O melhor das engenharias
BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias

Sem mágica: passar no Enem depende de estudo e concentração

Concentração e muito estudo. Essa é a principal dica de quem já passou no Exame Nacional do Ensino Médio para os que estão se preparando para as provas deste fim de semana. “É importante ficar atento, dormir bem. Como é uma prova cansativa, tem que estar bem concentrado, é bom descansar um dia antes”, aconselha o estudante de economia Hildemberg Leite Anselmo Junior, que foi aprovado quando tinha 19 anos e hoje cursa o 6º semestre na Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, com uma bolsa integral pelo Programa Universidade para Todos (ProUni).

Hildemberg fez a prova do Enem no último ano da Escola Professor Rogério Levorin, na cidade de Francisco Morato, mas não passou. Somente no ano seguinte, em 2010, após se preparar fazendo cursinho – e com uma rotina diária de, pelo menos, 10 horas de estudos -, foi que ele resolveu fazer, além do vestibular, as provas do exame. “Por descargo de consciência”, conta.

O resultado foi uma nota suficiente para passar na Federal do ABC e na Mackenzie, além da aprovação em 5º lugar de um total de oito que foram beneficiados pelo ProUni, o que lhe rendeu a vaga na PUC-SP. Hoje, ele estagia no núcleo de pesquisas da instituição.

Diferentemente de Hildemberg, o estudante José Henrique Medeiros Monteiro, 18 anos, que cursa o segundo semestre de Engenharia Civil na Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), passou no Enem em 2011 logo após terminar o ensino médio no Colégio Vértice – Unidade II, também na Capital.

A escola de José Henrique ficou em 4º lugar no ranking das melhores escolas segundo o Enem. De acordo com ele, a instituição teve um grande papel para sua aprovação fazendo simulados para o exame e outros vestibulares. “Estávamos craques em fazer esse tipo de prova”, afirma o estudante. “Não era só automático, a escola prezava muito mais saber a matéria do que fazer os testes, tanto na parte dissertativa quanto na de múltipla escolha”, completa.

Para os candidatos inscritos no Enem deste ano, José Henrique não indica nada além de determinação e concentração. Para ele, estudar para as provas ao longo do ano na escola foi essencial para obter sucesso no exame. “Comecei a estudar muito porque queria passar em uma boa faculdade”, conta. Além disso, o que impulsionou o jovem também foi acreditar que o último ano da escola não serve apenas para passar em um processo seletivo. “É para sua formação pessoal”, diz.

Além dos estudos, o hábito de ler também ajuda bastante. José Henrique afirma que a melhor dica é manter sempre a leitura em dia, pois as provas do Enem exigem uma concentração extra por abordarem bastante texto. “A pessoa não pode pensar que só porque está estudando não tem tempo para ler. Um livro, mesmo que para relaxar, ajuda muito no Enem, que exige concentração”, afirma.

E aí, você também irá prestar o ENEM este ano?

Via

Total
0
Shares
1 comentário
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas
pt_BRPortuguese