CarreiraVida de Universitário

Propagação do “Vírus Engenharia” [Humor na Engenharia #03]

4

Não se sabe explicar por que essa doença ainda se espalha. Fatores genéticos talvez influenciem nessa doença.

No entanto a maioria dos médicos concorda que o próprio comportamento dos doentes seria um eficaz agente de combate à propagação do gene causador da doença.

virus-engenharia

Devido à alta incidência entre homens acredita-se que a doença esteja ligada ao cromossomo  ∫ dY .

Existem relatos sobre mulheres acometidas por este mal. Porém, estas, estranhamente, apresentam algumas características estranhas, tocam bateria ou fazem baliza com o carro sozinhas, o que faz com que não sejam atraentes. Logo, ninguém se importa com a precariedade de sua situação.

Autor Desconhecido

Brincadeiras a parte, quem aí foi contaminado pelo “vírus engenhariadae“?

Leia mais “Humor na Engenharia”:
A Origem da Engenharia [#01]
A Doença “Engenharia” [Humor na Engenharia #02]
O Curso [#04]
Subdivisões (da “Doença”) do Curso [#05]

Eduardo Mikail
Engenheiro Civil, empresário e empreendedor digital, é sócio-fundador da Digital Bronks, e formado também em Administração com especialização em Marketing pela ESPM. Já trabalhou em uma das maiores construtoras do país e hoje está à frente da Mikail Arquitetura e Engenharia. Adora viajar e adquirir conhecimento, pois acredita que é a maior riqueza do ser humano. Busca constantemente transformar as dificuldades em desafios.

Poli/USP promove simpósio sobre montadoras asiáticas e o novo regime automotivo brasileiro

Previous article

O Curso [Humor na Engenharia #04]

Next article

Você também pode gostar

4 Comentários

  1. Eu não toco bateria e não sei dirigir … e faço Engenharia Civil… Sou uma gay… porém hétero kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  2. Achei o texto extramamente machista! Sim a maioria das pessoas que entram em engenharia são homens, mas faço Engenharia na USP e por incrivel que pareça meus professores são a maioria mulheres e que tem os mais altos cargos da faculdade, sou mulher faço baliza sozinha sim, mas não toco bateria, serei eu então uma anomalia? Desnecessário publicar coisas do tipo!!

  3. Poxa 🙁
    eu não toco bateria, mas sei dirigir. Isso faz de mim uma o quê?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Carreira