Branded Channel | ExemploColunistasEngenharia de AutomaçãoEngenharia Mecânica

F1: Como perder 3kg em menos de 2 horas

0

A Formula 1 é conhecida no Brasil principalmente através do grande campeão Ayrton Senna, e a corrida mais assistida no mundo.

Mas somente os fãs mais apaixonados conhecem dos bastidores do esporte e de alguns detalhes do que é necessário para se dirigir um veículo destes.

Perca peso rápido, pergunte-me como!

Um dos detalhes mais impressionantes sobre pilotar um carro de F1 é sobre a perda de peso devido o calor e a transpiração que pilotos são submetidos. Esta perda pode chegar a 3kg durante a corrida que dura menos de duas horas. F1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para compensar esta perda os pilotos possuem uma solução isotônica ou hipotônica a bordo que os mantém hidratados. Esta solução é bombeada por um botão no volante através de um canudo usando uma bomba de água de um limpador de para-brisa de um veículo comum. Vida boa né?

Mais ou menos. Alguns pilotos chegam a urinar dentro do carro pois podem passam uma quantidade de tempo considerável dentro do carro durante o fim de semana da corrida.

F1

Acelerações e temperatura

Um carro de F1 é rápido. Ok, mas quão rápido? Os carros de hoje em dia podem acelerar de 0-100 km/h em apenas 2 segundos. Por este dado, usando uma conta simples, isso é equivalente a aproximadamente 2,7 Gs. Ou seja, seria parecido a ter algo amarrado à você e te puxando com uma força de quase 3 vezes o seu próprio peso. Quando se fala em frenagem, esse valor pode chegar a 5 Gs, 5 vezes.

F1

 

 

 

 

 

 

 

00

Durante curvas pode-se experenciar forças laterais de 4 a 6 Gs que “empurram” o piloto para o lado externo da curva devido a inércia na mudança de direção do veículo. Por este motivo boa parte do treino dos pilotos envolve treinos no pescoço para fortalecer esta musculatura. Se ainda assim não estiver claro a intensidade dessa condição, assista este vídeo de uma pessoa desmaiando à 3,6 Gs.

Outro fator extremamente penoso é o calor enfrentado no cockpit. Para se adaptar a esta condição pilotos podem realizar treinos de resistência em câmaras de calor. 

A unidade de powertrain se encontra atrás do tanque de combustível que fica atrás do banco, e é o componente que mais contribui para a temperatura do cockpit que pode chegar a 50°C. Portanto estar sentado num carro de F1 não chega a ser muito diferente de uma sauna a vapor. Bom, tirando todas as partes relacionadas à corrida, claro.

Conforto para viajar

Pode ser estranho de imaginar que um dos focos no projeto do veículo seja o conforto. Porém, é bem isso que acontece. Uma corrida na F1 tem o mínimo número de voltas para se completar 305 km.

Então, esta é a mesma distância para se dirigir de Florianópolis à Curitiba. Imagine-se realizando esta viagem suando o equivalente a 3 kg, sendo esmagado por todos os lados de forças no mínimo 2 vezes maiores que seu próprio peso em um calor de 50°C sem ar condicionado. Conte ainda com a pressão de competir contra os melhores pilotos do mundo e que a menor falha pode causar acidentes catastróficos.

F1

Os carros da F1 são verdadeiras obras de arte no quesito de engenharia e o preparo necessário para ocupar um lugar no grid é extremo. Para saber mais sobre instalações de treinos de pilotos visite também o programa de treinamento de pilotos da Porsche.

Para mais informações sobre a tecnologia aplicada a estes veículos aguarde os próximos capítulos aqui no Blog da Engenharia.

Rodrigo Inocencio Cane
Estudante de Engenharia Automotiva. Participou por 4 anos da equipe Fórmula CEM da competição Formula SAE Brasil e atua no setor de produto da FCA desenvolvendo módulos eletrônicos para ABS e ESC. Nunca recusa um convite para jogar basquete e tem vontade de conhecer o Brasil todo, um estado de cada vez.

BNDES publica edital para contratação de engenheiros

Previous article

Já ouviu falar sobre engenharia de eventos? Leia e saiba mais.

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *