3

Nos últimos anos, as diversas tecnologias presentes na Indústria 4.0, como Big Data, Realidade Aumentada e Virtual, IoT, Cibersegurança, ganharam um grande destaque no nosso cotidiano. Entretanto, a Impressão 3D (ou Manufatura Aditiva) obteve um destaque especial, devido a grande expansão da tecnologia e de suas aplicações.

Em 2012, o Eduardo Cavalcanti publicou o artigo “Impressão 3D: conheça as máquinas que vão revolucionar o mundo”, onde esta tecnologia já era apresentada como algo que iria revolucionar o mundo.

Impressora 3D

Fonte: Pixabay.

Mas, o que mudou durante estes (quase) 10 anos? Como a tecnologia, o mercado e as indústrias estão aceitando esta nova tecnologia? Te convido para conferir nos 4 pontos apresentados a seguir!


Ponto 1: Patentes das tecnologias de Impressão 3D

Um dos grandes responsáveis pela crescimento exponencial da impressão 3D foi o encerramento das patentes da tecnologia FDM (Fused Deposition Modeling) em 2009 e da tecnologia SLS (Sinterização Seletiva a Laser) em 2014.

Com isto, outras empresas começaram a produzir máquinas de impressão 3D, o que permitiu uma redução de custos dos equipamentos e maior acessibilidade ao público. Hoje, por exemplo, existem impressoras 3D que você pode adquirir por menos de 5 mil reais!

Peça Impressão 3D

Fonte: Pixabay.

Ponto 2: A Indústria 4.0 e Impressão 3D

O contexto da Indústria 4.0 trouxe alguns requisitos que exigiam novas tecnologias, como a impressão 3D. A customização em massa é um destes requisitos, o qual promove um casamento perfeito com tecnologias de manufatura aditiva.

Já imaginou fazer um pedido na internet de um produto, customizá-lo com seu nome, cor e um novo design e este chegar em poucos dias para você? Pois é, isto é algo que pode ser feito!

Customização em massa

Fonte: AMFG.

Outros requisitos como produção descentralizada, menor tempo de entrega e possibilidade de fabricação de protótipos para testes de forma mais rápida, também contribuíram com a aceleração do uso das tecnologias de impressão 3D.

Atualmente diversos setores industriais já utilizam peças fabricadas por esta tecnologia. As aplicação podem ser desde protótipos e lotes pilotos até mesmo peças finais, como por exemplo a indústria automotiva e o setor de saúde.

Ponto 3: Novas tecnologias de impressão 3D

A evolução das tecnologias de impressão 3D é algo incrível! Apesar de boa parte das pessoas conhecerem apenas a tecnologia FDM (extrusão de material), existem atualmente diversas outras tecnologias. Algumas delas são: fusão em leito de pó, polimerização em cuba, jato de aglutinante, deposição direta de energia, laminação de folha, entre outras.

O mais interessante é que, dentro de cada um destes grupos, existem sistemas diferentes que permitem a fabricação das peças. E estes são usados de acordo com as características que cliente deseja (transparência, biocompatibilidade, melhor propriedade mecânica, melhor características estéticas, etc).

Por exemplo, para fabricar usando a tecnologia fusão em leito de pó você pode usar sistemas do tipo SLS (Selective Laser Sintering) ou MJF (Multi Jet Fusion).

Peças Impressão 3D (Multi Jet Fusion)

Fonte: All3DP.

Ponto 4: O mercado de Impressão 3D

O crescimento do mercado de impressão 3D (ou Manufatura Aditiva) é algo incrível. Nos últimos 5 anos (2015-2019), o crescimento foi de, pelo menos, 20% ao ano!

Até mesmo em 2020, com todos os problemas devido a pandemia, houve um crescimento no setor de impressão 3D de 7,5%, representando um volume de negócio de quase US$ 13 bilhões, de acordo com o último relatório da Wohlers Associates (clique aqui e saiba mais).

Este crescimento envolve a venda de equipamentos, softwares, insumos e serviços. E estes negócios são aplicados nos mais diversos setores: óleo e gás, automotivo, medicina, odontologia, entre outros.

Conclusão

Como é possível perceber, os pontos citados acima demonstram o quanto esta tecnologia cresceu, impactou e vai impactar a nossa sociedade.

Novas tecnologias, novos materiais, novos fabricantes de equipamentos estão surgindo a cada momento. Isto faz com que a tecnologia fique mais acessível, cada vez mais pessoas a utilizem e comecem a mudar o pensamento atual de produção: da manufatura tradicional (usinagem, injeção, etc) para a manufatura aditiva.

Podemos até fazer um teste para validar o que apresentei: faça uma simples busca no Google ou Youtube sobre Impressão 3D ou Manufatura Aditiva e perceba a quantidade de sites, fornecedores, entusiastas e outras informações você consegue ter. É um novo mundo e estamos só começando!

Deixem seus comentários ou sugestões com temas relacionados à Indústria 4.0 e Impressão 3D. Vamos nos aprofundar cada vez mais!

 

Grande abraço!

Luan Saldanha
Luan Saldanha é engenheiro Mecânico com mestrado em Engenharia de Sistemas e Produtos. Possui experiência em projetos de inovação e desenvolvimento de produtos. É apaixonado pelas tecnologias da Indústria 4.0, como Manufatura Aditiva, softwares de engenharia (CAD, CAE, CAM), Realidade Aumentada, Realidade Virtual, IoT, entre outras. Já teve experiência em estudar e morar em Portugal, ser sócio de startup e empresa de engenharia, ser professor de graduação para alunos de engenharia mecânica e atualmente trabalha com Manufatura Aditiva! Colunista do Blog da Engenharia, busca trazer artigos e notícias relacionado ao mundo da Impressão 3D e da Indústria 4.0!

    Escassez de semicondutores

    Previous article

    A Década do Oceano começa com você

    Next article

    You may also like

    3 Comments

    1. […] impressão 3D, uma das principais tecnologias no contexto da Indústria 4.0 (como vimos no blog Impressão 3D: a tecnologia da Indústria 4.0), permite a fabricação de peças com diversas geometrias, dimensões e […]

    2. […] artigo “Impressão 3D: a tecnologia da Indústria 4.0” eu comentei sobre a “queda” da patente da tecnologia de impressão 3D e sua consequência: […]

    3. […] E se desejar conhecer um pouco mais sobre Impressão 3D, fica a sugestão de leitura do artigo “Impressão 3D: a tecnologia da Indústria 4.0“. […]

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    More in Colunistas