ColunistasDestaqueDestaque + Editor's PickDestaque + PopularesEngenhariaEngenharia Civil

Georreferenciamento e sua importância para o saneamento

0

Em 2020, foi aprovado o Marco Legal do Saneamento Básico, e com ele, portas se abrem para novos investimentos em infraestrutura. 

E o que o georreferenciamento tem a ver com tudo isso? 

Bom, não estamos falando apenas do georreferenciamento em si, e sim de softwares que unem banco de dados e referencias geográficas, para melhorar a confiabilidade do cadastro de água e esgoto de empresas prestadoras do serviço. 

O que é georreferenciamento? 

De forma conceitual, é tornar conhecidas as coordenadas de uma imagem, mapa ou qualquer outra forma de informação geográfica em um sistema de referência. 

Desse modo, o processo inicia com a obtenção dos pontos de controle da imagem ou mapa a ser georreferenciado. Os pontos, devem ser facilmente visíveis e fácil de identificar.  

Os pontos de controle, são obtidos em campo, a partir de levantamentos topográficos, geodésico com GPS, mesas digitalizadoras, ou até mesmo imagens ou mapas já georreferenciados.  

A princípio, geralmente a técnica é aplicada em atividades de dimensionamento de solos para agricultura, agropecuária, construção de loteamentos e estradas.  

Georreferenciamento e saneamento 

Voltando para a área saneamento, a ferramenta é utilizada para cadastrar tudo o que engloba tanto cadastro operacional quanto comercial. 

georreferenciamento

Fonte: Caesb

Ou seja, mapeamento de redes de água e esgoto, ligações, pontos de controle como ETA’s (Estação de Tratamento de Água), ETE’s (Estação de Trameto de Esgoto), boosters, reservatórios, captação, entre outras estruturas que compõe o sistema. 

Mapa temático feito através do ArcGIS

Além disso, esses itens, são incluídos em cima de quadras, lotes, ruas e bairros que compõe a região a ser cadastrada. 

Banco de dados 

O objetivo, não é apenas georreferenciar, e sim incluir informações em cima do que foi alocado. 

Bom, basicamente os softwares utilizados para esse trabalho, permitem você criar uma planilha de dados em cima de uma layer. 

Por exemplo, em cima da minha layer (camada) de “rede de água”, posso incluir informações como, diâmetro, tipo de rede, material, data de implantação, lado da rua, profundidade, e qualquer outra informação que a operação ache necessária. 

Do mesmo modo, um outro exemplo, são as ligações, onde pode ser incluído todo o cadastro do cliente em cima de um único ponto georreferenciado no endereço onde está sendo prestado o serviço. 

Além disso, essas informações estão dentro de polígonos, linhas e a imagem da cidade, que pode ser atualizada conforme ela for crescendo, através de levantamento com drone. 

E qual a real importância isso tem para o saneamento? 

Lá no início, eu citei um principal fator, que é a segurança do cadastro operacional. 

Vamos citar um exemplo prático! 

Começou um vazamento muito grande de água em um ponto da cidade, então, para a equipe de manutenção fazer o conserto, será necessário estancar toda a água que está passando naquela linha. Dessa forma, os registros de manobra serão fechados de maneira que facilite o serviço. 

Nesse sentido, é aí que entra o banco de dados e a rede de água devidamente georreferenciada. Dessa forma, basta consultar o cadastro, encontrar o ponto do vazamento e visualizar os registros que compõe o sistema daquela região. Posteriormente, serão coletadas as informações de profundidade, lado da rua e distância que o registro está de um ponto de referência, como o muro de uma casa por exemplo. 

Você conseguiu imaginar o quanto isso facilita e agiliza, o serviço de quem irá consertar o vazamento?! 

Imagina só, se tivesse que sair escavando vários pontos para talvez encontrar os registros? Muito trabalho né?! 

Aumentando a base de clientes 

Como foi mostrada a visão operacional, nada mais justo do que aplicar no setor de clientes também! 

Então, imagina você trabalhando em uma empresa de saneamento, e seu desafio é trazer 500 novos clientes para a base da operação. Imaginou?! E aí, o que você faria? 

Simples, você tem uma base de dados georreferenciada, e uma imagem de satélite atualizada, dessa maneira conseguirá visualizar onde estão pontuadas as ligações existentes e terrenos que tem uma edificação, porém não existe nenhuma ligação. 

É muito normal várias casas não terem ligação de água ou esgoto ativas, recorrendo a poços artesianos ou até mesmo ligações clandestinas.

Georreferenciamento

Ligações de água pontuadas na base ArcGIS

Você já tem a faca e o queijo na mão! 

Em outras palavras, simplesmente, serão coletados os dados de quadra, lote e rua desses pontos, e a próxima etapa é tentar contato com o morador dessa casa.  

Esse, é apenas um dos exemplos onde pode ser aplicado uma base de dados georreferenciada. 

Quais são os softwares utilizados? 

Existem alguns softwares no mercado, que possibilitam esse tipo de trabalho. Profissionalmente, trabalhei muito com a ferramenta ArcGIS aplicada no saneamento. 

Georreferenciamento

ArcGIS é um sistema de informação geográfica (Geographic Information System – GIS) utilizado para criar, gerenciar, compartilhar e analisar dados espaciais. 

O sistema fornece uma infraestrutura para criar mapas e buscar informações. 

A plataforma ArcGIS consiste em muitos componentes que se comunicam entre si através da API REST do ArcGIS e formatos de arquivo comuns.  

O software é um produto da empresa ESRI (Environmental Systems Research Institute), fornecedor internacional de sistemas de informações geográficas (GIS). 

Mas não é tão simples assim!

Busquei apresentar aqui de forma objetiva e fácil de entender, a aplicação dessa ferramenta no dia a dia de uma empresa. 

Mas não é tão fácil assim obter um cadastro comercial e operacional de qualidade. Envolve equipe antenada, tanto em campo quanto atualizando a base. E também, principalmente muita conexão entre os setores, até porque a base de dados não é apenas para uma pessoa ou um setor, é para a empresa como um todo, tanto CAPEX quanto OPEX.  

Por experiência própria, a parte mais difícil, é a implantação do sistema, é quando toda a base cadastral é colhida e colocada em um só lugar. E conforme vai se desenvolvendo, as dificuldades vão surgindo, os problemas vão sendo encontrados, e uma nova rotina dentro do ambiente operacional deve ser criado. 

Uffa 

Como todo trabalho possui suas dificuldades, nesse não é diferente! 

Porém, conforme observado, pode-se afirmar que essa é uma ferramenta que usada de forma inteligente e integrada a rotina, traz muitos benefícios dentro das atividades já desenvolvidas.  

Afinal, é um projeto de grande importância para o mundo do saneamento, onde o caminho é facilitar o dia a dia e melhorar a infraestrutura para melhor atender a população com saneamento básico! 

Pamela Thaís Licheski
Sou Engenheira Civil, catarinense com 23 anos. Atualmente atuo na área de projetos, mas possuo grande experiência com saneamento, atuei durante três anos em Itapoá com atividades de combate a perdas, supervisão operacional e georreferêciamento. Li recentemente em um livro, que não precisamos ter sucesso para sermos felizes, mas precisamos ser felizes para ter sucesso. Acredito que é a felicidade que impulsiona o sucesso. Então que sejamos felizes no que escolhemos fazer no mundo! Instagram: @pamelathaiss_

A engenharia química e seus conceitos básicos

Previous article

A polêmica saga do 737 MAX

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas