ColunistasDestaqueDestaque + Editor's PickDestaque + PopularesEngenhariaEngenharia CivilMercado de TrabalhoSem categoria

Mulher no canteiro de obra: dificuldade e superação

2

A presença de mulheres é cada vez maior no setor da construção civil, segundo o ministério do trabalho e emprego a absorção das mulheres no segmento cresceu cerca de 50% nos últimos 10 anos. Mesmo com esses dados, a presença feminina ainda é minoria.

Quando se fala em desigualdade de gênero, esbarra-se nas divergências físicas existentes entre homens e mulheres. Por muitas vezes, isso restringe o trabalho da mulher, contribuindo para um ambiente principalmente masculino.

Mulheres na Engenharia

(Mulheres no canteiro de obras. Fonte: freepik, 2021)

Uma figura feminina importante na engenharia

A luta pelo espaço da mulher no setor é histórica, de longa data. Foi no século XIX que pouco a pouco a figura feminina começou a aparecer na construção civil. Um dos casos mais representativos ocorreu com Emily Warren Roebling, que contribuiu para o término da Ponte do Brooklyn, em Nova York, um dos maiores projetos de engenharia já elaborados mundialmente.

Com os conhecimentos adquiridos, Emily Roebling, considerada a primeira engenheira americana, projetou sozinha a mansão da família em Trenton, onde foi viver com a família.

Feliz por ser agora uma mulher diferente, um dia disse ao filho que, com o que aprendera, podia ser útil à sociedade, ter uma profissão e obter um salário, sem depender, como era usualmente nas classes altas da época, do ordenado do marido.

Mulheres na Engenharia

(Emily Roebling. Fonte: INBEC, 2021)

Os desafios persistem, porém os resultados aparecem.

Nos dias de hoje, podemos dizer que as questões culturais persistem como desafios no mercado de trabalho. Isso porque muitas mulheres ainda precisam lidar com situações como desigualdade salarial, falta de oportunidades, assédio no ambiente de trabalho e dificuldade de ocupar certos cargos

Apesar de esse mercado ainda ser predominantemente masculino, a participação das mulheres na Engenharia não para de crescer.

Diante desse cenário, de acordo com dados do Confea (Conselho Federal de Engenharia e Agronomia) indicam que o número de engenheiras registradas por ano no sistema teve um crescimento de 42% entre 2016 e 2018.

Ainda que as mulheres enfrentem muito mais preconceitos e desafios que homens ao longo da carreira na Engenharia, elas vêm provando seu devido valor e conquistando um espaço cada vez maior. Não se trata apenas de uma história de luta, mas também de superação.

Mulheres na Engenharia

(Mulheres no canteiro de obras. Fonte: freepik, 2021)

Tenha acesso a outros artigos produzidos por mim clicando aqui, caso queira me conhecer ainda mais você pode me encontrar nas redes sociais: Instagram| Youtube | Linkedin 

Michelle Bachega Santos
Michelle Bachega, Engenheira Civil especialista em Gestão de projetos e legalização de obras. Empreendedora com participação em mais de 100 projetos em todo Brasil. Fundadora do curso Regularização de imóveis descomplicada e aprove projetos com sucesso hoje tem centenas de alunos em todo território nacional.

ENGENHEIROS como ANALISTAS, recebendo MENOS que o PISO? BLOG DA ENGENHARIA de FRENTE COM O CREA!

Previous article

Dia Internacional Sem Sacolas Plásticas

Next article

You may also like

2 Comments

  1. […] acesso a outros artigos produzidos por mim clicando aqui, caso queira me conhecer ainda mais você pode me encontrar nas redes […]

  2. […] Gostou? Continue lendo aqui sobre superação feminina! […]

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Colunistas