Branded Channel | ExemploColunistasEngenharia de AutomaçãoEngenharia Mecânica

F1: Como perder 3kg em menos de 2 horas

0

A Formula 1 é conhecida no Brasil principalmente através do grande campeão Ayrton Senna, e a corrida mais assistida no mundo.

Mas somente os fãs mais apaixonados conhecem dos bastidores do esporte e de alguns detalhes do que é necessário para se dirigir um veículo destes.

Perca peso rápido, pergunte-me como!

Um dos detalhes mais impressionantes sobre pilotar um carro de F1 é sobre a perda de peso devido o calor e a transpiração que pilotos são submetidos. Esta perda pode chegar a 3kg durante a corrida que dura menos de duas horas. F1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para compensar esta perda os pilotos possuem uma solução isotônica ou hipotônica a bordo que os mantém hidratados. Esta solução é bombeada por um botão no volante através de um canudo usando uma bomba de água de um limpador de para-brisa de um veículo comum. Vida boa né?

Mais ou menos. Alguns pilotos chegam a urinar dentro do carro pois podem passam uma quantidade de tempo considerável dentro do carro durante o fim de semana da corrida.

F1

Acelerações e temperatura

Um carro de F1 é rápido. Ok, mas quão rápido? Os carros de hoje em dia podem acelerar de 0-100 km/h em apenas 2 segundos. Por este dado, usando uma conta simples, isso é equivalente a aproximadamente 2,7 Gs. Ou seja, seria parecido a ter algo amarrado à você e te puxando com uma força de quase 3 vezes o seu próprio peso. Quando se fala em frenagem, esse valor pode chegar a 5 Gs, 5 vezes.

F1

 

 

 

 

 

 

 

00

Durante curvas pode-se experenciar forças laterais de 4 a 6 Gs que “empurram” o piloto para o lado externo da curva devido a inércia na mudança de direção do veículo. Por este motivo boa parte do treino dos pilotos envolve treinos no pescoço para fortalecer esta musculatura. Se ainda assim não estiver claro a intensidade dessa condição, assista este vídeo de uma pessoa desmaiando à 3,6 Gs.

Outro fator extremamente penoso é o calor enfrentado no cockpit. Para se adaptar a esta condição pilotos podem realizar treinos de resistência em câmaras de calor. 

A unidade de powertrain se encontra atrás do tanque de combustível que fica atrás do banco, e é o componente que mais contribui para a temperatura do cockpit que pode chegar a 50°C. Portanto estar sentado num carro de F1 não chega a ser muito diferente de uma sauna a vapor. Bom, tirando todas as partes relacionadas à corrida, claro.

Conforto para viajar

Pode ser estranho de imaginar que um dos focos no projeto do veículo seja o conforto. Porém, é bem isso que acontece. Uma corrida na F1 tem o mínimo número de voltas para se completar 305 km.

Então, esta é a mesma distância para se dirigir de Florianópolis à Curitiba. Imagine-se realizando esta viagem suando o equivalente a 3 kg, sendo esmagado por todos os lados de forças no mínimo 2 vezes maiores que seu próprio peso em um calor de 50°C sem ar condicionado. Conte ainda com a pressão de competir contra os melhores pilotos do mundo e que a menor falha pode causar acidentes catastróficos.

F1

Os carros da F1 são verdadeiras obras de arte no quesito de engenharia e o preparo necessário para ocupar um lugar no grid é extremo. Para saber mais sobre instalações de treinos de pilotos visite também o programa de treinamento de pilotos da Porsche.

Para mais informações sobre a tecnologia aplicada a estes veículos aguarde os próximos capítulos aqui no Blog da Engenharia.

Rodrigo Inocencio Cane
Estudante de Engenharia Automotiva. Participou por 4 anos da equipe Fórmula CEM da competição Formula SAE Brasil e atualmente estagia no setor de produção da Renault do Brasil na área de Indústria 4.0.

BNDES publica edital para contratação de engenheiros

Previous article

Já ouviu falar sobre engenharia de eventos? Leia e saiba mais.

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *