ColunistasDestaqueDestaque + Editor's PickDestaque + PopularesEngenhariaEngenharia deBioprocessos/BiotecnologiaTecnologia

Transformação Digital – Um caminho sem volta

0

Certamente a Cultura Digital chegou para ficar e uma pergunta que cabe a todos nós é: Estamos preparados?

Transformação Digital

Fonte: Jornal Contábil

Ao trafegarmos por uma rodovia já nos deparamos com uma placa de “Retorno” o qual é extremamente importante quando necessitamos retomar um outro caminho ou uma nova alternativa de rota.

Contudo, quanto mais circulamos na sociedade atual, percebemos que não existem tais placas quando o assunto é a digitalização dos processos. Pelo contrário, a Transformação Digital passou a ser um caminho sem volta.

Pandemia e a Cultura Digital

Ademais a Pandemia do Covid19 só veio a lançar ainda mais luz sobre esta que é uma tendência mundial já há algum tempo por meio das possibilidades que a internet nos oferece tanto no ambiente corporativo como no pessoal.

No ambiente corporativo muitas empresas já anteciparam este movimento implantando medidas para estimular a chamada cultura digital por meio da adoção de ferramentas com interfaces junto a internet.

Inegavelmente tais ferramentas impulsionaram a inclusão digital destas empresas nas redes sociais visando amplificar o contato com os consumidores por meio do Facebook, Instagram, WhatsApp e etc.

Decerto a digitalização da estrutura física e a implementação de plataformas digitais de vendas se constituíram em etapas naturalmente consequentes e necessárias a esta nova filosofia pois, além de otimizar custos, potencializa o alcance junto aos consumidores.

CREA-SP e a Transformação Digital

O Presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo – Crea-SP, Eng. Vinicius Marchese Marinelli, sensível a este cenário, teve a percepção de que os profissionais das Engenharias, Agronomia, Geociências e profissões das áreas tecnológicas possuem um papel fundamental nesta Transformação Digital e também deveriam senti-la em seu próprio Conselho os posicionando no centro desta transformação.

Assim o Crea-SP passou a vislumbrar uma cultura colaborativa com a agilidade necessária para estimular conexões com startups, instituições de ensino, empresas e governos.

Além disso, esta Transformação Digital também visa a transparência na gestão, a ampliação da fiscalização digital e a indispensável capacitação profissional.

Cultura Organizacional X Cultura Digital

Primordialmente em consonância com as novas tendências, o Crea-SP, do alto de seus 86 anos e juntamente com seus mais de 330 mil profissionais, iniciou um profundo processo de mudança em sua cultura organizacional, nos processos de trabalho, nas operações de entrega de valor e na gestão de modo geral.

Tal iniciativa visa implementar métodos ágeis e colaborativos que incrementem as interações dos processos do Conselho dando mais eficiência e agilidade no fluxo de trabalho.

Pilares da Transformação Digital

Portanto, foram definidos os chamados “Cinco Pilares da Transformação do Crea-SP”:

  1. Modernizar e simplificar os processos;
  2. Uso de novas tecnologias e processos para ampliação dos serviços digitais;
  3. Fiscalização inteligente;
  4. Capacitação profissional e
  5. Conexão com empresas, governos, startups e instituições de ensino.
Cinco Pilares da Transformação Digital

Fonte: CREA-SP

Estas medidas visam tornar o Crea-SP uma referência em qualidade de serviços no setor público.

Para isso, a atual gestão possui como objetivos desenvolver um comitê consultivo de inovação composto por colaboradores, profissionais, entidades de classe e profissionais da iniciativa privada.

Outros Objetivos

Também é um dos objetivos do Conselho a criação do próprio Laboratório de Inovação, o Crea-Lab.

São esforços concentrados da atual gestão do Crea-SP visando otimizar o tempo para as solicitações dos profissionais

Também são metas tornar os procedimentos do Crea-SP 100% digitais e garantir a presença de um profissional habilitado a frente de cada atividade técnica.

Joni Matos Incheglu
Sou Engenheiro Civil formado em 1997 pela Universidade de Mogi das Cruzes-UMC onde leciono no Curso de Engenharia Civil disciplinas ligadas a Estruturas. Também tenho a Licenciatura Plena em Matemática e Mestrado em Educação Matemática. Já lecionei nas redes pública e privada e, também, para os cursos de Administração, Pedagogia e Arquitetura. Como Engenheiro Civil fui responsável técnico por mais de 250 obras sendo a sua maioria pela Trópico Construtora e Incorporadora. Represento a UMC como Conselheiro na Câmara Especializada de Engenharia Civil do Crea-SP onde também estou no cargo de Diretor Administrativo. Também sou Consultor Técnico.

    4 dicas para você conseguir o primeiro estágio

    Previous article

    Engenharia Meteorológica: Tudo o que você precisa saber

    Next article

    You may also like

    Comments

    Leave a reply

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    More in Colunistas