BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias
Bandeira LGBT+

LGBT+ no mercado de trabalho brasileiro

Falar sobre diversidade no mercado de trabalho é essencial para entender, respeitar e incluir todas as formas de ser e existir.  Felizmente cada vez mais empresas estão se atentando a pautas como igualdade de gênero, discriminação racial, entre outros temas relacionados. 

Para analisar como as minorias se sentem dentro do mercado de trabalho, analisando relatos e experiências, o LinkedIn encomendou uma pesquisa sobre o tema que faz parte da campanha #ProudAtWork

O profissional LGBT+ no mercado brasileiro

O objetivo da pesquisa foi entender questões relacionadas aos profissionais LGBT+ no mercado de trabalho e para isso foram entrevistadas pessoas do grupo, assim como heterossexuais também.

Gerações anteriores, não muito tempo atrás, sofreram tendo que se dividir entre ser uma pessoa na vida privada e outra para o mercado de trabalho. A pesquisa mostra que essa situação vem mudando, sendo que metade dos entrevistados LGBT+ disseram já terem assumido totalmente a colegas de trabalho sua orientação ou identidade de gênero. Por outro lado, um em cada quatro nunca contou a ninguém, entre os motivos, o medo de represálias.

Divulgar sua orientação sexual abertamente no ambiente de trabalho ainda é um desafio para muitos dos profissionais LGBT+. É papel das empresas criar um ambiente acolhedor e respeitoso e com políticas sólidas para que cada vez mais esses talentos possam vivenciar a sua vida pessoal em conjunto à profissional, e não como duas pessoas distintas, diz João Bevilacqua, gerente de vendas e líder do comitê LGBT+ no LinkedIn, o Out@In. 

O resultado de que metade dos entrevistados fala abertamente sobre sua orientação sexual ou identidade de gênero é representativo, entretanto, esse número deveria ser ainda maior e o outro lado desta porcentagem nos serve de alerta.

Mensagem contra o ódio
Photo by Jon Tyson on Unsplash

Discrição ou medo?

Uma em cada cinco pessoas entrevistadas admite que a opção de não falar sobre o assunto está diretamente ligada ao medo da discriminação. 

O preconceito no ambiente de trabalho infelizmente ainda é recorrente, principalmente por meio de piadas e comentários homofóbicos. 

Para mudar essa realidade é importante o empenho das empresas em trabalhar a empatia, respeito e igualdade dentro de sua cultura organizacional. 

O impacto da discriminação

O emocional é diretamente impactado ao se trabalhar em um ambiente onde há discriminação por apenas ser quem você é, consequentemente afetando a produtividade. Ao ouvir LGBT+ e heterossexuais sobre como percebem a realidade das minorias no ambiente de trabalho é possível observar grandes diferenças. Com isso, a pesquisa propõe as empresas e a sociedade a refletir além dos números sobre produtividade nos negócios e a pensar em que mundo estamos construindo.

Conclusão

A quantidade de profissionais LGBT+ que disseram ser respeitados é grande, entretanto, ainda é alarmante o número dos que escutam comentários pejorativos e ofensas. 

Por fim, fica a reflexão a cada um de nós ao usar certas palavras que podem parecer inofensivas para alguns, mas são dolorosas para outros. 

O LinkedIn por meio da pesquisa Proud At Work alimenta o debate em prol da diversidade, igualdade e inclusão.  Apenas juntos podemos promover espaços com empatia, trazendo mudanças que trarão um mundo melhor a todos.

A pesquisa completa pode ser encontrada neste link.

Total
0
Shares
3 comentários
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas
pt_BRPortuguese

WORKSHOP ENGENHEIRO PERITO

Conheça o método que engenheiros de todo o Brasil estão usando para trabalhar na justiça recebendo de R$4.375,00 á R$11.547,00.
Sem prestar concurso público!

Fique tranquilo, não enviamos spam!