0

Pandemia acontecendo e jogos olímpicos começando. Vamos relembrar tudo o que aconteceu até aqui?

Há quem diga que os jogos olímpicos de Tóquio de 1964 era uma forma do Japão mostrar ao mundo sua recuperação no pós-segunda guerra mundial. Já nos idos de 2013, quando houve a votação para a cidade sede das olimpíadas de 2020, a segunda versão dos jogos olímpicos de Tóquio representaria a oportunidade do Japão reconstruir áreas devastadas pelo acidente nuclear de 2011, ocorrido como consequência de um tsunami.

Estratégias

  1. O governo japonês buscou reduzir os custos de um megaevento esportivo que não é considerado, por especialistas, um dos melhores negócios, por ser exorbitantemente caro. Como exemplo, temos o cancelamento do projeto inicial do principal estádio olímpico, palco das cerimônias de abertura e de encerramento. Tal projeto foi orçado em cerca de US$2,3bi e um novo projeto foi orçado em US$1,5bi e por fim concluído com US$1,43 bi.
  2. Diferentemente do que aconteceu em outras edições dos jogos olímpicos, o governo japonês decidiu evitar obras do tipo “elefante branco” – aquelas que custam muito e tem pouca utilidade prática após o término desses megaeventos esportivos.
  3. Por ser um país com dimensão territorial limitada, o Japão não pôde se dar ao luxo de fazer inúmeras construções novas, optando por:
  • aproveitar espaços de competição herdados das olimpíadas de 1964;
  • construir locações temporárias;
  • efetuar o menor número possível de obras novas permanentes.

No final de 2019 dos 43 campos de competição esportiva, 25 eram locais já existentes, 10 temporários e 8 novos.  5 das 8 construções novas, feitas especialmente para o evento, já estavam concluídas e a obra mais atrasada estava 75% concluída.

Áreas esportivas de Tóquio

Jogos olímpicos de 2020 ou de 2021?

Em 24/03/20 as olimpíadas de 2020, agendadas para ter início em 24/07/20 foram adiadas para 2021, porém até então sem data definida.

Pela 4ª vez na história os jogos olímpicos foram adiados. Anteriormente isso havia acontecido em 1916, devido a 1ª Guerra Mundial, em 1940 e 1944 devido a 2ª Guerra Mundial.

O treinamento dos atletas foi prejudicado e as competições de classificação também adiadas e por fim houve a decisão da nova data de início: 23/07/21.

Com ou sem público?

No dia 21/06/2021 os organizadores dos jogos olímpicos de Tóquio haviam decidido que seria permitida a presença de público no evento, mas pensando na saúde e segurança de todos, as condições eram:

  • Uso obrigatório de máscaras;
  • Proibição de falar em voz alta ou gritar;
  • Saída dos visitantes de forma escalonada;
  • Público limitado aos torcedores que moram no Japão;
  • Capacidade de ocupação reduzida a 50% até o máximo de 10.000 pessoas;
  • Os espectadores devendo viajar diretamente para os locais do evento e voltar para casa diretamente.

Até que no dia 08/07/21 a presença de público foi cancelada. O aumento de casos de infecção pelo novo coronavírus levou a ser declarado estado de emergência em Tóquio de 12 de julho a 22 de agosto de 2021.

Moral da história

A pandemia bagunçou o calendário dos jogos, a preparação dos atletas e pela primeira vez na história, o maior evento esportivo mundial será realizado sem público e de forma silenciosa.

Lílian Barros da Silveira
Engenheira e mestre em Engenharia Metalúrgica pela Universidade Federal Fluminense. Possui treinamento na área de ensaios não destrutivos e inspeção de equipamentos. Foi consultora na Empresa Júnior Pulso Consultoria. Estagiou no setor de siderurgia e é atuante no mercado financeiro. Administradora do Instagram @Engenharia_Integral. É de Volta Redonda/ RJ. Adora ler, tem a meditação como um hábito e a corrida como prática esportiva.

    Uso do sensoriamento remoto na detecção, monitoramento e prevenção de incêndios florestais

    Previous article

    O combate à incêndio na perspectiva química

    Next article

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *