BDE News

Assine a nossa newsletter

Digite o seu e-mail para receber a nossa newsletter.

Não se preocupe, não fazemos SPAM
Categorias

4 plantas trepadeiras para usar em projetos de paisagismo!

Continuando o artigo passado, que caso você não leu basta clicar aqui, trago como prometido 4 plantas trepadeiras para usar em projetos de paisagismo. São plantas as quais eu particularmente recomendaria em um projeto, e que talvez você vai conhecer e se apaixonar por elas! Vem comigo!

1 - Unha-de-gato

  • Nome Vulgar/Comum:  Unha-de-gato
  • Nome Científico:  Ficus pumila
  • Família: Moraceae
  • Origem: China/Japão
Características:
  • Raízes são fixas no solo e precisam de um suporte para crescer. Esse tipo de planta emite raízes modificadas diretamente do caule, que grudam no suporte com bastante aderência.
  • Ramos herbáceos ascendentes e aderentes a suportes por meio de raízes adventícias. Na fase adulta os ramos tornam-se frutíferos e lenhosos.
  • Folhas pequenas em forma de coração, com cerca de 2,5 cm de comprimento. À medida que a planta amadurece e engrossa, ela começa a produzir folhas maiores e coriáceas.
  • Flores raras e insignificantes, quase invisíveis e surgem nas axilas das folhas.
  • Propagação Multiplica-se facilmente por estacas.
  • Em jardins é usada para recobrir muros, paredes e colunas, formando verdadeiras cortinas vegetais, suavizando o contraste do concreto sob as plantas e diminuindo a temperatura do local.

A unha de gato não deve ser utilizada em jardins com previsão de baixa manutenção. Sem as podas periódicas ela amadurece e se torna lenhosa, frutifica e destrói o suporte.

Torna-se inconveniente e grande invasora com a idade. As podas frequentes a mantém sempre jovem. Não é recomendada para o cultivo em paredes de construções, pois retém muita umidade, sendo indicada apenas para o cultivo em muros. Sua fixação é tão forte que chega a danificar chapiscos e reboco das paredes. 

Cuidados com a Unha de Gato
  • Clima: Tropical, Subtropical, Equatorial;
  • Tolerante ao frio;
  • Cultivada a pleno sol ou meia sombra;
  • Não é exigente e aceita uma ampla variedade de solos, mas aprecia o solo fértil, rico em matéria orgânica e drenável;
  • As regas devem ser moderadas, deixando o solo secar antes de regá-lo novamente;
  • Não é aconselhável o cultivo em locais pintados com a cal, pois danifica as suas raízes;
  • Fazer podas de contenção em qualquer época, sempre que necessário.

2 - Jade azul

  • Nome Vulgar/Comum:  Jade azul
  • Nome Científico:  Strongylodon macrobotrys
  • Família: Fabaceae
  • Origem: Filipinas
Características:
  • Caule espesso, torcido, ficando lenhoso a medida que envelhece;
  • Folhas compostas por três folíolos elítico-alongados;
  • Inflorescências do tipo racemo, pendentes, que podem medir de 0,30-1,20 metro de comprimento;
  • Propagação: Multiplica-se por estaquia de brotos, mergulhia ou alporque.
  • Em jardins é adequada para caramanchões e pérgolas altas, de no mínimo 2,5 metro de altura, nos quais pode ostentar longos cachos pendentes.

As flores são de raro colorido azul-esverdeado, característicos de uma pedra preciosa chamada jade; são em forma de garras. Surgem na primavera-verão e atraem beija-flores.

Sobre a Jade

Em seu habitat natural a planta cresce ao lado de riachos em florestas úmidas ou em barrancos. A trepadeira se entrelaça através do tronco e dos galhos das árvores altas em busca de sol. Além disso, desenvolveu certas modificações para permitir que fossem polinizadas por uma espécie de morcego que fica pendurada de cabeça para baixo na inflorescência para beber seu néctar.

Cuidados com a Jade Azul
  • Clima: Tropical, Subtropical, Equatorial;
  • Não tolera o frio abaixo de 15º C e ventos fortes;
  • Cultivada a pleno sol ou meia sombra, porém, as raízes devem ficar na sombra;
  • Solo fértil, rico em matéria orgânica, bem drenado e mantido úmido, mas não encharcado;
  • As inflorescências são produzidas apenas por trepadeiras maduras, após 2 anos ou mais, dependendo do regime de poda e nutrientes;
  • Quando cultivada em ambiente fechado, a Jade geralmente atinge  1-3 metros de altura;
  • No fim do inverno adubar com fontes orgânicas ou minerais;
  • Podas leves após a florada, porque a Jade floresce tanto nos galhos novos, como nos antigos. A poda drástica, vai atrasar a floração.

3 - Rosa Trepadeira

  • Nome Vulgar/Comum:  Rosa Trepadeira
  • Nome Científico:  Rosa x wichuraiana
  • Família: Rosaceae
  • Origem: Japão
planta, plantas, trepadeiras,
Características:
  • Folhas simples, em cores que vão do verde-médio ao verde-escuro, com bordas serrilhadas, que nascem de lados alternados dos ramos, em geral “espinhentos” (Acúleos);
  • Inflorescências piramidais, em cachos, perfumadas e de diversas cores. Surgem quase todo o ano, mas as grandes floradas ocorrem na primavera;
  • Propagação: Multiplica-se por estaquia de ramos semi-lenhosos no verão e por enxertia;
  • Rosa trepadeira é cultivada apoiada em paredes, muros, cercas, pórticos ou pilares;
  • A Rosa não possui sustentação que permita fixar-se num suporte, é necessário que seja amarrada para que tenha a aparência de trepadeira.
Cuidados com a Rosa Trepadeira
  • Clima: Tropical, Subtropical, Temperado, Mediterrâneo;
  • Adapta-se a vários tipos de clima, mas prefere o clima temperado;
  • Para florescer bem e praticamente o ano todo, a Rosa trepadeira precisa de sol pleno, ou seja, pelo menos 6-7 horas diárias de luz direta;
  • Recomenda-se um local arejado, para evitar o surgimento de fungos nas folhas e flores, especialmente em regiões chuvosas;
  • Pode ser cultivada em vários tipos de solo, mas prefere o solo rico em matéria orgânica, enriquecido com farinha de osso e bem drenado;
  • Logo após o plantio da muda e até a primeira floração, regue moderadamente, mas todos os dias. Depois disso, regar duas vezes por semana, diminuindo para uma vez no inverno (evitar molhar flores e folhas);
  • Poda incentiva o florescimento e ajuda a livrar o emaranhado de caules e espinhos; são indispensáveis e devem ser feitas anualmente;
  • Podas de limpeza devem ser feitas em qualquer época, removendo-se, galhos, folhas e flores secas e doentes;
  • Sempre cortar o galho na diagonal com três folhas ou três nós abaixo da rosa murcha, pois auxiliará na absorção de nutrientes e facilitará a cicatrização da roseira;
  • A brotação do cavalo (broto ladrão) deve ser eliminado rigorosamente;
  • Roseiras entram numa espécie de dormência quando a temperatura cai para próximo de 10°C. Essa poda é muito importante para incentivar o surgimento de novos brotos e aumentar a floração;
  • Rosas trepadeiras, produzem hastes longas, com 3-4 metros de comprimento. Durante o primeiro ano de crescimento, as hastes não florescem, sendo o período ideal para educar seu crescimento;
  • Poda drástica: Uma poda drástica deve ser feita, de tempos em tempos, para rejuvenescer as hastes e favorecer uma floração abundante.

4 -Tumbérgia azul

  • Nome Vulgar/Comum:  Tumbérgia azul Nome Científico:  Thunbergia grandiflora
  • Família: Acanthaceae
  • Origem: Índia
trepadeiras
Características:
  • Folhas ovaladas ou triangulares com alguns dentes, verdes escuras e brilhantes de ate 12 cm de comprimento;
  • Flores grandes, campanuladas e solitárias, de coloração azuis cujo tom e bem próximo ao lilás, com o centro claro. Surgem durante o decorrer de quase o ano todo, com mais intensidade na primavera-verão. Atrai borboletas e abelhas mamangavas;
  • Propagação: Multiplica-se facilmente por estacas;
  • Em jardins e cultivada apoiada em caramanchões, pérgolas, arcos, treliças e cercas extensas;
  • Sobe enrolando-se em espiral no primeiro suporte que encontra.
Cuidados com a Tumbérgia Azul
  • Clima: Tropical, Subtropical, Equatorial;
  • A Tumbérgia tolera bem o frio subtropical, desde que não haja quedas bruscas de temperatura ou geadas;
  • Cultivada a pleno sol ou meia sombra, porém, em regiões quente, deverá ser plantada em locais que receba apenas o sol da manhã;
  • O solo deve ser fértil, rico em matéria orgânica, enriquecido com farinha de osso, ligeiramente acido e drenável;
  • As regas devem ser regulares, mantendo o solo levemente úmido;
  • Para uma floração intensa adubar com fontes orgânicas ou minerais no fim do inverno;
  • A tumbérgia é uma planta vigorosa que precisa de controle. No fim do inverno “pode-se” fazer uma poda drástica, deixando pelo menos 6 gemas em cada ramo.

Bônus - Lúpulo!

  • Nome Vulgar/Comum:  Lúpulo
  • Nome Científico:  Humulus lupulus
  • Família: Cannabaceae
  • Origem: Alemanha
Características:
  • Trepadeira muito ornamental cultivada em jardins e áreas subtropicais e temperadas;
  • O Lúpulo, como é popularmente chamado, é conhecido por ser utilizado na fabricação da cerveja (aroma e amargor);
  • Aprecia locais de sol e meia sombra;
  • O solo deve ser rico em nutrientes e conter terra em abundância, preferindo mais umidade;
  • Forma ramificações lenhosas que desaparecem no inverno, fazendo com que a planta mingue. Essa trepadeira ornamental é resistente ao inverno, suporta geadas, rebrotando do chão na primavera;
  • Seus galhos atingem aprox. 6 m ao longo do ano;
  • Dica: Faça a poda do Lúpulo na base da planta no outono, quando os galhos começam a secar. Mantenha em torno de 60-80cm;

Curiosidade: No calor do cozimento da mistura, o lúpulo libera suas resinas de sabor amargo, dando à cerveja sabor característico. O lúpulo é um conservante natural. Saiba ainda que o Lúpulo acalma e relaxa.

trepadeiras
Lúpulo (flor), ingrediente importante.
Total
0
Shares
Postagens Relacionadas
black and brown chairs and tables
consulte Mais informação

Dassault Systèmes anuncia novidades em sua estrutura de gestão!

- Dassault Systèmes prepara seu futuro com continuidade na liderança e combina talentos de várias gerações - Pascal Daloz se concentrará em sua missão de Diretor de Operações (Chief Operating Officer), cargo que ocupa desde 2020 - Rouven Bergmann é nomeado Vice-Presidente Executivo e Diretor Financeiro (Chief Financial Officer)