CarreiraCuriosidadesEngenharia

Veja o furacão Sandy derrubando parte da Internet

0

O perigo para as pessoas, não para os servidores, é mais importante do que qualquer coisa. Mas como avisá-las sobre o perigo, ou saber se está tudo bem com elas? Via Internet, provavelmente! Por isso é um pouco assustador quando o furacão Sandy começa a derrubar um pedaço considerável da web. A coisa foi feia. Feia e rápida.

A RIPE e a Renesys, duas gigantescas entidades da infraestrutura da Internet, resumem exatamente o que deu errado. A RIPE parou de “receber dados de todas as sondas [de monitoramento de dados] localizadas em Nova Jersey e de várias da cidade de Nova York no dia 30 de outubro, por volta da meia noite.” Você pode ver o Sandy derrubando servidores no GIF abaixo, com os danos se disseminando feito bactéria. A Renesys notou que “Nova York e Nova Jersey foram afetadas na medida em que a tesmpestade progredia,” causando “alterações no tráfego da Internet para fora da cidade na medida em que as operadoras procuravam rotas alternativas.” Grandes sites, como o Gizmodo US e o BuzzFeed, foram afetados pesadamente pelo evento climático que assola a costa leste dos EUA.

GIF do Sandy derrubando a Internet.

A Internet, não vamos nos esquecer, é só um punhado de caixas e fios. É delicada. Aquelas coisas não gostam de água, picos de energia e falta de luz. Esse é um dos casos mais graves a afetar fisicamente a Internet e os traumas levarão algum tempo para sumir.

[RIPERenesys, Foto:jaimelapinga/Instagram, Via]

Eduardo Cavalcanti
Engenheiro Civil de formação, empresário, e atua em diversos mercados. É aficcionado por tecnologia e está sempre em algum lugar diferente do mundo (sim, viajar está entre seus maiores hobbies). Já teve uma época em que não conseguia dormir sem assistir a um episódio do Netflix. Hoje, com o empreendedorismo pulsando em suas veias, usa praticamente todo o seu tempo livre consumindo conteúdos relacionados à cases de sucesso e ao mercado financeiro.

Sem mágica: passar no Enem depende de estudo e concentração

Previous article

Carros sem motorista já são testados no Brasil

Next article

Você também pode gostar

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Carreira