1

A impressão 3D, uma das principais tecnologias no contexto da Indústria 4.0 (como vimos no blog Impressão 3D: a tecnologia da Indústria 4.0), permite a fabricação de peças com diversas geometrias, dimensões e materiais.

Atualmente, a quantidade de tecnologias para impressão é bastante vasta, o que faz com que, cada vez mais, esta seja uma tecnologia presente no nosso dia a dia.

O uso da impressão 3D na indústria automotiva, óleo e gás, saúde, bens de consumo está se tornando bastante comum. Mas, você sabia que a indústria espacial já utiliza também esta tecnologia e aposta nela para projetos futuros a serem realizadas no espaço?

Made in Space: levando a impressão 3D para o espaço

A startup Made in Space, fundada em 2010, busca desenvolver impressoras para fabricação de peças em ambientes com micro gravidade. A empresa foi a responsável por desenvolver o primeiro equipamento de manufatura utilizado no espaço.

Em novembro de 2014, a partir deste equipamento, foi impressa a primeira peça no espaço (na Estação Espacial Internacional).

Primeira peça produzida no espaço

Peça fabricada pela Made in Space em conjunto com a Nasa

 

Este feito se tornou um grande passo para futuros projetos no espaço. A partir daquele momento, seria possível fabricar peças de reposição e ferramentas para serem utilizadas na manutenção de dispositivos, como a da imagem abaixo.

Impressão 3D na Estação Espacial

Impressão 3D na Estação Espacial

 

O vídeo a seguir é uma produção da National Geographic e apresenta um pouco das histórias e feitos da Made in Space:

Nesse sentido, em março de 2016, a Made in Space enviou outra impressora 3D para a Estação Espacial Internacional. O objetivo era produção de novos componentes e avaliação de novas tecnologias!

 

Novos Desafios no Espaço

Assim sendo, nos últimos anos, um novo projeto está em desenvolvimento pela startup, com objetivo de realizar a fabricação de componentes com grandes dimensões e a respectiva montagem destes por robôs no espaço.

Dessa forma, o projeto chamado Archinaut One recebeu investimento de US$ 73 milhões da Nasa. Conheça um pouco mais do projeto no vídeo a seguir.

Portanto, a expectativa do projeto Archinaut One é ser concretizado em 2021 ou 2022, mas com a aquisição da Made in Space pela Redwire (um novo empreendimento que está agregando uma série de empresas espaciais menores) e com a pandemia, vamos ver se os planos serão mantidos.

Por fim, independente dos resultados dos futuros projetos, o que já podemos afirmar é que para a impressão 3D o céu NÃO é mais o limite!


Grande abraço!

Luan Saldanha
Luan Saldanha é engenheiro Mecânico com mestrado em Engenharia de Sistemas e Produtos. Possui experiência em projetos de inovação e desenvolvimento de produtos. É apaixonado pelas tecnologias da Indústria 4.0, como Manufatura Aditiva, softwares de engenharia (CAD, CAE, CAM), Realidade Aumentada, Realidade Virtual, IoT, entre outras. Já teve experiência em estudar e morar em Portugal, ser sócio de startup e empresa de engenharia, ser professor de graduação para alunos de engenharia mecânica e atualmente trabalha com Manufatura Aditiva! Colunista do Blog da Engenharia, busca trazer artigos e notícias relacionado ao mundo da Impressão 3D e da Indústria 4.0!

    Engenharia bioquímica: o que nunca te falaram!

    Previous article

    Saúde mental dentro do escritório de engenharia civil

    Next article

    1 Comment

    1. […] desenvolvendo e ajudando na melhoria da Saúde e Segurança no Trabalho. Como apresentado no post Impressão 3D: o céu (não) é o limite!, espera-se que a impressão 3D possa contribuir em diversas áreas, principalmente na área da […]

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Popular Posts

    Login/Sign up