0

O que fazer com deslizamentos decorrentes da época das chuvas? A melhor solução para esses problemas é construir muros de arrimo para garantir que os objetos vindos da encosta fiquem em desníveis com o solo.

Mas de que material a parede deve ser feita para suportar todas as tendências de queda? Pode ser feito do famoso concreto armado e também de gabião.

Ao contrário das paredes de concreto armado, que custam mais do que o dobro das paredes de gabião, o material dessa estrutura de parede é menos complexo e, portanto, mais barato.

Certamente você já viu grandes paredes ou muros cobertos por pedras em gaiolas e não sabia que possuía um nome técnico de gabiões. Essas paredes  são compostas por pedras em gaiolas, sendo essas gaiolas feitas de arame galvanizado e revestidas com PVC.

Como resultado, possui características importantes, como boa resistência, menor impacto ambiental e um ótimo custo benefício comparado a outros tipos de muros.

Os muros de contenção são divididos em estruturas rígidas, que são feitas de materiais resistentes à deformação (ex: concreto) e estruturas flexíveis, que são feitas de materiais que são aceitáveis ​​e que podem deformar-se dentro de certos limites, sem sacrificar a estabilidade e o desempenho. Por exemplo, uma parede de gabião se encaixa na última possibilidade.

Vantagens

Entre as principais características estão flexibilidade e permeabilidade; Flexibilidade porque pode ser instalada de acordo com o formato do solo, pois é uma estrutura flexível que pode suportar certas deformações sem quebrar, e permeabilidade porque sua estrutura possui “vazios” (espaços entre as pedras) que tornam as paredes permeáveis, permitindo que o fluxo de água contido seja drenado para que não tenha aumento da poro-pressão.

Desvantagens

A principal desvantagem é que a largura da base é grande, pois é a base que estabiliza a parede, o que pode prejudicar dependendo do tamanho do terreno.

Uso

É comum ver utilizações de gabiões em obras de drenagem hidráulica, contenções ancoradas com tirantes, muros de arrimo em construções prediais, correção curso d’água, proteção das margens, construção de cais, construção de espigões e proteção de praias.

Tipos de Gabiões

Existem 3 principais tipos de gabiões, são eles: Gabiões tipo caixa, tipo colchão e o tipo saco.

Tipos de Gabiões (Fonte: https://www.lfambiental.com.br/gabiao)

  • Tipo caixa: que tem forma de prisma retangular e é indicado estruturas que sofrem empuxos como estrutura de contenção por gravidade, em barragens, canalizações, apoios de pontes e proteção contra erosão.

    Muro de Gabião tipo caixa (Fonte: Catálogo Maccaferri)

    Gabião tipo caixa (Fonte: Catalógo Vius)

    Paredes de Mineração (Fonte: gabionbaskets)

  • Tipo colchão:  possui forma retangular e caracterizado por sua grande área(comprimento e largura) e pequena espessura(altura), serve para revestimento de canais, barragens em terra, proteção de encostas e obras hidráulicas em geral.

    Gabião tipo colchão (Fonte: Catálogo Maccaferri)

    Tipo Colchão (Fonte: Tecnige Portfolio)

  • Tipo saco: tem estrutura metálica de forma cilíndrica, é de fácil colocação e indicado para obras emergenciais, em locais de difícil acesso, com presença de água ou em solos de baixa capacidade de suporte.

    Gabião Tipo saco (Fonte: Catálogo Maccaferri)

    Tipo saco (Fonte: Catálogo Maccaferri)

    Gabião Tipo Saco (Fonte: Catálogo hlfconstrucao)

Dimensões Padrões

Tabela de dimensões


Gostou? Conheça outros artigos do blog, clicando aqui.

Helberte Braz
Baiano, acadêmico do curso de Engenharia de Minas na Universidade Federal de Mato Grosso(UFMT) e atualmente faz estágio na Brasil Gold Mineração (empresa pertencente ao Grupo Dias) atuando na parte da confecção de mapas, requerimentos de mudança de regime, relatório parcial de pesquisa, visitando as plantas de beneficiamento da empresa e participando da coleta de amostras para pesquisa mineral. Já fez mobilidade internacional em Engenharia Industrial na Universidad Antonio Nariño(UAN), já atuou como monitor da disciplina de geologia geral e também colaborou em organizações de eventos em projetos de extensão. Está sempre disposto a agregar e a aprender mais sobre o mundo profissional. Gosta sempre de refletir sobre ações do cotidiano e o impacto que isso tem sobre a sociedade. Tem Deus como alicerce de sua vida e quando quer algo, desistir não é uma opção.

O calor: de onde vem, para onde vai e como é transferido?

Previous article

Engenheiro de Software vs Desenvolvedor de Software: Qual o melhor?

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas