0

          Vamos falar agora sobre os tipos de automação existentes. Então se você não os conhece ou precisar dar aquela revisada, Venha conferir neste artigo!

Inicialmente, a automação era dividida em três: residencial, predial e industrial. Entretanto, o avanço da tecnologia e da inteligência artificial fizeram com que a automação pudesse entrar na área de serviços prestados. A automação de serviços é considerada por muitos uma ramificação da industrial. Esta, por sua vez, é dividida em duas modalidades a respeito ao tipo de processo executado: processos de manufatura e processos contínuos.

Assim, os processos de manufatura são caracterizados por uma grande movimentação de peças, partes mecânicas, produtos, entre outros, como acontece no caso da indústria automobilística.

Dentro da linha de montagem de uma grande montadora de carros, como a Ford, há presença de esteiras transportadoras, robôs soldadores, entre outros sistemas automatizados. Importante ressaltar que na automação dos processos de manufatura as variáveis mais comuns são velocidade, deslocamento e força.

Entretanto, já nos processos contínuos, como no caso de uma estação de tratamento de esgoto, há baixa movimentação de componentes e as grandezas mais comuns desse tipo de automação são temperatura, pressão e vazão. Há casos em que os dois tipos de automação coexistem.

Por exemplo, em uma indústria produtora de cerveja, a parte da mistura de ingredientes e brassagem são processos contínuos automatizados. Já no momento de engarrafamento, colocação de embalagem e organização em estoque são processos de manufatura com utilização da automação.

Automação flexível, programável e rígida

Porém, ainda existe uma outra classificação da automação a respeito da flexibilidade da programação: automação flexível, programável e rígida. A Figura a seguir ilustra um gráfico em que é relacionado o tipo de programação com fatores como variedade do produto produzido e o volume da produção da indústria automatizada.

Existem diferenças entre os três tipos de programação dentro da automação, a automação rígida é baseada em uma linha de produção projetada para fabricar um produto específico. Possui altas taxas de produção e inflexibilidade do equipamento para acomodar a variedade de produção.

Já na automação programável, o equipamento de produção é projetado com a possibilidade de modificar a sequência de operações para seguir diferentes configurações do produto, sendo controlado por um programa que é interpretado pelo sistema. Vários programas podem ser usados para fabricar novos produtos. Esse tipo de automação é usado quando o volume de produção de cada item é baixo.

Logo, a automação flexível combina alguns dos recursos da automação rígida e outros da automação programável. O equipamento deve ser programado para produzir uma variedade de produtos com certas características ou configurações diferentes, mas a variedade dessas características geralmente é mais limitada do que a permitida pela automação programável.

Qual tipo de automação você vê mais em seu dia a dia? Conta pra gente!


Clique aqui e confira mais sobre o sistema Kaban!

tipos de automação

Nataly Maximiliano
Engenheira de Controle e Automação. Foi Coordenadora Regional do Programa CREAjr-SC no ano de 2019 e 2020. Os campos de interesse específicos incluem tecnologias que beneficiem a saúde humana, programação, banco de dados, engenharia clínica e biomédica.

    Destaques do 3DEXPERIENCE WORLD 2021

    Previous article

    O calor: de onde vem, para onde vai e como é transferido?

    Next article

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    More in Colunistas