publicidade

publicidade

Tudo o que você precisa saber sobre Engenharia de Avaliações


Tudo que se pretende fazer na vida merece um momento de reflexão e análise, ou seja, uma avaliação. Para orientar a tomada de decisão, algumas questões como “o que?”, “para que?”, “por que?”, “como?”, “quando” e “onde?” são levantadas. A Engenharia de Avaliações é uma especialidade da engenharia que reúne um conjunto amplo de conhecimentos na área de engenharia e arquitetura, bem como em outras áreas das ciências sociais, exatas e da natureza, com o objetivo de determinar tecnicamente o valor de um bem, de seus direitos, frutos e custos de produção.

A Engenharia de Avaliações serve para subsidiar tomadas de decisões a respeito de valores, custos e alternativas de investimentos, envolvendo bens de qualquer natureza. Esse ramo é de grande interesse para os diversos agentes do mercado imobiliário tais como: imobiliárias, bancos de créditos, compradores e investidores, entre outros.

 

Foto: Reprodução.

Por quem e como deve ser pratica a engenharia de avaliações?

A Engenharia de Avaliações deve ser praticada por engenheiros, arquitetos e agrônomos –  cada um obedecendo a sua habilitação profissional, de acordo com as resoluções do CONFEA – Conselho Federal de Engenharia e Arquitetura – que detenham os conhecimentos necessários para realização do trabalho avaliatório a ser executado.

 

CONFEA. Foto: Reprodução.

As avaliações devem ser realizadas com base em normas técnicas da ABNT, através de aplicação de metodologia apropriada. A sua aplicação adequada exige, além de conhecimentos necessários para a elaboração do trabalho, dedicação, segurança, reserva, consciência, senso de justiça, ética profissional, isenção, competência, senso crítico, investigação, observação e criatividade.

Quais conhecimentos básicos são necessários?

Além do conhecimento específico na área da engenharia, se faz necessário conhecimentos em outras áreas das ciências exatas e da natureza, como também das ciências sociais, entre elas: arquitetura, psicologia, filosofia, análise de investimentos, análises de balanços, estatística básica e inferencial, planejamento urbano, direito imobiliário, marketing e entre outras.

Tudo isso faz da Engenharia de Avaliações uma das mais complexas especialidades. É muito mais que uma disciplina, é uma multidisciplina dentro da engenharia. Esta multidisciplina confere complexidade e mobilidade ao profissional, permitindo-lhe atuar simultânea ou alternadamente nos nichos de mercado mais promissores ou interessantes em cada momentos.

Onde estudar no Brasil

A disciplina de Engenharia de Avaliações já é parte integrante do curso de Engenharia Civil em algumas universidades brasileiras. Neste sentido, o Estado de Pernambuco é pioneiro: a disciplina é oferecida pelo Centro de Tecnologia da Universidade Federal de Pernambuco desde 1981 e pela POLI – Escola Politécnica da Universidade Estadual de Pernambuco desde 1982. Tem-se conhecimento que a UERJ – Universidade Estadual do Rio de Janeiro e UFRS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul oferecem a disciplina nos cursos de graduação em Engenharia Civil.

Quanto aos cursos de pós-graduação, a POLI ofereceu o 1º curso de Especialização em Engenharia de Avaliações em 1987, com carga horária de 390 horas/aula. Diversos outros cursos nessa área, a nível de aperfeiçoamento e mesmo de especialização têm sido oferecidos por outras faculdades e universidades.

Por exemplo: o curso de especialização em Engenharia de Avaliações e Perícias promovidos pela Universidade Federal de Sergipe, em 1995; os que são oferecidos periodicamente em São Paulo pela USP – Universidade de São Paulo a nível de atualização ou pela FAAP – Fundação Armando Álvares Penteado a nível de Pós Graduação “latu sensu”. Também as Universidades Federal do Ceará e de Manaus estão oferecendo curso de especialização de Engenharia de Avaliações e Perícias.

Foto: Reprodução.

A importância dessa disciplina tem evoluído bastante no Brasil na última década, principalmente pela introdução da metodologia científica como ferramenta essencial de um trabalho avaliatório. Sistemas de Tratamentos de dados foram desenvolvidos, o que muito contribui para a prática da metodologia. Neste sentido, estima-se que o Brasil está entre os países desenvolvidos do mundo na matéria.

Normatização da matéria:

  • NBR 5676 – Avaliações de Imóveis Urbanos;
  • NBR 8951 – Avaliações de Glebas urbanizáveis;
  • NBR 8976 – Avaliações de unidades padronizadas;
  • NBR 8977 – Avaliações de máquinas, equipamentos, instalações e complexos industriais;
  • NBR 8799 – Avaliações de Imóveis rurais;
  • NBR 12.721 – Avaliação de Custos Unitários e Preparo de Orçamento de Construção para incorporação de Edifício em Condomínio;
  • NBR 14.653 -Avaliação de Bens.
NBR-14653-1 Parte 1 de 5

 

Quanto se paga por um trabalho de engenharia de avaliação?

Os honorários profissionais geralmente são cobrados em função do nível de detalhamento pretendido pelo contratante, da quantidade de horas que serão dedicados e da sua complexidade. Em geral, é um serviço bem remunerado, ficando na faixa de R$ 5.000,00 à R$ 10.000,00, dependendo da região estudada.


publicidade

publicidade

  • Augusto Sousa

    Bom texto, bem desenvolvido. Alertaria, apenas,que CONFEA não edita leis! Esse conselho emite portarias e resoluções.
    Abraços