua 3ª edição demonstra preocupação com as causas socioambientais.

Assim, mobilizando as pessoas através do poder da música levantou a bandeira “Por um mundo melhor”.

O projeto consolidado em 2001, levanta a bandeira da sustentabilidade, procurando reduzir o impacto ambiental de suas principais atividades por meio de várias ações, entre as quais:

rock in rio

 

Amazonia live

O Rock in Rio está contribuindo com a restauração de 73 milhões de árvores, no que pode ser chamado de o maior reflorestamento da Amazônia.

São 30 mil hectares em seis anos, uma parceria com o Banco Mundial e outros grandes fundos ambientais, busca programar um Plano de Sustentabilidade com vários itens listados.

Assim, Amazônia Live é o novo projeto social do Rock in Rio para todas as edições do evento até 2019. Além da plantação de mais um milhão de árvores, está previsto um espetáculo inovador no Rio Negro, em Manaus, na Amazónia.

Saiba mais em:

Mais músicas menos lixo

O Rock in Rio possui um Plano de Gestão de Resíduos, no qual descreve como ocorrerá este descarte e tratamento dos resíduos provenientes de todas as operações do festival, incluindo medidas e orientações para todos os prestadores de serviço, que ao final do evento podem ser premiados.

Entretanto, a organização do Rock in Rio assegura que mais de 70% dos resíduos produzidos no festival são corretamente tratados. Os materiais que não são passíveis de reutilização nas próximas edições do Rock in Rio são doados à ONG’s, escolas, companhias de teatro e outras entidades que possam reaproveitá-los.

Novidades

Uma novidade no festival Rock in Rio foi a implementação de “árvores solares” que servirão como estação de apoio para que os participantes recarreguem a bateria do seu celular.

Elas funcionam através de um filme fotovoltaico que está localizado nas “folhas” da árvore que capta os raios solares e a carga é armazenada dentro de uma bateria que fica internamente na árvore, para então ficar disponível em forma de eletricidade para os usuários.

Contudo, outra inovação, é representada pela parceria entre a Heineken e a Natura, com o intuito de estimular ações positivas em prol da reciclagem.

A iniciativa das marcas, que são patrocinadoras do festival, é transformar os copos de plástico, descartados durante os sete dias de evento, em embalagens da linha Natura Humor.

Assim, a expectativa é de que aproximadamente 2,5 milhões de copos sejam reciclados.

rock in rio

Divulgação
Copos de Heineken vão se transformar em embalagens da Natura

Portanto, iniciativas como “Por um mundo melhor” demonstram como o mercado mundial do entretenimento tem aderido às práticas sustentáveis, contribuindo para a manutenção do meio ambiente enquanto associa responsabilidade socioambiental à sua marca.

Assim, percebemos que é possível organizar mega eventos e promover o entretenimento, estabelecendo estratégias para minimizar os danos ao meio ambiente e maximizar os bons resultados.

Que tal tentar?

 

rock in rio

Marco Antonio
Mineiro Diretor arquitetura de eventos (Projetista e especialista em legalizações de eventos). Formação Eng. Civil, Eng. Produção, Pós-graduado em Segurança do trabalho com experiência em projetos prevenção de incêndio para eventos, gestão de projetos e inteligência de dados. Apaixonado por eventos com 15 anos de mercado realizando dimensionamento, planejamento na execução de eventos. Com aprovação de mais de 200 eventos em órgãos públicos. Colunista do Blog da Engenharia/ instagram: @marcoarquiteturadeeventos/ linkedin: www.linkedin.com/in/engenheiromarco

Benefícios do PMOC para Sustentabilidade

Previous article

Curitiba, a cidade mais sustentável da América Latina

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Arquitetura