0

Provavelmente, você já deve ter ouvido falar em construções modulares, e o quanto esse método está ganhando espaço no mundo da construção civil.

Porém, esse tipo de construção ainda é mais utilizado em países desenvolvidos, onde se preza mais pela agilidade e qualidade nos processos.

Assim, o que irei apresentar aqui é o OFF SITE, um tipo de construção modular. E o mais empolgante, é que saiu o primeiro edifício em OFF SITE volumétrico no Brasil com oito pavimentos, aliás o primeiro da América Latina.

Então corre, e vem acompanhar tudinho!

Entenda o que é OFF SITE

Traduzindo para o português, o termo OFF SITE significa “fora do local”. Ou seja, um método construtivo, onde os componentes da edificação são feitos totalmente fora do canteiro de obras. 

construção off site

Além disso, o processo envolve projetos detalhados e um controle rigoroso na produção dos componentes. Eles podem ser de concreto, madeira, aço entre outros. O mais importante de tudo, é que esse tipo de construção, seguem todas as normas e padrões definidos pela legislação.  

off site

Fabricação de estrutura metálica – Fonte: Brasil ao Cubo

Porém, ela não precisa ser totalmente feita fora do canteiro de obras para ser considerada uma construção OFF SITE, podendo ser apenas algumas partes pré-fabricadas e depois transportadas. 

Nesse sentido, além de ser um método totalmente industrializado, consequentemente existe um melhor aproveitamento dos recursos e um menor desperdício de materiais. 

Em contrapartida, deve-se analisar a viabilidade financeira de projetos nesse formato. Até porque, será necessário ter mão de obra especializada, envolve também o transporte dos componentes estruturais até o local da instalação e guinchos. Ou seja, dependendo do cenário, não se torna viável!

Agilidade é o nome e qualidade é o sobrenome 

Por ser um tipo de construção industrializada, ela dispensa grandes erros e atrasos. Então, acompanhe abaixo, algumas principais vantagens do OFF SITE:

Fonte: Brasil ao Cubo

Qualidade 

É mais fácil de se ter um controle de qualidade no processo de fabricação, dessa forma, o desperdício de material é menor, bem como a matéria prima é mais qualificada. Sem falar nas grande quantidade de inspeções e testes realizados durante o processo. 

Produtividade 

Aqui, ganha-se tempo tanto na fabricação quanto na montagem, devido ao menor índice de erros durante a execução. Consequentemente o tempo é otimizado e a produção aumenta devido a mecanização e automatização dos processos. 

Além disso, o transporte dos componentes é feito conforme o andamento da obra, baseiam-se pelo processo de logística just in time para excluir prováveis problemas. 

Redução de atrasos 

Devido grande parte do processo ser feito em ambiente fabril, não existem barreiras como mudanças climáticas por exemplo. Da mesma forma, que no processo de montagem in loco, uma equipe especializada é envolvida, juntamente com equipamentos adequados. 

Redução de custos 

O que causa um impacto positivo, é a redução de desperdícios, onde automaticamente reflete nos custos da obra. Além disso, o planejamento, projetos minimamente detalhados, equipe qualificada fazendo com que o processo de montagem seja mais rápido. 

Consequentemente, devido ao prazo de montagem ser menor, os custos indiretos são reduzidos também. Porém, o melhor de tudo é o custo-benefício a longo prazo, acarretado pela qualidade de execução e projeção evitando possíveis patologias na edificação. 

Edifício Level em OFF SITE

Fachada edifício Level – Fonte: Brasil ao Cubo (2021).

Construído pela Construtech  Brasil ao Cubo, o edifício Level está localizado na cidade de Tubarão em Santa Catarina. Contando com 8 pavimentos um total de 56 módulos, e será construído em 100 dias. O mais incrível, é que será o primeiro desse porte em OFF SITE volumétrico na América Latina.

Montagem do edifício Level – Fonte: Brasil ao Cubo (2021)

O mais curioso desse projeto, é que os módulos chegam prontos e são montados rapidamente através do sistema Plug and Play BR3, que permite uma construção rápida e limpa. 

O segundo piso do edifício, é o maior módulo já produzido pela construtora, contando com 3,50 metros de largura, 15 metros de comprimento e 3,80 metros de altura. Sendo necessário um guindaste com capacidade de 100 toneladas, já que o eixo do módulo até o local da sua acoplagem fica a 25 metros de distância. Observando que o módulo conta com as esquadrias, instalações elétricas e hidráulicas fechando um total de 12 toneladas. 

Alocação do maior bloco já executado – Fonte: Brasil ao Cubo (2021)

Off site

Execução da fundação – Fonte: Brasil ao Cubo (2021)

O edifício conta com uma arquitetura arrojada e única, desenvolvida para enaltecer o pensamento modular em todos os detalhes. Continuamente, ele contará com brises modulares que em conjunto com o sistema de ventilação natural e vidros laminados refletivos, a utilização de ar condicionada é minimizada.

Um detalhe ainda mais interessante, é que os brises não possuirão painéis fotovoltaicos, dessa forma, se encaminhando para uma construção ainda mais sustentável não apenas em seu processo construtivo como também na sua funcionalidade.

construção OFF SITE

Instalação dos brises – Fonte: Brasil ao Cubo (2021)

OFF SITE

Acoplagem do oitavo andar – Fonte: Brasil ao Cubo (2021).

Logo, a Brasil ao Cubo cita que foi um grande desafio para a empresa desenvolver esse projeto 100% fabril. Os principais fatores auxiliadores nesse processo foram a logística, instalações, composição das vigas metálicas, segurança do trabalho, suprimentos, almoxarifado e área técnica de projetos. O intuito, é industrializar a construção civil no Brasil!

Fonte: Brasil ao Cubo (2021)

O futuro da construção civil 

Esse é um dos métodos de construção industrializada que está ganhando o mercado, principalmente por ser sustentável.

Porém, o mercado ainda está escasso em mão de obra qualificada e empresas que executem esse tipo de projeto, principalmente no Brasil não se houve falar muito sobre isso. 

Acarretando ainda em preços mais elevados para esse tipo de construção, infelizmente. Mas, tem tudo para dominar o mercado da construção civil futuramente, por ser rápido, eficaz, de qualidade, com custo benefício a longo prazo e sustentável! 

 

Pamela Thaís Licheski
Sou Engenheira Civil, catarinense com 23 anos. Atualmente atuo na área de saneamento na região do Mato Grosso, com atividades de combate a perdas, supervisão operacional e georreferêciamento. Além disso, possuo vasta experiência na área de projetos e posso dizer que tenho muita história da faculdade para contar. Li recentemente em um livro, que não precisamos ter sucesso para sermos felizes, mas precisamos ser felizes para ter sucesso. Acredito que é a felicidade que impulsiona o sucesso. Então que sejamos felizes no que escolhemos fazer no mundo! Instagram: @pamelathaiss_

Dassault Systèmes: Empregabilidade de estudantes

Previous article

Destrinchando o SCRUM [Parte 2/4]

Next article

You may also like

Comments

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

More in Arquitetura