0

Navios são máquinas únicas que necessitam de um sistema robusto de prevenção e combate a incêndio, visto que um incêndio a bordo não controlado pode resultar no abandono do navio pela tripulação.

Todo o sistema de prevenção e combate a incêndio requer muita atenção devido à grande presença de materiais inflamáveis a bordo, como óleo, tinta, graxa, combustível, materiais da cozinha e armamentos (no caso de navios militares).

Com o passar do anos, a prevenção e o combate a incêndio a bordo tem evoluído com o intuito de tornar a navegação marítima cada vez mais segura. O incêndio em um navio pode resultar em catástrofes de valores inestimáveis, tanto para os armadores, quanto para a vida humana e marinha.

O projeto deste sistema se inicia ainda na fase conceitual da embarcação, identificando as possíveis zonas de incêndio, e então a partir disto, elabora-se um plano de inicial de combate a incêndio, como por exemplo, a definição preliminar da dimensão do sistema de combate (como bombas e localização das mangueiras de combate a incêndio).

PREVENÇÃO A INCÊNDIO

De forma geral, a prevenção de incêndio em navios é baseada em boas práticas, como:

  1. Garantir o funcionamento do sistema de combate a incêndio;
  2. Possuir um sistema robusto e com redundância, ou seja, que não seja interrompido pela falha de um dos componentes da cadeia;
  3. Definir uma lista mínima de pessoas responsáveis pela averiguação dos itens a bordo;
  4. Possuir uma lista de materiais autorizados a bordo;
  5. Desenvolver uma abordagem adequada em casos de princípio de incêndio;
  6. Garantir o fácil acesso aos mecanismos de combate a incêndio;
  7. Possuir e manter a integridade de recursos passivos para o combate a incêndio, como por exemplo portas corta fogo, isolamento térmico e sistemas de detecção de fumaça;
  8. Manter o quadro de colaboradores cientes das normas e procedimentos da embarcação.

COMBATE A INCÊNDIO

Todos os anos, incêndios a bordo de navios podem causar grandes danos a embarcação e aos tripulantes. Estatisticamente, os incêndios se iniciam e locais onde há grande concentração de maquinários e comburentes, como a praça de máquinas por exemplo (local onde está localizado o sistema propulsivo da embarcação).

A presença de fogo nestas intermediações pode causar grandes explosões. Além disso, o comportamento do aço, o principal material da estrutura de um navio, que garante sua integridade física, pode sofrer alterações. Apesar da temperatura de fusão do aço ser em torno de 1500ºC, quando exposto por um período a temperaturas a partir de 315ºC, pode-se perceber alterações em sua taxa de corrosão, forma física, organização de sua rede cristalina e até a redução do seu limite de resistência. Podendo chegar até a flambagem ou fluência, de acordo com a figura abaixo, retirada do estudo de flambagem na presença de fogo.

prevenção e combate a incêndio

SISTEMAS A BASE DE ÁGUA

prevençãoGeralmente, navios contam com a presença de mangueiras de combate a incêndio, similar com o que encontramos em prédios e indústrias. Adicionalmente, podem contar um sistema sprinkler de aspersão. Para amplificar o efeito da aspersão, é comumente utilizado uma tecnologia de espuma formadora de um filme aquoso, chamada AFFF (Aqueous Film-Forming Foam).

Esta espuma, quando misturada com água, tem a capacidade de combater incêndios com hidrocarbonetos (petróleo e combustível, por exemplo), reduzindo a taxa de vaporização do líquido em combustão.

Além do sistema com mangueiras e aspersão, têm-se amplamente estudado tintas tecnológicas com a capacidade de retardar os efeitos do fogo em estruturas.

REVESTIMENTOS COM TINTAS

Em suma, há dois modelos em uso nos dias atuais. A tinta retardante de chama, que possui como objetivo controlar a propagação de fogo em uma pequena região ou até mesmo reduzir sua propagação.

tinta intumescenteE a inovadora cobertura com tintas intumescentes, que utilizam como recurso, a alteração física da tinta quando em contato com fogo. Esta tinta é capaz de aumentar seu volume na superfície e diminuir a densidade, resultando em uma menor taxa de condução térmica, sendo possível proteger por mais tempo o material abaixo da tinta. Veja na imagem ao lado a capacidade de expansão de uma tinta intumescente.

Complementarmente aos sistemas de combate a bordo, embarcações podem contar com o auxílio de outros navios para combater o incêndio, como por exemplo os navios com sistema fire-fighting, como você pode conferir no artigo Mar em chamas – Como explicar esse incidente?.

Letícia Martins Bodanese
Engenheira Naval pela Universidade Federal de Santa Catarina, onde durante a graduação desenvolveu pesquisas na área da soldagem e participou por 3 anos na equipe Hydra Nautidesign, competindo no Desafio Universitário Internacional de Nautidesign (DUNA). Atualmente trabalha no departamento de planejamento da thyssenkrupp Estaleiro Brasil Sul e é pós-graduanda no curso de Engenharia de Estruturas pela Universidade Unyleya. Catarinense, apaixonada pela área naval, Letícia acredita que com dedicação e persistência tudo pode ser aprendido e alcançado.

    Como um balão de São João pode causar uma catástrofe na Aviação

    Previous article

    Uso do sensoriamento remoto na detecção, monitoramento e prevenção de incêndios florestais

    Next article

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    More in Acidentes