BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias

Tinta térmica pode substituir ar condicionado

tinat-termica-blog-da-engenharia
(Imagem: Divulgação)

A NASA desenvolveu uma tinta à base de água e microesferas ocas de vidro, capaz de reduzir a temperatura e o consumo de energia dentro das residências. Em alta no mercado internacional, a tinta térmica é a mais barata das soluções utilizadas nas obras de isolamento térmico.

O material pode ser aplicado em qualquer superfície, mas o efeito é intensificado quando é utilizada para revestir os telhados das construções, já que a parte superior recebe maior incidência dos raios solares. Os telhados revestidos com o material reduzem em até 60% o consumo de energia elétrica utilizado para refrigerar casas, prédios, indústrias e estabelecimentos comerciais.

No começo, os cientistas da NASA criaram a tinta térmica para ser aplicada em aeronaves, navios e tubulações, a fim de diminuir o calor dentro destas estruturas. Porém, a solução passou a ser comercializada em lojas de construção nos EUA e rapidamente se popularizou, já que a tinta térmica é mais barata e sustentável do que a espuma de poliuretano, material derivado do petróleo usado na maior parte das obras de isolamento térmico.

De acordo com Walter Crivelente Ferreira, diretor da empresa WC Isolamento Térmico, o revestimento pode até mesmo tomar o lugar do ar condicionado. “Se o local for bem ventilado, a sensação térmica no ambiente interno se torna agradável, sem precisar de ar condicionado”, garante o fornecedor do material.

Mesmo ganhando espaço cada vez maior no mercado, a tinta não é reconhecida para os projetos de revestimento térmico. De acordo com Crivelente, as licitações públicas ainda exigem o poliuretano nas obras. No entanto, as Nações Unidas estão elaborando um regulamento para adotar materiais de revestimento mais sustentáveis, sem data para ser entregue.

O diretor da empresa fornecedora acredita que o brasileiro deve aderir à novidade. “As vendas por aqui ainda vão crescer”, afirmou Crivelente, que leva o serviço para muitas indústrias. A nova tinta tem propriedades semelhantes às convencionais e custa a metade do preço das espumas de poliuretano. O efeito térmico dura cerca de cinco anos e a aplicação pode ser feita pelos proprietários.

tinta-termica-blog-da-engenharia
 

Via

 

Total
0
Shares
10 comentários
  1. Material modesto. Trabalho com um produto não cimentício que proporciona o mesmo, mas com a diferença de suportar de -40º C a 380º C sem perder suas propriedades. Depois de aplicado, não há o porquê repôr a cada 5 anos, pois não se degrada com o tempo, ou seja, material “para a vida toda”!
    Quer saber mais (agindo como vendedor Herbalife), pergunte-me como.

  2. O problema, e infelizmente é um problema, no Brasil custará mais caro que as tintas comuns. Por se tratar de novidade no mercado e com uma certa tecnologia aplicada à ela, como sempre de costume cobrar-se-a mais caro por ela. É assim no Brasil.

  3. A tinta é uma ideia inovadora, bastante útil. Mas para quem não quer comprar essa tinta uma boa ideia seria pintar o telhado todo de branco. Com ele todo branco refletiria grande parte dos raios, logo absorveria menos luz e menos calor ( energia) que com o telhado escurecido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Postagens Relacionadas
pt_BRPortuguese

WORKSHOP ENGENHEIRO PERITO

Conheça o método que engenheiros de todo o Brasil estão usando para trabalhar na justiça recebendo de R$4.375,00 á R$11.547,00.
Sem prestar concurso público!

Fique tranquilo, não enviamos spam!